Filomena «de pedra e cal» na RTP: «é uma estação onde existe lugar para rambóia»

Há quase quatro anos a solo na condução do 5 Para a Meia-Noite, Filomena Cautela nem sequer pensa numa mudança para a concorrência. A apresentadora mostra-se feliz no regresso do talk show à RTP1.

10 Jan 2020 | 12:06
-A +A

O 5 Para a Meia-Noite voltou à RTP1 esta quinta-feira, 9 de janeiro. Melhorado e aumentado, numa nova casa (os estúdios da Endemol, na Venda do Pinheiro), uma nova equipa de produção e uma nova banda. As apresentadoras? As mesmas de sempre: Filomena Cautela e Inês Lopes Gonçalves.

Depois de um ano pleno de projetos televisivos, desde o Festival da Canção a I Love Portugal, Filomena Cautela tornou-se uma das mais populares apresentadoras da televisão generalista. Questionada sobre possíveis assédios da concorrência, a apresentadora responde… não respondendo. «Neste momento estou na RTP de pedra e cal. Há muitos projetos na RTP que me apaixonam. Este programa, vem aí o Festival da Canção, que é um evento que me toca particularmente…e à Inês também. E é aqui que me estou a sentir bem. É uma estação onde existe lugar para rambóia mas é uma estação com preocupações muito sérias. É aqui que me sinto bem». 

Cristina Ferreira foi a primeira convidada da 16ª temporada do talk show. Filomena e Inês revelam que, na próxima quinta-feira, a atriz brasileira Cláudia Raia sentar-se-á no sofá do 5. Mas antes, os bastidores da ‘contratação’ da apresentadora da SIC. «A Cristina foi muito generosa e o que nós queríamos, conseguimos. Que ela saísse daqui bem disposta», começa por dizer Filomena, revelando que a abordagem inicial foi feita no verão de 2018, precisamente na altura em que Cristina trocou a TVI pela SIC. «O que aconteceu foi que a primeira vez que convidámos a Cristina foi exatamente na altura em que se deu a mudança para a SIC. Como devem imaginar, foi tipo… ‘adorava mas agora não é o melhor momento’», recorda.

O convite foi feito pessoalmente por Filomena Cautela e teve a bênção da direção de programas. «Eu faço sempre convites pessoalmente e depois temos a produção. No caso da Cristina Ferreira, como é um dos maiores nomes da televisão nacional, a nossa direção faz questão de ter essa gentileza. Mas foi de facto numa altura muito difícil e logo que as coisas se puderam proporcionar, a coisa aconteceu».

«Há uma competição saudável»

 

Esta sexta-feira, 10 de janeiro, José Pedro Vasconcelos recebe no seu programa Depois Vai-se a Ver e Nada a apresentadora da TVI Fátima Lopes. No final da 15ª temporada do 5 Para a Meia-Noite, Manuel Luís Goucha foi convidado de honra. Estará a RTP a tornar-se terreno neutro? «Acho que, neste momento, esta guerra das audiências é feita mais por fora do que por dentro. As pessoas estão interessadas em fazer os melhores programas que podem e acho que há uma competição saudável», afiança Filomena.

A apresentadora do 5 Para a Meia-Noite afirma ainda que «este espaço de liberdade que existe aqui no 5é das coisas melhores que se podem pedir no serviço público de televisão»

Inês Lopes Gonçalves diz ainda que tem havido sempre grande abertura da direção de programas da RTP. «Também é verdade que, até aqui, não acontecia tanto termos pessoas de canais concorrentes noutros canais. Desde que começámos esta temporada, em 2016, muito poucas foram as vezes em que nós sentimos da RTP constrangimentos no sentido de ‘não tragam esta ou aquela pessoa’».

 

Texto: Raquel Costa | Fotos: Marco Fonseca e redes sociais

 

Veja mais:
Filomena Cautela quer Marcelo Rebelo de Sousa no 5 Para a Meia Noite
Filomena Cautela «obriga» Cristina Ferreira a escolher: António Casinhas ou Rúben Rua?

PUB
Top