Final de Paixão: Luísa é esfaqueada

Ao tentar salvar MIGUEL da morte, no dia de aniversário de CATARINA, Luísa acaba ferida com gravidade.

30 Jan 2018 | 16:10
-A +A

TNa derradeira cena da novela da SIC, a heroína fica à beira da morte ao salvar o seu grande amor de um tiro certeiro. O filho de Maria Paula fica arrasado e promete tomar conta do resultado deste amor. 

Tal como a edição em papel da TV 7 Dias já havia revelado no início do mês de janeiro e agora recorda aqui, o final da primeira temporada de Paixão vai ser carregado de fortes emoções Até que a morte os separe. Resumidamente, esta pode ser uma máxima que se aplica ao casalinho de Paixão. E será mesmo a morte a intrometer-se entre MIGUEL (Albano Jerónimo) e LUÍSA (Margarida Vila-Nova). Quando achavam que iam poder, finalmente, viver em pleno o amor por que tanto lutaram, um percalço da vida vai separá-los. E é, num ato de amor, que tudo se desenrola. É isso que lhe contamos em primeira mão.

Por esta altura, a empresária já começou a desconfiar que (Marco Delgado) está envolvido na morte de LEONOR (Mónica Calle) e ALEXANDRE (Rui Morrison). E Luísa vai mesmo confirmar as suas suspeitas. Com a ajuda do filho de MARIA PAULA (Rita Blanco), a empresária fica a saber de todos os crimes cometido pelo marido e descobre que JOÃO (António Capelo) está inocente.

É então que, na companhia do pai da filha, vai ao encontro do tio. Após revelar-lhe o que descobriu, João confirma que Zé o ameaçou e que foi ele o autor dos crimes. Desesperada, Luísa diz que quer acabar com o marido naquele momento, mas Miguel aconselha-a a não tomar tal atitude, pois assim tornar-se-ia também ela uma assassina.

Horas depois, já em casa, o vilão chega e quer saber porque é que não foi informado da festa de aniversário de Catarina (Matilde Serrão). Os dois começam a discutir e Zé ameaça fazer a vida da mulher e de Miguel num inferno. É então que Luísa inverte o jogo. “O que é que nos vais fazer? Matar-nos, como mataste os meus pais? Eu já sei de tudo, Zé! Foste tu que mataste o meu pai e a minha mãe! Como é que tiveste coragem?! Depois de tudo o que foram para ti… E ainda queres que a Catarina seja tua filha? Ela não é tua filha, nunca foi, nunca vai ser! Esquece a festa e esquece que ela existe!”, atira. O vilão tenta disfarçar. “Tu sabes como eu adorava o teu pai… que motivo poderia ter para matá-lo? E à tua mãe? Eu e ela éramos amigos… Ela dava-se melhor comigo do que contigo. A Leonor matou-se porque ia ser acusada da morte do teu pai… Era ela quem estava lá, quando ele caiu da varanda, não eu… Foi ela!”. Mas a irmã de JÚLIA (Inês Herédia) manda-o calar-se. Zé continua e resume, irónico: “Eu matei o teu pai, incriminei o meu melhor amigo, casei contigo, criei a tua filha como minha… Ainda matei a tua mãe e tu nunca desconfiaste de nada? Isso faria de ti uma pessoa muito burra, Luísa”.

Perante estas palavras, a mãe de Catarina não aguenta mais e agride o marido com um halter, saindo de seguida. Zé desmaia e, pouco depois, acorda, reparando que está a sangrar depois de a mulher o ter atingido. Vai então à sua procura. “Vais obrigar-me a fazer contigo o que fiz com eles”, grita, prometendo vingância. Acaba por encontrá-la, muito assustada e com medo dele. Ainda a intimida, mas Luísa está irretudível e já apresentou queixa do marido na polícia.

Dias depois, a polícia prende Zé, acusado de duplo homicídio. O vilão tenta resistir e a polícia diz que encontrou um bilhete de avião em nome dele. “Está a planear fugir do país?”, pergunta o inspetor. Zé tenta debater-se, mas é algemado. De longe, Miguel e Luísa observam-no, sentindo-se vingados. Dias depois, na cela, Zé está com um aspeto descuidado, não tem nada à sua volta, bem como a sua vida, que passa a ser um vazio.

Esfaqueada para salvar Miguel

Sem a sombra do vilão, Miguel e Luísa estão livres para amar. É então que o irmão de FILIPE (Miguel Nunes) e a amada decidem viver juntos. Este muda-se para a casa da amada e Catarina é a primeira a incentivar os pais e começa inclusivamente a chamar Miguel de pai. Chegado o dia de aniversário, preparam uma festa de arromba para celebrar a vida da menina.

O ambiente é de celebração e toda a gente está muito feliz. Maria Paula presenteia a neta com um cachorrinho bebé e Miguel oferece à filha um fio de prata igual ao seu. Entre os vários empregados contratados para a festividade está CÉSAR (Hoji Fortuna), filho de um homem que Miguel matou na prisão em África e que regressa em busca de vingança, mas ninguém se apercebe da sua presença.

Quando estão prestes a soprar as velas, Luísa insiste com Júlia para que esta suba ao palco para tocar uma música. Com vergonha de subir ao palco, a cantora acaba por aceitar e deixa todos os presentes muito contentes. A música termina e todos aplaudem entusiasticamente. Júlia abre os olhos e sorri. Catarina corre para a tia e abraça-a. Luísa diz que vai pedir para trazerem o bolo e faz sinal aos empregados. De seguida, um dos funcionários empurra um carrinho com um grande bolo. Os presentes começam a cantar os parabéns e o ambiente é de grande emoção. Luísa e Miguel estão junto da filha, são o retrato de uma família feliz. A gestora lembra-se que falta a máquina fotográfica e vai buscá-la. Nesse momento, em movimento contrário, passa um empregado e César atrás, com uma bandeja na mão, a olhar fixamente para o rival. Luísa está debruçada a tirar a máquina da mala e repara nos sapatos pretos do empregado e que César está de ténis. Estranhando, levanta-se e vê-o a pousar a bandeja e a levar a mão à parte interior do colete. É então que o seu semblante muda ao aperceber-se de que ele está a tirar uma faca e começa a avançar na direção do ex-marido de HELENA (Joana Solnado).

Ninguém parece reparar no que se passa, exceto Luísa, que atira a máquina de fotografar para o chão e corre para junto do seu amor, tentando desviar-se dos restantes convidados. “Miguel! Miguel!”, grita, desesperadamente. Mas o filho de Maria Paula não a ouve, devido ao barulho dos aplausos e vira-se para cortar o bolo, quando César levanta a faca para espetar nas suas costas. Luísa chega a tempo e coloca-se entre o namorado e a faca. O vilão não vai a tempo de parar e espeta a faca nas costas de Luísa. Ninguém se apercebe do que se esta a passar e César e foge dali, em passo acelerado.

De repente, Miguel vira-se, achando que Luísa está a abraçá-lo. Só percebe o que se passa quando ela cai no chão, a perder os sentidos, com a faca espetada nas costas e o sangue a escorrer. Num último gesto de força, ao deslizar,  Luísa agarra no colar de Miguel e acaba por rebentá-lo. A empresária profere as últimas palavras: “Perdeste oito anos da tua vida por minha causa. Não te defendi naquela altura, mas agora não deixo que te tirem nem mais um minuto”, diz, caindo ao chão. “Luísa! Luísa! Fala comigo”, pede Miguel, em lágrimas. Em vão. A empresária está no chão, sem sinais de vida. Nos seus pensamentos, o rapaz ouve a amada dizer-lhe ao ouvido. “Há decisões que não são refletidas nem precisam de ser. O que havia para pensar? Quando fazemos uma coisa por amor, essa é sempre a coisa certa. Foi por amor que voltaste e que ficaste comigo.”

O ambiente é de pânico e o irmão de Filipe segura a amada nos braços, com esta a mostrar ter cada vez mais dificuldades em ter os olhos abertos, e grita por ajuda. Toda a gente está em choque. E Miguel continua a ouvir a voz de Luísa. “Meu único amor… chegou a tua vez de cuidares do nosso maior tesouro. Se a ensinares a amar como tu, já és o melhor pai do mundo”, diz Luísa, que perde finalmente as forças e fecha os olhos, inanimada. “A vida muda num segundo… Mas nós…Nós vamos ficar para sempre.”, continua. Miguel está devastado e vai gritando o nome do seu grande amor, enquanto a abraça, desfigurado de dor. 

Luísa é dada como morta e assim termina a primeira temporada da trama da SIC. Mas como ainda há muita história por contar, a heroína de Paixão vai regressar, no início da segunda temporada, após sete meses em coma e com uma nova forma de olhar para a vida. E resistirá o amor deste casal a este impasse?

Texto: Tiago Henriques

PUB
Top