Florbela Queiroz faz as pazes com o filho depois de agressões e acusações

João regressou a casa depois de anos afastado da mãe, Florbela Queiroz. Vizinhos acusam a ex-nora da atriz de ser o veneno da relação, mas há quem diga que o rapaz tem alguma na manga.

09 Nov 2019 | 20:50
-A +A

Os momentos vividos por Florbela Queiroz entre 2012 e 2013 foram de verdadeiro terror. O filho e a nora foram acusados de a agredir verbal e fisicamente. O caso foi parar a tribunal e os dois acabaram por ser condenados a dois anos e meio de pena suspensa, impedidos de se aproximarem da atriz e obrigados a devolverem-lhe a casa, da qual tinha saído devido aos maus-tratos.

Mas agora tudo mudou.

A violência foi aparentemente perdoada e João está de regresso a casa, sem a mulher… mas é segredo. Este caso mediático foi tornado público em agosto de 2012, pela TV 7 Dias. Na altura, Florbela queixava-se de ser alvo de agressões físicas e psicológicas por parte de Marília Barros, com a conivência do seu único filho, João, fruto do seu casamento com Norberto de Sousa.

«O meu filho casou há três meses e eu, como tenho uma casa muito grande, com dez assoalhadas, um jardim e uma piscina, há um mês disse-lhe para ir viver comigo, até porque ele tinha lá o quarto dele e as rendas estão muito caras. Fiz muito mal, porque tenho tido muitos problemas. (…) Há um mês entrou na minha casa e transformou-a num cenário de guerra», contou na altura.

Sem vergonha de o assumir, Florbela fez ainda questão de partilhar com a nossa/sua revista os pormenores do inferno em que se encontrava a viver: «Sofro de maus-tratos psicológicos e físicos, o meu filho deixa que isso aconteça e até se ri. Neste momento, não estou segura na minha própria casa e estou a fazer o que é possível, juntamente com a Polícia e a APAV. Mas não vou sair da minha casa porque há 47 anos que lá vivo. E ele também não sai porque tem 25 por cento da casa – por causa do divórcio, ele ficou com a parte do pai.»

Para que os leitores entendessem o drama em que se encontrava a viver, a atriz, que tem atualmente 76 anos de idade, deu ainda alguns exemplos dos maus-tratos infligidos pela nora e aceites por João: «O meu filho está cego e eu não posso fazer nada. Ainda no outro dia ela disse: ‘Estou grávida e agora a casa é minha e daqui não saio, minha velha nojenta.’ E o meu filho ouviu. Noutra ocasião, disse: ‘Ó velha, qualquer dia pomos-te no asilo.’»

Atriz foi agredida pela nora e pelo filho

 

Além das ofensas verbais, também outras sofreu, que lhe deixaram marcas no corpo. «A Polícia até já fotografou os dedos dela marcados no meu pescoço. A maior parte das agressões é com uma mangueira que está ao pé da piscina e que tem um chuveiro de aço. Ela bate-me nas pernas, nas costas, ou seja, onde me apanhar», disse na altura à nossa/ sua revista. Posteriormente a esta reportagem da TV 7 Dias, fonte próxima da também taróloga revelou ainda que «as coisas voltaram a piorar, com a nora da Florbela a puxá-la pelos cabelos e a partir-lhe o iPad e o iPhone», algo que já não era a primeira vez que acontecia. Isto porque, semanas antes, preparava-se Florbela para ir até ao Algarve, onde subiu ao palco com a peça Crise, Sexo e Facebook, quando voltou a ter graves problemas com a nora:

«Ela atirou todo o meu material de trabalho para dentro da piscina: telemóvel, agenda, gravador, tudo o que eu tinha, até fiquei sem números de telefone. Depois fui logo ter com o meu vizinho, que ainda conseguiu salvar-me o gravador. Passo os dias dentro do meu quarto e encomendo a comida, porque tenho medo de ir à cozinha e que ela me agrida. Durmo com a porta do quarto fechada à chave e nunca estou descansada, ainda por cima ela não trabalha e passa os dias em casa?», contou, entre lágrimas.

Todo este drama vivido dentro da sua própria casa levou a que a atriz avançasse com um processo judicial contra os dois, que ganhou, que fizesse um testamento onde o impedia de a ir visitar ao hospital ou de ir ao seu funeral e ainda que, em declarações também à TV 7 Dias (ver edição n.º 1465, de 15/04/2015), desse o seu próprio filho como morto: «Eu não tenho filho. Mesmo que ele pudesse, porque o tribunal o impediu de me procurar, ele não me contactaria porque é orgulhoso. E, mesmo que o fizesse, eu não o receberia. É ter um filho vivo, mas que está como morto. A lei natural dita que quem vai primeiro são os pais. No meu caso, o meu filho foi primeiro», desabafou.

Pazes feitas há um ano

Toda esta tragédia, que aconteceu entre quatro paredes, saltou para a ribalta através da TV 7 Dias e, durante alguns anos, ocupou páginas de revistas, não só pela história de violência, como também pela destruição alegadamente provocada por João e Marília naquela que é a casa de Florbela Queiroz desde 1965. O afastamento definitivo do filho aconteceu em 2015, altura em que o tribunal deu razão à atriz, no processo por si interposto contra o filho e a nora por violência doméstica.

Na altura, João e Marília foram condenados a dois anos e meio de pena suspensa, ficaram impedidos de se aproximarem de Florbela e foram obrigados a devolver-lhe a casa. No entanto, apesar deste desfecho, e depois de a moradia lhe ter sido restituída com visíveis sinais de destruição (já lá vamos), o certo é que a atriz perdoou João, que já está de volta à casa onde cresceu.

Segundo fonte próxima do editor de imagem da SIC, «basicamente ele vive na casa dele. Tem uma casa em Cascais ao pé da Quinta da Marinha. Atualmente, ele tem uma relação saudável de mãe e filho. Um filho e uma mãe não podem estar eternamente zangados. Está tudo bem, a correr normalmente, ela tem a vida dela e ele a dele. Agora estão concentrados em estar calmos e serenos, cada um na sua vida. E é isso. Cada um na sua, com uma relação saudável de mãe e filho. A aproximação foi mútua e aconteceu há cerca de um ano», conta fonte próxima de João.

Apesar de as pazes estarem confirmadas, na zona de residência de Florbela Queiroz o que se comenta é ligeiramente diferente daquilo que este amigo fez questão de sublinhar à TV 7 Dias: o facto de João ser apenas visita frequente na moradia da atriz. Aliás, foi por volta das 10h35 que a nossa/sua revista se cruzou com o rapaz a sair de casa da taróloga e, de acordo com quem mora na mesma rua, João está a residir com a mãe.

«Ele já aqui está há bastante tempo, mas sem a mulher. Sabe como é, mãe é mãe, mas, depois do que ele fez, não sei como é que ela o conseguiu perdoar. Agora não se ouve barulho nenhum lá, portanto acho que está tudo bem. Mas ela também não se dá com ninguém aqui. Só quando precisa das pessoas, porque tem um feitio muito especial», comenta uma vizinha que a conhece há várias décadas. Uma outra vizinha, que também ali tem casa há muitos anos, conta que «eles fizeram as pazes, porque a outra [N.R.: Marília Barros] é que era o veneno. Ela, na altura, até quis fazer uma herança para deixar tudo para os filhos do irmão, mas agora ele é que vai herdar tudo».

Uma terceira fonte daquela zona habitacional do concelho de Cascais conta ainda que «ele quer convencê-la a ir para a Casa do Artista para que possa tomar posse da casa. A velhota está, mais uma vez, a ser enganada pelo filho, que nunca a respeitou. Ele despreza-a em casa, não fala com ela e disse-lhe que, se chegasse a conhecimento do público, ela nunca mais o via».

A TV 7 Dias entrou em contacto com Florbela Queiroz, que se apressou a negar tudo: «Quem lhe disse isso? Não, não!» Quando confrontada com o facto de os próprios vizinhos terem confirmado esta informação, a atriz disse: «São brincadeiras, eu não me importo que brinquem…» E, de seguida, desligou à pressa, com o argumento de se estar a passar uma cena muito importante numa série de televisão que estava a ver. Também o filho da atriz foi contactado pela nossa/sua revista. No entanto, não quis prestar declarações.

Casa destruída

Foi no início de 2013 que a atriz decidiu abandonar a sua casa de sempre, aquela onde vivia desde 1965, para fugir aos maus-tratos. O regresso aconteceu dois anos mais tarde, mas o cenário com que se deparou ao abrir as portas de casa estava muito longe daquilo que poderia imaginar. A casa estava mais próxima
de um «cenário de guerra» do que de uma moradia habitável.

Na altura fez um apelo nas redes sociais a pedir ajuda para pôr o seu lar habitável: «Devo dizer que é um cenário de guerra, mas é o sítio onde vivi desde 1965. Eu sei que podia ir às televisões pedir ajuda, mas não quero mais publicidade de coisas que me deixam de rastos. Também percebo que, nos tempos que correm, pedir uma coisa destas é quase vergonhoso, mas há empresas que têm coisas que já não querem, lojas de tintas que podem ajudar, lojas onde gastei fortunas quando podia (…) Enfim, preciso de ajuda, se for possível. Não sou coitadinha, mas preciso de ajuda. Obrigada.»

Posteriormente, em declarações exclusivas à TV 7 Dias, a atriz revelou necessitar «de tudo o que uma casa precisa para ser uma casa. Estragaram as minhas coisas. Não tenho móveis, nem portas, nem água, nem luz… Está tudo arrancado… Até o papel das paredes, os cortinados…» Desesperada, sem dinheiro para poder repor tudo o que tinha sido destruído e pagar as suas contas, a taróloga voltou a lançar um apelo, desta vez com o seu NIB.

Muitas foram as pessoas que lhe transferiram dinheiro, mas, na altura, recebeu ainda outra ajuda fundamental. O Querido, Mudei a Casa quis fazer uma surpresa e remodelar o rés-do-chão da sua moradia. Durante cinco dias de trabalho, a equipa remodelou a cozinha, a casa de banho, o hall de entrada, um dos consultórios e uma sala de estar, e transformou outra sala em quarto. Florbela regressou ao seu lar no dia 1 de julho de 2015, para uma moradia muito diferente daquela que tinha encontrado aquando da saída do filho e da nora de sua casa. Atualmente, a atriz já tem, inclusive, um sistema de alarme instalado para evitar a entrada dos amigos do alheio.

(texto originalmente publicado na TV 7 Dias 1703)

 

Textos: Carla Ventura; Fotos: D.R. e Impala

 

Veja mais:
Florbela Queiroz esquece agressões e perdoa filho condenado por violência doméstica!
Florbela Queiroz «desfeita e de rastos» com tumor cerebral de sobrinho!

 

 

PUB
Top