Francisco J. Marques fala sobre acusação de violência doméstica: “Não tenho orgulho”

Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, fala pela primeira vez sobre acusação de violência doméstica contra a ex-mulher e a filha.

18 Out 2023 | 14:29
-A +A

Acusado de violência doméstica contra a antiga companheira e a filha, ainda menor, que têm em comum, Francisco J. Marques recorreu às redes sociais para falar pela primeira vez sobre o tema. Foi numa extensa publicação partilhada na X (antigo Twitter) que o diretor de comunicação do Futebol Clube do Porto abordou o tema. Algo que fez por entender que deve “uma explicação aos sócios e adeptos do FC Porto.” Isto numa altura em que está proibido de ter qualquer contacto com a filha. Que alegadamente terá ouvido insultos do pai à mãe.

Leia ainda: Luisão e Brenda Mattar separados pela segunda vez

Sandrina Pratas exibe corpo e diz sentir-se sexy

“Obviamente que não tenho orgulho no meu comportamento (isto é, dos ditos insultos que dirigi à minha ex-companheira), antes arrependimento. Mas devo acrescentar, por ser verdade, que o fiz depois de ser provocado, e muito antes de eu a insultar fui muitas vezes por ela insultado, muitas e muitas vezes na frente da minha filha. Há um manancial de sms, whatsapp e mails que o ilustram perfeitamente”, começa por escrever.

“Muito antes de eu a insultar fui muitas vezes por ela insultado”

“E tenho também de acrescentar, por ser verdade, apesar de a acusação o omitir, que muito mais danoso para a minha filha do que ouvir os insultos proferidos pelo pai ou pela mãe foi a mãe deixá-la (a ela e à irmã, também ainda menor) sozinha à noite, em casa, para ir a aulas de tango. Fê-lo de forma consciente, sabendo que estava a fazer uma coisa muito errada e perigosa, deixando o próprio telemóvel em casa, para que quando eu ligasse para falar com a minha filha não descobrisse que não havia a supervisão de qualquer adulto”, acusa.

Acusações à ex-mulher

Francisco J. Marques continua a acusação à antiga companheira. “Descobri porque a miúda esteve 56 minutos ao telefone comigo, não querendo desligar. Só recentemente, quando pude consultar o processo, soube a razão e também só recentemente a minha filha me disse que aconteceu mais ‘cinco ou seis vezes’. Como eu disse à Sra. Procuradora, não encontro motivo mais leviano e fútil para deixar menores sozinhas em casa do que a frequência de uma aula de tango… O Ministério Público sabe que isto aconteceu, mas nada fez, como resulta da acusação”, termina. Até ao momento, o Futebol Clube do Porto não se pronunciou sobre a acusação de que Francisco J. Marques é alvo. Que mantém assim o cargo nos azuis e brancos.

Texto: Bruno Seruca
Fotos: Impala e reprodução Instagram
PUB