BB2020: Hélder nomeado como consequência de «atitudes sexistas e homofóbicas»

É um momento inédito na histórias dos reality shows em Portugal. Um concorrente é automaticamente nomeado por «atitudes sexistas e homofóbicas». Portugueses vão decidir se Hélder permanece na Casa.

12 Mai 2020 | 20:14
-A +A

É um momento inédito na história dos reality shows em Portugal. Um concorrente é sancionado após ter feito várias afirmações e atitudes «sexistas e homofóbicas». Hélder está automaticamente nomeado e, ao longo da semana, os portugueses vão decidir a sua permanência no Big Brother 2020.

Num momento inédito, e apenas 72 horas depois da entrada dos concorrentes na casa, Cláudio Ramos entrou em direto neste especial e Hélder foi chamado ao confessionário. «Eu venho ter uma conversa consigo que não gostava de a ter», disse o apresentador, questionando o concorrente se tinha «consciência» dos comportamentos que teve nas últimas horas e também na última gala.

Depois de serem emitidas as imagens, Hélder começa por desculpar-se, dizendo que adora «esse tipo de pessoas». «Não tenho nada contra isso».

Cláudio Ramos, cuja orientação sexual é publicamente conhecida, pede ao concorrente para não se referir a um homossexual como «esse tipo de pessoas». «Eu não sou um tipo de pessoa. Eu sou uma pessoa», diz o apresentador, explicando que o impacto de uma conversa filmada pode ter «milhares de interpretações». «É um comportamento feio para não dizer homofóbico quando olhou para o Edmar», diz Cláudio.

Hélder começa a ficar progressicamente mais nervoso, pedindo desculpa aos portugueses e explicando que o que disse «não é para magoar». Cláudio Ramos afirma que não pretende julgar o concorrente. «Estou a falar como espectador, como pai e como homossexual, se quiser. Gostava que percebesse que, quando diz algumas palavras, ou se refere a alguém dessa maneira, está a magoar pessoas», acrescenta o apresentador.

 

Votação à parte: portugueses vão decidir permanência de Hélder

 

Depois de ver as imagens em que fez comentários sexistas sobre a figura física de Jéssica, Hélder começa a chorar. O concorrente regressa à sala e é aplaudido pelos colegas de casa.  Depois, ouve-se a voz do Big Brother «As suas acções nos últimos dias deixaram muito a desejar.  No Big Brother as atitudes sexistas, xenófobas, racistas e homofóbicas são inadmissíveis, tal como na nossa sociedade. Todas estas transgressões são delitos graves a que o Big brother jamais poderá fechar os olhos. Não é por estar encerrado numa casa que pode fazer e dizer o que lhe apetecer. Hoje, Portugal acordou extremamente revoltado com o seu comentário. É esperado que esta casa seja o reflexo da sociedade de uma forma positiva. Vou dar aos portugueses a oportunidade de decidir se querem que permaneça na casa».

Edmar, o visado deste episódio, defendeu o colega, que estava em prantos. «Eu acho o Hélder um querido e dá para ver na cara dele que ele não quis dizer nada de mal. Eu estou chocado com o Big Brother e não contigo», diz, indo depois abraçar Hélder.

 

A primeira grande polémica do Big Brother 2020

Além de, no domingo, durante a primeira gala em direto, ter feito alguns comentários pouco apropriados em relação a Jéssica Nogueira, esta terça-feira, durante uma prova, o concorrente de Santa Maria da Feira fez um comentário homofóbico sobre Edmar.

Tudo aconteceu quando, enquanto completavam parte de um desafio de 72 horas lançado pelo Big BrotherHélder conversava com Soraia sobre a relação de 21 anos que o concorrente terminou recentemente e sobre os desejos que ele tem de construir uma família no futuro. Depressa a conversa escapou para as características (físicas e não só) que o participante mais aprecia numa mulher… e para a cumplicidade evidente com a colega.

«Se há coisa que adoro é falar com mulheres», afirmou Hélder. «Mulheres, no plural. Todo o tipo de mulheres. Venha o que vier à rede, o homem fala», sublinhou Soraia, virando-se para Iury, que assistia à conversa. «Calma, calma! Sei que lá para fora deve estar a passar a imagem de que sou mulherengo, mas não é isso. […] Eu prefiro ser mulherengo do que ser…», respondeu, apontando com a cabeça para Edmar, assumidamente homossexual.

Recorde aqui o resto da polémica e a reação de Pedro Crispim

 

Texto: Raquel Costa e Dúlio Silva | Fotos: TVI

 

 

PUB
Top