Guerra aberta! Helena Isabel responde ao ataque de Tucha e acusa-a de racismo

A vencedora da sexta edição da Casa dos Segredos já reagiu às declarações que Tucha proferiu acerca dela. Sobre elas, deixa no ar a ideia: «Não estaremos também na esfera do racismo?»

01 Mar 2020 | 11:30
-A +A

Reacendeu a guerra que opõe Helena Isabel a Tucha, ambas ex-concorrentes da Casa dos Segredos. Depois de a primeira ter sido duramente criticada por seguidores pelas várias cirurgias estéticas que tem feito ao longo dos últimos anos, a segunda veio atacá-la em declarações exclusivas à TV 7 Dias. Agora, surge a resposta da vencedora da sexta edição do reality show da TVI.

Minutos depois de a nossa revista ter noticiado que Tucha aconselha a inimiga a «parar de mexer na cara feia, porque está cada vez pior» e que «parece um zombie» e «um homem com mamas e cabelo», Helena Isabel insurgiu-se contra estas declarações com uma mensagem partilhada nas redes sociais.

«Na sexta feira, estive à conversa com a Fátima Lopes no A Tarde é Sua, onde falei sobre o cyberbullying. Parece que esta informação não chegou a todas as pessoas. Parece-me que é necessário propagar o bem e fazer com que as pessoas sejam responsabilizadas severamente por cada palavra que atente contra a dignidade de cada um», começou por escrever a alentejana, referindo-se concretamente às palavras que Tucha disse a seu respeito.

E continuou: «Neste caso, ‘someone from beyond’ [‘alguém do além’, em português] atentou novamente contra a minha pessoa. Numa era onde se defende tanto a igualdade, o respeito pelo próximo, onde se apregoa o ‘Não ao racismo’, eu gostava de saber, se eu me dirigisse publicamente a alguém de pele escura e dissesse ‘Tu és merda! És um zombie, és feia’, como seria. Claramente que seria apedrejada rapidamente pelo povo (esse julgador impiedoso), contudo, neste caso, não estaremos também na esfera do racismo?»

Helena Isabel deixou ainda uma mensagem a todos quantos a criticam, garantindo que está «completamente nas tintas para a opinião dos outros». «Quero apenas mostrar o outro lado. Por favor, sejam pessoas melhores! Para o vosso bem, para o bem daqueles que vos rodeiam!», pediu. «Eu sou livre de fazer aquilo que quero ao meu corpo! O meu corpo é propriedade minha!», revoltou-se, encerrando o texto com uma hashtag que sumariza o que acabara de escreber: «Stop bullying».

 

Texto: Dúlio Silva; Fotografias: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB
Top