Irmã de Luciana Abreu fala sobre morte de irmã de Yannick Djaló

Luísa Abreu era amiga da ex-cunhada de Luciana Abreu desde a altura em que a atriz foi casada com Yannick Djaló.

17 Set 2018 | 15:31
-A +A

Luísa Abreu não ficou indiferente ao trágico acidente e escreveu uma mensagem de despedida a Açucena Patrícia, a irmã de Yannick Djaló que morreu vítima de um atropelamento, aos 17 anos. A irmã de Luciana Abreu recordou o olhar «meigo» da jovem, assim como a sua coragem.

«Doce Açucena de olhar meigo, sorriso encantador e contagiante! Menina mulher corajosa e valente. Força da Natureza. Menina de coração puro. Ainda não consigo acreditar, desejava que tudo passasse de um pesadelo. Ainda há dias trocamos gostos,  como sempre. Descansa em paz Doce Açucena!», escreveu no Instagram.

Recorde-se que Yannick Djaló foi casado com Luciana Abreu e o casal tem duas filhas em comum. Luísa Abreu conviveu com a família do futebolista nessa altura. Apesar do casamento ter chegado ao fim, Luísa Abreu manteve uma amizade com Açucena. Neste momento, Luísa e Luciana Abreu estão de costas voltadas.

Luciana Abreu não comenta tragédia

Luciana Abreu ainda não se pronunciou publicamente sobre esta tragédia. A atriz divorciou-se do futebolista há cinco anos e, até ao momento, a artista não comentou nem partilhou nenhuma mensagem referente à jovem.

 

Rapper responsável pelo acidente isolado na cadeira

Abel Fragoso, de 21 anos, atropelou mortalmente a irmã de Djaló, na madrugada de sábado. A jovem de 17 anos não sobreviveu após o rapper ter investido de carro contra ela e mais cinco pessoas. Os outros cinco amigos de Açucena Patrícia estão vivos, mas com ferimentos.

O grupo ia numa rua cortada ao trânsito na Moita, durante as festas, quando foi surpreendido pelo carro de Abel. Foi assistida no local mas acabou por morrer no Hospital Garcia de Horta, em Almada.

ESPREITE TAMBÉM: TRAGÉDIA: Irmã de Yannick Djaló MORRE ATROPELADA

Assassino de irmã de Djaló ficou preso, indiciado por 12 crimes, 11 de homicídio qualificado.

Abel tinha tido um confronto, minutos antes, com um gangue, e achava que era estes que ia atropelar. O homicida está isolado no estabelecimento prisional do Montijo e é aí que passará os próximos três meses em prisão preventiva. Está nuam cela de adaptação, toma as refeições sozinho, e tem duas horas de recreio, também sozinho.

Fotos: Impala e reprodução Instagram

 

PUB
Top