Isabel Silva anda CANSADA…e a CULPA é do Love On Top!

Viciada em desporto, Isabel Silva não descura os treinos matinais para se sentir em forma. Porém, a apresentadora já manifesta alguma falta de energia…

12 Fev 2019 | 7:50
-A +A

Já são conhecidas as aptidões de Isabel Silva, de 32 anos, para o desporto. A apresentadora, que não prescinde de um estilo de vida saudável, gosta de acordar cedinho e aproveitar a manhã para correr. Porém, os últimos tempos têm-se relevado particularmente complicados e Belinha – como é carinhosamente tratada – já começa a manifestar algum cansaço.

«Desde agosto que trabalho aos sábados até de madrugada. Deito-me sempre por volta das 2h30 am. Para uma madrugadora como eu que adora acordar cedo, é uma ‘finta’ no meu metabolismo. Numa altura de preparação de Maratonas, pior ainda. Mas aqui o foco também é maior. Hoje tinha 20Km’s intervalados de alta intensidade. Dormi 7 horas e comecei a correr mais tarde, é verdade. Mas a energia nunca é a mesma quando o hábito é correr às 7 am», começa por frisar a menina do norte, neste domingo, dia 10 de fevereiro.

Veja também: Isabel Silva CONQUISTA com «CUECA ENGATADA NA GAVETA»

A apresentadora continua a justificar o que a empurra para o bom comportamento. «O meu intestino também andava baralhado e os gémeos irritados com os saltos altos que usei ontem à noite», sublinhou, fazendo referência à gala do Love On Top que conduz semanalmente. «Mas fui. Focada no Fartlek, mas sem a pressão do ritmo ideal. Pensamento limpo e positivo. Essa é a premissa. Pensar no presente e não viver na ansiedade de terminar o treino. Todas as sensações menos boas foram atenuadas com todos os runners que chamaram por mim. Sou uma sortuda», salienta, por fim, certa de que travou o caminho certo.

Veja também: REVOLTADA, Isabel Silva marca POSIÇÃO: «há causas sociais que merecem»

Por isso, há que registar o momento, através d’«a selfie mais feliz de 2019». Orgulhosa, Isabel Silva conta, ainda, que nem tudo foi perfeito. «Estava vento no retorno; muita gente a passear; a ‘tripa’ a falar mais alto e as pernas moídas do desgaste do fim de semana… mas eu segui. E importa seguir nestes treinos porque a mente também tem de ser trabalhada. É difícil estar em forma. E é fácil vacilar em dias como os de hoje. Acabei por cumprir os ritmos. E tudo porque não deixei a ansiedade falar mais alto», refere também. «Mas mesmo que o ritmo tivesse sido outro, pouco importa – o que realmente importa foi ter tirado o rabinho da cama e calçar a bela da sapatilha para correr.»

Certo é que, depois de todo o exercício, Belinha mergulhou nas águas frias de Carcavelos, que, garante, estavam incríveis.

Texto: Tânia Cabral; Fotos: Reprodução Instagram

 

PUB
Top