IURD nega ligação a música de Diogo Piçarra

A Igreja Universal do Reino de Deus esclarece que não têm qualquer direito sobre a música comparada com a de Piçarra.

28 Fev 2018 | 12:43
-A +A

A Igreja Universal do Reino de Deus anunciou esta quarta-feira, através de comunicado enviado à Lusa. que não tem qualquer ligação com a música «Abre os Meus Olhos», a mesma que estava a ser comparada com a de Diogo Piçarra, «Canção do Fim». 

«Face às recentes notícias que referem que a música composta e interpretada pelo cantor Diogo Piçarra na semifinal do Festival da Canção é um plágio de uma música da IURD [Igreja Universal do Reino de Deus] e de um pastor desta Igreja, vem a IURD esclarecer que tal não corresponde à verdade”, pode ler-se numa nota enviada à Lusa.

Esta nota vem corroborar o que avançámos no nosso site na passada segunda-feira. A TV7 Dias adiantou que «Abre os Meus Olhos» é um hino religioso de 1986 , da autoria do pastor Walter McCallister, fundador da Igreja Cristã Nova Vida, ramo da igreja evangélica brasileira.

 

A IURD sublinhou ainda que não «detém qualquer direito sobre esta música, nem o intérprete ali referenciado tem qualquer relação com a IURD». 

 

Fãs revoltados com desistência de Piçarra

O anúncio da desistência, feito por Diogo Piçarra esta terça-feira, 27 de fevereiro, apanhou todo o universo festivaleiro de surpresa. Ainda mais porque, no dia anterior, o próprio músico ter negado o alegado plágio

Nas redes sociais, os fãs de Diogo Piçarra expressaram, incrédulos, a sua deceção. 

 

 

 

 

 

A Universal Music, editora de Diogo Piçarra, já veio manifestar publicamente apoio ao músico, num comunicado publicado no Facebook.

 

A 50ª edição do Festival da Canção tem sido particularmente rica em polémicas.  Mesmo antes do arranque, José Cid e o sobrinho, Gonçalo Tavares, separaram-se. Gonçalo deveria ser o intérprete da Canção de Cid, mas divergências artísticas fizeram com que o músico avançasse sozinho.

Na primeira semifinal, um erro na contagem do televoto apurou, por engano, a música composta por Mallu Magalhães. A nova contagem acabaria por excluir Mallu da final e apurar Jorge Palma para a final deste domingo. Ainda durante esta semifinal, José Cid abandonou mais cedo a green room. O músico que não se apurou para a final, diria depois que o querem «destruir». 

Seguiu-se mais uma acusação de plágio, desta vez dirigida a Paulo Praça e à música «A Mesma Canção», que não se apurou para a final. 

A menos de três meses de Portugal receber pela primeira vez o Festival Eurovisão da Canção, a final nacional está envolta em uma das maiores polémicas de sempre. Até porque Diogo Piçarra era o favorito para a vitória… 

 

No próximo domingo, 4 de março, Portugal decide quem será o representante nacional no Festival da Eurovisão. 

 

PUB
Top