“Joana, és cabra”: Gritos provocam tumulto no “Big Brother” e comentadores condenam

Uma mulher foi às imediações da casa do “Big Brother” chamar “cabra” a Joana Albuquerque. Em estúdio, comentadores do reality show da TVI reprovaram a atitude desta anónima.

22 Mar 2021 | 20:30
-A +A

Na tarde deste domingo, 21 de março, os moradores da casa do “Big Brother – Duplo Impacto” foram surpreendidos com gritos e insultos. O alvo? Joana Albuquerque. As imagens foram mostradas durante o “Diário” desta segunda-feira e mostraram a concorrente visivelmente incomodada com sucedido durante uma conversa com Sofia Sousa.

“Estás triste?”, questionou a “mãe guerreira”, como é carinhosamente apelidada pelos fãs. Joana estava no jardim mansão da Ericeira com Sofia e questionou o teor dos insultos: “Estou pensativa. O que é que aquela gaja disse?”. A resposta da ex-concorrente da “Casa dos Segredos” não se fez esperar: “‘Bruno [Savate], larga essa cabra. Joana, és cabra, mentirosa’. Depois, não percebi mais nada, mas repetiu.”

 

“Bruno, larga essa cabra. Joana, és cabra”

 

De seguida, foram exibidas imagens do momento em questão. Passavam poucos minutos das 19 horas deste domingo quando se ouviu uma voz feminina a gritar do exterior: “Bruno, larga essa cabra. Joana, és cabra”. A “beta”, que estava no jardim com Sofia e Noélia Pereira, mostrou-se em choque com os insultos provenientes do exterior. Ouviu-se, então, um aviso da produção do “Big Brother” para os concorrentes se dirigirem para dentro da casa mais vigiada do País.

Mais tarde, a cascalense questionou Sofia Sousa: “Mas era alguém que nós conhecíamos?”. “Ai, amiga, eu não seu. Não conhecia aquela voz. Ele [Bruno Savate] estava a fazer um coração com as mãos [como gesto de agradecimento]. Possivelmente, deve conhecer. Perguntei-lhe se ele conhecia. Ele riu-se, mas não me respondeu”, contou a ex-namorada de Tierry Vilson. “Pois, já deve estar todo feliz”, retorquiu Joana.

 

Comentadores do “Big Brother” reprovam insultos do exterior

 

A emissão voltou a estúdio e os comentadores do “Big Brother” mostraram-se contra esta intervenção anónima. Liliana Aguiar foi uma delas. “Eu até sou das pessoas que não promovo muito a Joana aqui, até porque não tenho muitos motivos [para isso], mas agora devo confessar que foi agressivo. E não deve ser nada fácil estar fechada e de repente e ouvir um nome daqueles (…). Pode não ter demonstrado, mas não deve ter sido difícil ouvir aquilo. Acho que é sempre muito chato uma pessoa ser insultada de forma tão gratuita, principalmente quando não te podes defender”, afirmou. “Quem fez, não façam isso”, alertou ainda.

Andreia Filipe afinou pelo mesmo diapasão e reprovou ainda a atitude de Bruno Savate perante os gritos que se fizeram ouvir. “Não acho que tenha sido uma atitude bonita agradecer com um coração, porque ainda que ele esteja baralhado, que está a sentir a pressão do jogo, que esteja desiludido com a Joana… Tudo bem, tudo isso é legítimo, mas é uma agressividade tão gratuita num fim de um jogo, numa reta final. Não há necessidade deste tipo de invasão verbal, desta agressividade verbal para dentro da casa”, destacou a ex-concorrente do “Big Brother – A Revolução”

Quintino Aires sublinhou ainda outro facto que o chamou à atenção: “Não deixa de ser curioso, um homem tão sensível, que sofre o que sofreu com a morte de um gato e que em relação a um ser humano é tão insensível num sofrimento em que ele próprio também é ator. E quando vem de fora… é a segunda vez que ele faz isso”, explanou.

“Como é que alguém, que nos habituamos a ter carinho por ele, pela sensibilidade do sofrimento dele quando morre um gato e quando se trata de uma pessoa, parece que não consegue ter empatia (..)? É muito curioso”, acrescentou o psicólogo.

 

Texto: Alexandre Oliveira Vaz; Fotos: reprodução TVI e redes sociais

PUB
Top