Jornalista da CNN revela que tem cancro em estado avançado em direto

“Tire um segundo e nomeie oito mulheres da sua vida. Estatisticamente, uma delas vai ter cancro de mama. Eu sou esse número no meu grupo de oito amigas”, disse, emocionada.

10 Jan 2024 | 12:30
-A +A

A consagrada jornalista da CNN Sara Sidner, de 51 anos, surpreendeu os espetadores ao anunciar, ao vivo, a sua batalha contra o cancro da mama. Emocionada, partilhou que recebeu os resultados preocupantes de uma mamografia enquanto se dirigia a Israel para fazer reportagens sobre a guerra em curso.

Veja ainda: Comentadora: “Se me orgulho de ter atirado com água a um misógino?”

Mulheres negras têm 41% mais probabilidade de morrer

Enquanto apresentava as notícias, Sidner revelou a sua condição em estágio três da doença. Emocionada, iniciou a sua partilha: “Tire um segundo e nomeie oito mulheres da sua vida. Conte-as com os seus dedos. Estatisticamente, uma delas vai ter cancro de mama. Eu sou esse número no meu grupo de oito amigas”,

A jornalista, conhecida pela sua integridade e profissionalismo, enfatizou estar a enfrentar esta luta apesar de nunca ter estado doente, não ter histórico familiar da doença e manter um estilo de vida saudável, sem tabaco ou álcool.

Com dois meses de tratamento de quimioterapia já decorridos, Sara revelou que o seu percurso incluirá radioterapia e uma dupla mastectomia. Além disso, fez um importante alerta, destacando que mulheres negras têm 41% mais probabilidade de morrer de cancro da mama do que mulheres brancas.

Mantendo uma postura esperançosa em relação à cura, a jornalista aproveitou o momento para fazer um apelo emocional: “A todas as minhas irmãs, negras, brancas e castanhas, por aí, por favor, pelo amor de Deus, façam as vossas mamografias todos os anos, façam os vossos próprios exames, tentem apanhar o problema antes da fase em que eu o apanhei.”

Texto: Inês Borges; Fotos: DR
PUB