Jornalista da RTP passa «DUAS PAIXÕES» à filha com PARALISIA CEREBRAL!

Em entrevista na SIC, a filha de Mário Augusto confessou que pretende seguir as pisadas do pai. «Se não sonharmos, perdemos tudo», defendeu Rita Bulhosa, diagnosticada com paralisia cerebral.

02 Mar 2019 | 7:50
-A +A

Rita Bulhosa tem 19 anos e frequenta o primeiro ano do curso de Cinema. Uma paixão que herdou do pai, o jornalista da RTP Mário Augusto, conhecido por entrevistas e reportagens sobre o mundo de Hollywood. Pai e filha estiveram esta sexta-feira, 1 de março, no programa de Júlia Pinheiro, na SIC.

Apesar de estudar Cinema, Rita confessou que Mário também lhe passou o «bichinho» do jornalismo. «São duas paixões que o meu pai me passou», disse. Enquanto não decide qual delas quer para o seu futuro, sonha em ser produtora, mesmo sabendo que, em Portugal, esta é uma profissão «complicada». «Se não sonharmos, perdemos tudo», justificou.

 

Veja também: Reconhece esta atriz? É filha de ATORES CONHECIDOS!

 

Incentivada pelo pai, Rita já escreveu um livro, intitulado Aos Olhos da Rita, no qual escreve «sobre o mundo» que a «rodeia» e sobre o que lhe «vai na alma», explica na página de Facebook homónima, na qual é seguida por 32 mil pessoas. «Não gosto de dizer que escrevo bem, mas escrevo com alma», atira.

 

«Apressei-me e nasci antes do tempo»

 

É precisamente nesta rede social que Rita explica a sua condição e que a desdramatiza. «Nasci em Espinho em 17 de dezembro de 1999. Na verdade eu era para ter nascido dois meses depois, mas apressei-me e nasci antes do tempo. Por ter chegado mais cedo, passei dez dias fechada numa incubadora e essa pressa toda fez com que me fosse diagnosticada paralisia cerebral», escreve.

Logo a seguir, termina: «Dizem-me que foi por falta de oxigenação das células do cérebro. Não se assustem, isso não quer dizer nada de especial, apenas me condiciona a marcha, a minha forma de caminhar. Preciso de ajuda de uma canadianas».

 

Veja também: Sofia Arruda ESTÁ GRÁVIDA e sai da novela de António Barreira

 

Texto: Ana Filipe Silveira | Fotografias: arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB
Top