José Carlos Malato: «a relação com a minha mãe está bastante melhor»

O apresentador da RTP revela que se reaproximou da mãe, após uma fase de afastamento. A mãe de José Carlos Malato é testemunha de Jeová, crença que condena a homossexualidade.

22 Jan 2019 | 20:01
-A +A

«Depois da tempestade, vem a bonança» é um ditado que se aplica na perfeição ao momento que vive atualmente José Carlos Malato. Depois de um 2018 que descreve como um «tsunami», o apresentador da RTP conta que, agora, está a viver uma fase de acalmia.

E essa acalmia inclui uma reaproximação da mãe, Margarida, com quem estava de relações cortadas desde a morte do pai, em maio de 2018. «A relação com a minha mãe está bastante melhor. Chegámos a um acordo, não foi fácil o que se passou», explicou José Carlos Malato, à margem da apresentação das novidades do Festival da Canção 2019.

 

Veja mais: Novo programa de Malato já tem data de estreia

 

A mãe do apresentador da RTP é testemunha de Jeová, crença que acredita que a homossexualidade «desagrada a Deus», incentivando os fiéis a não manterem qualquer ligação com pessoas com qualquer orientação sexual que não a hetero.

 

Veja mais: Testemunhas de Jeová rejeitam homossexuais?

 

Em outubro passado, Malato chegou mesmo a revelar que receava ter perdido a mãe devido à religião que esta professa. Felizmente, as coisas parecem estar mais calmas. «É difícil. Uma pessoa está muito fragilizada, depois está rodeada de uma religião totalitária e castradora e que promove a desunião entre quem é e quem não é», explica, afiançando que a reaproximação com a progenitora tem sido gradual.

«Chegámos a uma base de entendimento e eu também compreendo que é o que ela pode fazer. Eu também tenho mais capacidade, porque sou mais novo, de tentar compreender e de tentar dar a volta ao assunto», conta.

 

Apresentador procurou ajuda psicológica

 

Em 2018, José Carlos Malato perdeu o pai, vítima de cancro. A relação com João Caçador terminou e, no final do ano, foi operado de urgência devido a problemas de saúde.

 

Veja mais: Malato operado de urgência!

 

Uma série de acontecimentos que o levaram a procurar apoio psicológico. «Fiz porque precisei, achava que era melhor. Estava tudo a desmoronar-se. Tive de encontrar um lugar na família, tive de reposicionar-me nas relações com a minha mãe, com a minha família de um modo geral porque falta aquele pilar. Mas as coisas agora já estão encaminhadas», garante. dizendo ainda: «Estou ótimo, dentro do luto e da ressaca. É uma ressaca de 2018 horrível. Mas aquele fim de ano na Madeira, com chuvinha, foi abençoado».

José Carlos Malato regressa ao pequeno ecrã a 27 de janeiro com o programa Portugal no Mundo.

 

Texto: Raquel Costa | Fotos: Arquivo Impala

PUB
Top