Exclusivo! Cid deixa recado na hora da vitória: «Mordam-se e podem morrer envenenados»

José Cid mostra-se feliz com a conquista de um Grammy Latino e reconhece que nem todos ficarão satisfeitos com esta vitória para a música portuguesa.

23 Ago 2019 | 19:30
-A +A

Há cerca de três meses, o telefone de José Cid tocou. Do outro lado, de Miami, estava o presidente dos Grammy Latinos com a notícia que agora está a agitar Portugal e o panorama artístico nacional.

Um dia depois do anúncio oficial, o artista – que teve de guardar segredo até agora – mostra-se feliz com a consagração, ainda que reconheça que nem todos irão gostar de o ver a receber o prémio de Excelência Musical – atribuído aos artistas que deixam a sua marca na música latina. Para esses, o artista deixa a mensagem: «Aprendam a cantar, mordam-se e podem morrer envenenados».

Reconhecido pela Academia Latina de Gravação por ter adaptado «sem esforço a influência da música popular anglo ao estilo original do pop-rock», José Cid confessa «estar muito contente». «No fundo, é um prémio para a pop e pop rock portugueses, do qual me sinto um orgulhoso representante, apesar de haver gente com muito talento em Portugal», começa por dizer à TV 7 Dias, acrescentando: «O prémio poderia ter vindo mais cedo, mas isso agora não importa. Há muito tempo que a música portuguesa e o pop-rock português merecia uma celebração a nível mundial. Mas somos um país muito pequenino. Espanha e o Brasil não querem saber de nós».

 

José Cid recebe mensagens de felicitação

 

Após o anúncio oficial, o telefone de José Cid nunca mais parou de tocar. «O senhor presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, falou ontem comigo [quinta-feira], mostrou-se muito satisfeito. Também o primeiro-ministro [António Costa] me ligou e foi de uma grande simpatia e carinho e a ministra da Cultura [Graça Fonseca] deixou igualmente a sua mensagem», adiantou o músico, frisando que recebeu mensagens de todos os quadrantes da sociedade.

«Um dos artistas que mais me importava era o Carlos do Carmo [que, em 2014, recebeu a mesma distinção], que me telefonou quase a chorar», frisou, adiantando: «Mas recebi muitas mensagens, muitos telefonemas, como a Mafalda Veiga, o André Sardet, o Paulo Gonzo, Rui Reininho, tanta gente…».

Certo de que este prémio é o reconhecimento de uma carreira que já leva mais de 50 anos e com grandes sucessos, José Cid admite que a maior consagração são os seus concertos, assistidos, por «multidões, velhos e novos, pessoas com crianças ao colo que não arredam pé durante os espetáculos». «Isso é que é a verdadeira consagração, a proximidade do público e o seu carinho infindável«, destaca o músico que hoje é a estrela-maior da cultura portuguesa.

Grammy Latinos celebram 20º aniversário

 

Este ano, os Grammy Latinos celebram o seu 20º aniversário, tornando ainda mais especial esta distinção a José Cid, que viajará até Las Vegas, nos EUA, em novembro para receber a estatueta de Excelência Musical. A gala, que irá decorrer no dia 13, no Waldorf Astoria Las Vegas, será conduzida pelo cantor e vencedor de um grammy Latino, Johnny Ventura, e pela jornalista mexicana Paola Rojas.

Outros nomes da música internacional serão galardoados, como Joan Baes, Eva Ayllón, Lupita D’Alessio, Hugo Fattoruso, Pimpinela, Omara Portuondo e José Luis Rodríguez ‘El Puma’. Em Portugal, só dois artistas tinham conquistado esta distinção: a soprano Elisabete Matos e o fadista Carlos do Carmo.

 

Veja ainda:
José Cid no Olimpo recebe prémio internacional após 50 anos de carreira
José Cid recebe prémio de Mérito e Excelência
Texto: Rita Montenegro | Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

 

PUB
Top