José Cid no Olimpo recebe prémio internacional após 50 anos de carreira

José Cid vai ser distinguido com o mais importante prémio da indústria musical. O autor de Um Grande, Grande Amor vai receber um Grammy Latino de excelência musical.

23 Ago 2019 | 14:10
-A +A

Ao fim de 50 anos de carreira, José Cid vai ser distinguido com o maior prémio da indústria musical. Esta quinta-feira, 22 de agosto, a Academia Nacional de Artes e Ciências de Gravação revelou que o músico português é um dos distinguidos com o Prémio de Excelência Musical, que vai celebrar as 5 décadas de carreira de Cid.

Nas redes sociais, o artista de 77 anos já reagiu à distinção. «Sem dúvida que este é, entre outros, o prémio mais importante de pouco mais de 50 anos de carreira como músico e poeta, um reconhecimento que o público Português nunca me negou! Antes pelo contrário! Estou também feliz porque o Pop rock Português, sempre tão impossibilitado de atravessar fronteiras, é reconhecido a este nível. Parabéns a todos os meus colegas que escrevem e cantam em Português !Bem hajam e que Deus nos proteja!».

José Cid junta-se assim aos outros dois portugueses distinguido com este Grammy Latino: o fadista Carlos do Carmo e a soprano Elisabete Matos. A cerimónia de entrega dos Grammy Latinos acontece a 14 de novembro em Las Vegas.

Em maio de 2018, José Cid foi distinguido com o Prémio Mérito e Excelência nos Globos de Ouro.

Marcelo Rebelo de Sousa telefonou a Cid

De férias em Lagos, Marcelo Rebelo de Sousa não quis deixar de felicitar o músico, anuncia uma nota publicada no site da Presidência da República. Marcelo «felicitou pessoalmente José Cid, por chamada telefónica a partir de Lagos, pela atribuição do muito merecido Grammy Latino por ‘Excelência Musical’», lê-se.

«O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou a importância de José Cid no panorama da música nacional e internacional, ao longo de uma brilhante carreira de seis décadas, agora justamente reconhecida. O prémio, anteriormente atribuído a Carlos do Carmo, distinguiu este ano nomes tão importantes quanto Joan Baez e Omara Portuondo, a quem a Academia reconheceu igualmente contribuições excecionais para a música latina», prossegue a mesma nota.

A Presidência da República acrescenta ainda que «do Quarteto 1111 ao Festival da Canção, do rock progressivo às baladas e aos sucessos trauteados por várias gerações, a constância e a diversidade de José Cid, há muito reconhecidas em Portugal, recebem agora uma distinção internacional que é justo motivo de orgulho para o premiado e para os portugueses».

 

Texto: Raquel Costa | Fotos: Arquivo Impala

 

Veja mais:
Com 50 anos DE CARREIRA, JOSÉ CID protagoniza DOCUMENTÁRIO
José Cid revela mágoa em relação à filha: «Nunca disse que me amava!»

PUB
Top