José Condessa revela detalhes surpreendentes sobre gravações de novela da TVI

Surf, mergulhos, trilhos e muitas aventuras. Assim foram as semanas de José Condessa durante as rodagens da nova novela da TVI, Cacau.

09 Dez 2023 | 23:15
-A +A

A viver uma fase intensa a nível profissional, José Condessa que vai dar vida a Tiago, na próxima novela Cacau, da TVI, não poderia estar mais satisfeito com este projeto que agora tem em mãos. Atualmente a rodar em solo luso, depois de uma passagem por Itacaré, no estado da Baía, no Brasil, o jovem ator revela algumas das memórias que guarda das semanas de rodagens em terras de Vera Cruz.

Leia ainda: Reação de Daniela Melchior a declaração de José Condessa alimenta rumores de romance

“Acordávamos às 5 da manha, para aproveitar a luz solar, mas depois estás a gravar no outro lado do mundo, a partilhar uma experiência nova, todos os dias juntos durante 15 dias, não só a trabalhar mas também a aproveitar. Essas memórias são das coisas mais bonitas que levamos, essa comunhão com os colegas. Até tentei fazer surf, deu para brincar e conhecemos praias paradisíacas que era difícil lá ir, é mesmo no meio do nada, andas numa trilha”. Aventureiro, José Condessa não esconde que chegou muitas vezes a partir para a ventura sozinho, durante os momentos de lazer, para descobrir alguns dos locais mais belos de Itacaré, onde gravaram algumas das cenas da novela.

“Fui muito à aventura. Gosto muito de pegar na mochilinha e, na tarde livre, ou nos dias que não gravava tanto, aproveitava para fazer uma trilha e descobrir aquele paraíso, aquilo é incrível. Temos imensas histórias de bastidores, temos um grupo muito fixe, muito novo, temos interesses muito comuns e temos malta a fazer novela pela primeira vez, e, a mim dá-me gozo saber acolher, explicar como é dinâmica e isso deu-nos uma ligação maior no Brasil”, reforçou, frisando ainda estar bastante satisfeito com o trabalho realizado no Brasil, que acredita que irá marcar pela diferença esta produção.

“Para marcarmos a diferença com a novela sabíamos que teríamos mais trabalho, a nível técnico dá-nos mais trabalho, as cenas não são simples porque queremos criar uma dinâmica diferente mais parecido com o que é feito em cinema e séries e isso obriga-nos mais vezes do que é normal uma cena. Mas, nós próprios já nos desafiamos e o Brasil foi o sítio onde tivemos mais tempo para fazermos aquilo que queríamos e conseguimos, a nível técnico as câmaras têm lentes diferentes, câmara ao ombro, mas somos muito mais felizes a fazer. Lá pudemos brincar com isso ao máximo com aquelas paisagens”.

Texto: Telma Santos (telma.santos@impala.pt)
Fotos: Zito Colaço
PUB