José Fidalgo perdeu o pai há um ano: «Saudades de adormecer ao som da tua voz»

José Fidalgo perdeu o pai, António, há um ano. O ator fez questão de homenagear o progenitor e deixou uma mensagem no Instagram.

25 Set 2020 | 12:30
-A +A

José Fidalgo perdeu o pai, António, há um ano. O ator fez questão de homenagear o progenitor e deixou uma mensagem no Instagram.

Numa fotografia onde aparecem os dois, Fidalgo escreveu: «Faz hoje um ano. Saudades de adormecer ao som da tua voz. Até um dia, meu pai. O teu puto», lê-se.

Nesta mesma publicação, o ator partilhou a letra de uma música de Zeca Afonso, Menino de Oiro.

Muitos foram os comentários deixados por amigos e fãs a apoiar o ator. Exemplo disso é Marcantónio del Carlo: «O teu pai era lindo. Saudades das conversas que tive com ele no fim dos espectáculos na Malaposta», escreveu o ator de Terra Brava, da SIC.

 

«Muito me honra em ser teu filho»

 

«Aqui estou eu e a família a prestar homenagem em tua honra, meu pai. Um moscatel para brindar a um homem que viveu como queria e muito me honra em ser teu filho. Até um dia, meu querido pai. Do teu menino de ouro». Esta foi a mensagem emotiva que o ator da SIC deixou em homenagem ao pai, António, há um ano, aquando da morte do progenitor.

Na mensagem que publicou na página do Instagram, José Fidalgo partilhou uma fotografia sua a fazer um brinde, optando por não revelar mais pormenores deste momento de dor.

 

«O meu pai desejaria que eu estivesse feliz»

 

Três dias depois de ter revelado que o pai morrera, José Fidalgo pisou a passadeira vermelha à entrada do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, para receber a 24.ª edição dos Globos de Ouro.

Presença habitual na cerimónia organizada anualmente pela SIC, o ator explicou aos jornalistas que não equacionou faltar ao evento por causa da morte do progenitor, cuja causa não foi anunciada. «O meu pai desejaria que eu estivesse feliz e continuasse a minha caminhada, como ele continuou a dele. Portanto, estou aqui por ele e estou aqui por mim», afiançou, ciente de que a sua presença é sinónimo de «trabalho».

«Com certeza que, se alguma coisa de grave acontecesse, ninguém estaria chateado se eu não estivesse aqui. Mas eu sei que o meu pai gostaria que eu estivesse aqui», acrescentou na altura Fidalgo, de 40 anos, negando que tinha uma relação distante com o pai. «A relação com o meu pai sempre foi boa e eu orgulho-me de ser filho de quem sou. Eu amo o meu pai», frisou.

Leia também:
José Fidalgo emociona ao recordar pai: «Para ti, por ti e sobre ti, serei eu»

 

Texto: Andreia Costinha de Miranda; Fotos: Reprodução Instagram

PUB
Top