José Luís de Casados está com a corda ao pescoço e desfaz-se dos bens

Foi para Suíça em busca de melhores condições de vida mas veio recambiado sem nada. O “conde” está desesperado e não sabe quanto tempo mais aguenta nesta situação.

06 Fev 2021 | 18:00
-A +A

Foi no final do mês de novembro que José Luís Cardoso partiu de autocarro para a Suíça na esperança de uma vida melhor. Nem um mês depois, o nortenho estava de regresso a casa com os seus sonhos desfeitos. “Eu estava em casa de umas pessoas amigas e sabia que só podia ficar até um determinado tempo e eu estava com muita esperança que conseguisse arranjar alguma coisa com alojamento ou até conseguir que outras pessoas me facilitassem o alojamento. Mas não consegui…”, diz, cabisbaixo. “Cheguei a uma altura que não tinha onde ficar nem para onde ir, não tinha dinheiro nem trabalho e lá vim eu outra vez de camioneta. Foi uma grande desilusão ia cheio de expectativas e vim com uma mão à frente e outra atrás”, lamenta o “conde”.

José Luís não esconde que está na miséria e vive da ajuda de duas tias. “É graças a elas que eu sobrevivo. Eu não tenho absolutamente nada, é muito triste mas é verdade. Tenho aqui meia dúzia de peças ainda da altura das antiguidades mas as coisas vão indo. O aperto é tanto que vou desfazer-me dos meus bens. Dos poucos que ainda tenho”, afiança, cabisbaixo. “É desesperante e não sei como dar a volta. Esta situação toda é muito constrangedora para mim”, sublinha.

Voltou da Suíça para a casa da sua mãe, mas a relação coma família em nada melhorou. “Continua tudo na mesma, a minha irmã a gozar a seu belo prazer a reforma da minha mãe, e nós aqui a passar dificuldades. A minha mãe também está na mesma”, revela o nortenho. “Eu já não sei se a minha mãe me trata assim porque está a ser coagida, se é por medo. Mesmo que queira ter uma conversa com ela não dá porque tem um nível de surdez tão elevado que é impossível. Vai-se vivendo um dia de cada vez, isto é absolutamente deprimente”, remata.

Dedicado às aulas de inglês

Sem projetos para o futuro e com muito tempo livre, José Luís tem aproveitado para ter aulas. “Sou uma lástima a Inglês, é uma vergonha dizer isto. Agora durante as manhãs estou a fazer umas um curso online gratuito. Aquilo é muito difícil, ai meu Deus não dou uma para a caixa…”, diz, a rir. “O meu filho tenta ajudar-me mas é muito complicado. É uma lacuna tremenda não saber nada de inglês. Sou uma grande desgraça, pareço um burro a olhar para um palácio”, confessa.

Texto: Maria Inês Gomes (ines.gomes@imapala.pt); Fotos: Reprodução Instagram

PUB
Top