Jovens atores e os presentes de Natal: “Dava o meu número ao Ronaldo. Para o conhecer”

São muitas as caras que entram nas várias tramas da televisão portuguesa, por isso mesmo a TV7 Dias conversou com alguns jovens atores sobre esta época festiva, e as respostas foram especiais.

24 Dez 2020 | 16:50
-A +A
Diogo Dourgette –  “Amar Demais”, TVI
TV 7 Dias – Complete a frase: “Para mim, o Natal é…”

Diogo Dourgette – … especial.

Qual o presente mais fora do comum que já recebeu?  

Um tablet. Adorei.

Qual o presente que mais gostou de dar? 

Não sei. Se calhar desenhos que eu faço.

O que não pode faltar à mesa na noite da Consoada? 

As filhós.

O que preferia receber este ano no sapatinho: um novo amor ou um novo trabalho? 

Um novo trabalho (risos).

Se pudesse oferecer algo a uma figura pública, o que lhe dava e a quem? 

Dava o meu número de telefone ao Ronaldo. Para conhecê-lo.

Acreditou no Pai Natal até que idade? 

Como assim? Ele existe.

Que memórias tem do Natal da sua infância? 

Estar sempre com os meus primos e irmos sempre ver as luzes de Natal.

Já ofereceu a alguém um presente que lhe tenham dado? 

Nunca.

Deixe uma mensagem de Natal a todos os portugueses. 

Feliz Natal e muito cuidado com o Covid. O próximo ano vai ser melhor.

 

Duarte Estrela – “Golpe de Sorte”, SIC
TV7 Dias – Complete a frase: “Para mim, o Natal é…”

Duarte Estrela – Família.

Qual o presente mais fora do comum que já recebeu?

Uma mala de senhora. Mas foi rápido, que o meu avô deu logo pelo erro, que se tinha enganado a escrever o nome no presente.

Qual o presente que mais gostou de dar? 

Aqueles que sou eu a fazer, principalmente desenhos. A família da minha mãe juntou-se toda, há uns anos, e fizeram um puzzle com todos da família, adorei distribuir as peças. 

O que não pode faltar à mesa na noite da Consoada?

Eu sei que o bacalhau não vai faltar, é aquele dia em que tenho mesmo de o comer. Mas à mesa, sendo uma noite especial, adoro as gargalhadas de todos.

O que preferia receber este ano no sapatinho: um novo amor ou um novo trabalho? 

Queria muito que a partir do Natal, pudesse dar abraços e beijinhos, sem estar preocupado com máscara ou em me desinfetar antes e depois. 

Se pudesse oferecer algo a uma figura pública, o que lhe dava e a quem?

Dava ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para que pudesse ajudar, uma lista dos meninos da minha escola que não têm computador para assistir às aulas e que ficaram sem aprender.

Acreditou no Pai Natal até que idade? 

Até aos 6 anos, quando percebi que o Pai Natal usava os sapatos do meu pai.

Que memórias tem do Natal da sua infância? 

O que eu adoro no Natal é estar com a minha família toda e fazer de amigo do Pai Natal, para distribuir os presentes para o meu irmão e para a minha prima. 

Já ofereceu a alguém um presente que lhe tenham dado? 

Não, mas eu tento cuidar de algumas coisas que me dão, para depois ficar para o meu irmão mais novo.

Deixe uma mensagem de Natal a todos os portugueses.

Desejo que tenham um Natal muito feliz, com saúde e a possibilidade de estarem com quem mais gostam.

Elgar do Rosário, “Golpe de Sorte”, SIC 
TV 7 Dias – Complete a frase: “Para mim, o Natal é…”

Elgar do Rosário – … alegria.

Qual o presente mais fora do comum que já recebeu?  

Uma caixa de chocolates. Não sou grande apreciador.

Qual o presente que mais gostou de dar? 

Uma rosa de cristal à minha mãe.

O que não pode faltar à mesa na noite da Consoada? 

Ice-Tea de limão.

O que preferia receber este ano no sapatinho: um novo amor ou um novo trabalho? 

Muitos novos trabalhos.

Se pudesse oferecer algo a uma figura pública, o que lhe dava e a quem? 

Dava um grande “bacalhau” ao José Raposo.

Acreditou no Pai Natal até que idade? 

Ainda hoje gosto de acreditar.

Que memórias tem do Natal da sua infância? 

Dos enfeites de Natal e o calor da casa com a família.

Já ofereceu a alguém um presente que lhe tenham dado? 

Já. Chocolates ao meu irmão.

Deixe uma mensagem de Natal a todos os portugueses. 

Paz, amor, saúde e fé em Deus.

 

Tomás Bastos Sousa, “Golpe de Sorte”, SIC
TV 7 Dias – “Para mim, o Natal é…”
Tomás Bastos Sousa – … a festa mais importante da família.
Qual o presente mais fora do comum que já recebeu?
Recebi umas meias muito engraçadas. Pareciam uma luvas. Dava para encaixar todos os dedos do pé em cada parte. (risos)
Qual o presente que mais gostou de dar? 
Adorava os presentes que fazia na primária na parte do Atl. Presentes feitos por mim com a ajuda das monitoras. Eram sempre muito originais e os meus pais gostavam muito de os receber.
O que não pode faltar à mesa na noite da Consoada? 
Bacalhau ou perú. A família toda junta.
O que preferia receber este ano no sapatinho: um novo amor ou um novo trabalho? 
Adorava receber um novo trabalho para uma novela. Adoro representar, é muito divertido. Aprendo muito e faz-me crescer enquanto ator.
Se pudesse oferecer algo a uma figura pública, o que lhe dava e a quem?
Eu escolhia a Carolina Carvalho, ela fez de minha mãe no “Golpe de Sorte” e é alguém que guardo no meu coração. Dava-lhe um peluche gigante.
Acreditou no Pai Natal até que idade? 
Acreditei no Pai Natal até aos nove anos. Havia sempre alguém que fazia de Pai Natal… Até que um dia o disfarce não estava perfeito… E eu descobri que era o meu vizinho.. Foi um choque.
Que memórias tem do Natal da sua infância? 
A chegada do pai a casa, onde ele chegava com as prendas e eu dava-lhe uma bolacha e um copo de leite.
Já ofereceu a alguém um presente que lhe tenham dado? 
Não, nunca faria isso.
Deixe uma mensagem de Natal a todos os portugueses.
Desejo um feliz Natal a todos, com muita saúde. Que vivam o melhor possível, que o amor esteja sempre presente no coração de todos ao longo de todo o ano. A vida passa muito depressa e nunca sabemos o tempo que nos resta por cá. Sejam felizes, façam por isso.
Isaac Carvalho 
TV 7 Dias – “Para mim, o Natal é…”

Isaac Carvalho – Um dia de união.

Qual o presente mais fora do comum que já recebeu?
Foram uns auscultadores enormes.
Qual o presente que mais gostou de dar? 
Foram uns bonecos antigos aos meus avós.
O que não pode faltar à mesa na noite da Consoada? 
Para mim arroz polvo vem mesmo a calhar.
O que preferia receber este ano no sapatinho: um novo amor ou um novo trabalho? 
Um novo trabalho.
Se pudesse oferecer algo a uma figura pública, o que lhe dava e a quem?
Oferecia ao meus pais da ficção uma foto nossa a recordar os bons momentos que passamos juntos.
Acreditou no Pai Natal até que idade? 
Acreditei até aos sete anos.
Que memórias tem do Natal da sua infância? 
Quando alguém da família se veste de Pai Natal.
Já ofereceu a alguém um presente que lhe tenham dado? 
Por acaso não.
Deixe uma mensagem de Natal a todos os portugueses.
Apesar de ser um Natal diferente, não se deixem afetar pela pandemia e vivam o espirito natalício. Desejo a todos um Feliz Natal.
Tomás Andrade, “Terra Brava”, SIC
TV 7 Dias – “Para mim, o Natal é…”
Tomás Andrade – A melhor altura do ano.

Qual o presente mais fora do comum que já recebeu?

Por acaso acho que até hoje nunca recebi nenhum presente fora do comum.
Qual o presente que mais gostou de dar?
Um anel que dei à minha mãe e que era quase igual a um que ela tinha perdido. Era um anel que ela tinha já há um tempo é que era o seu favorito.
O que não pode faltar à mesa na noite da Consoada? 

Na nossa casa temos a tradição de fazer filhós, bacalhau cozido, rolo de carne e lasanha de castanhas (uma receita que a minha mãe inventou para os vegetarianos da família). E muitos, muitos doces, em especial, chocolates.

O que preferia receber este ano no sapatinho: um novo amor ou um novo trabalho? 
Um novo trabalho.

Se pudesse oferecer algo a uma figura pública, o que lhe dava e a quem?

Dava um bilhete para um concerto dos “Royal Blood”, ao Diogo Valsassina, porque sei que ele gosta de música rock.

Acreditou no Pai Natal até que idade? 

Acho que foi até aos sete/oito anos, por aí.

Que memórias tem do Natal da sua infância? 

Os jantares em família, a excitação para abrir os presentes a seguir ao jantar e os pequenos teatrinhos que a minha avó paterna gosta de organizar e que nós também gostamos de fazer.

Já ofereceu a alguém um presente que lhe tenham dado? 
Por acaso, acho que não.

Deixe uma mensagem de Natal a todos os portugueses.

Espero que tenham todos um bom Natal, que se divirtam, mas que se mantenham resguardados, em segurança.

Fotos: Gentilmente cedidas por True Sparkle.

PUB
Top