Judite Sousa recusa falar de movimento feminista

Judite Sousa pronuncia-se sobre o tema e não é a favor do movimento #Metoo

24 Mar 2018 | 12:38
-A +A

 

Judite Sousa tem vindo a partilhar fotos bastante sugestivas na sua página de Instagram e anuncia novidades para abril. Este sábado, dia 24, falou sobre o tem assédio sexual.

«Como já terão percebido os mais atentos, nas próximas semanas vou ser tema de comunicação pública, em razão exclusivamente do meu trabalho. Dito isto, quero desde já dizer que não tenciono perder um segundo do meu tempo a falar de um tema que entrou há alguns meses na agenda: o hashtag Me Too», começa por dizer, colocando-se á margem do movimento feminista.

Leia também: O look arrojado de Judite

«O produtor cinematográfico Harvey Weinstein é um grande tonto. É sabido que assediou muitas actrizes para as ter na mão, julgava ele. Umas foram na conversa; outras não. Mas o que também é certo é que essas “assediadas” tinham poder, nomeadamente económico para dizerem que sim ou que não. Porquê? Porque são das mulheres mais poderosas e ricas da indústria de Hollywood. Vejamos dois exemplos: Uma Thurman é uma actriz consagrada. Vale milhões. Ficou grávida de um multimillionário chamado Arpad Busson que, por sua vez, tinha sido casado e pai dos dois filhos da Top Elle Macpherson, também conhecida pelo nome” o corpo”. Quando ela percebeu o perfil, deu-lhe ordem de marcha», pode ler-se.

Judite Sousa fala ainda de Salma Hayek , que ficou grávida de um dos homens mais ricos da indústria da moda, o francês Henri Pinnault, dono, entre outras marcas, da Gucci.

A jornalista termina, considerando que o movimento Me Too algo «que leva a mensagens muito intelectualizadas mas que mais não são do que conversas de travesseiro #metoo #naoobrigada».

PUB
Top