Kelly Bailey e Lourenço Ortigão: namorados à força!

Kelly Bailey e Lourenço Ortigão pediram para não formar par romântico na Prisioneira mas os responsáveis da TVI não acederam ao solicitado. O casalinho vai namorar na segunda temporada da novela.

07 Set 2019 | 20:10
-A +A

No início, Lourenço Ortigão tinha pedido para não fazer par romântico com Kelly Bailey, que, como se sabe, é a sua namorada na vida real – até porque no projeto anterior, A Herdeira, eles tinham sido um casal. Porém, nesta segunda temporada de Prisioneira, a TVI não deu ouvidos ao casal e vai mesmo pô-lo a trocar beijos apaixonados.

«Fui mal-interpretado, o que pedi foi para fazer coisas diferentes, e disse que não fazia sentido começarmos a novela como namorados. Mas não escolhemos essas coisas, estamos aqui para fazer o que nos mandam, estamos aqui para cumprir», explica Lourenço Ortigão, que não gosta que o público confunda a ficção com a realidade: «O que acontece muito é que as pessoas já confundem
o que é real e o que não é real. Nós somos o casal, mas quando discutimos na novela não discutimos na vida real… As pessoas habituam-se a ver: aqueles são amigos, aqueles são namorados… Na verdade, nós somos pessoas normais e o meu inimigo na novela pode ser o meu melhor amigo na vida real. As pessoas acabam por confundir um bocado e ficam com uma imagem da novela associada a nós e isso, sinceramente, não gostamos. É por isso que no início da novela tivemos essa vontade. Somos só um casal
normal que fazemos uma vida muito gira», refere o intérprete de Fredy que na segunda temporada vai mesmo trocar beijos com a rebelde Glória, até porque para Lourenço é o que faz mais sentido acontecer.

«Eles gostam um do outro e isso percebe-se desde o início na história e, portanto, vão ficar juntos», diz o intérprete, que fez uma pausa ao lado de Kelly. Os dois estiveram a relaxar uns dias no Algarve e no Porto Santo, para ganhar fôlego para mais dois meses de gravações.

Nesta segunda temporada de Prisioneira, Fredy e Glória vão ter de sofrer mais um pouco. Até porque a mãe dele, Telma (Julie Sergeant), quer à força casar o filho com Renata (Filipa Pinto): «Passam-se
quatro anos. O Fredy, entretanto, voltou a aproximar-se da mãe e vive um bocadinho na sombra dessa mulher, que é uma péssima influência na vida dele. Ele não tem maldade, ela é que tem. Ela tenta à sua maneira, e que não é a melhor, trazer o filho para perto dela…», diz, sem entrar em detalhes, mas a acreditar que o público vai torcer por um final feliz entre Fredy e Glória.

«As pessoas vão torcer, tenho a certeza que sim, até porque ela sai da prisão e há ali uma situação muito
injusta com a Glória. O Fredy está envolvido, não sabe, mas está, e depois quando se descobre a verdade, eu tento vingar a situação injusta pela qual a Glória passou.»

Kelly Bailey: «sonho ser mãe»

 

Kelly Bailey é adorada nesta novela. Não só pelo público, mas também pelo elenco juvenil desta trama. A atriz, que nesta temporada vai tomar conta de crianças, será mãe de uma menina de cinco anos. «Por incrível que pareça está a ser muito giro gravar com uma criança. Quando me disseram que
eu ia ser mãe pensei: ‘bem, mais um desafio’, porque não sou mãe, apesar de gostar muito de crianças, dou-me bem, mas gravar com crianças pode não correr muito bem», diz.

«Acho que a parte boa de gravar com crianças é que eu acho que elas são muito espontâneas e aquilo é tudo real, todas as reações delas são reais, portanto é maravilhoso gravar com crianças, também estou
a trabalhar com outros miúdos», diz a artista, que vai ser preceptora de quatro crianças. «Entretanto sou a Nanny Mcphee, um filme que eu adorava, portanto estou a inspirar-me um bocadinho nesse filme», explica Kelly, que está a gostar de ser mãe na ficção:

«Eu sonho ser mãe, não tenho problemas nenhuns em ser mãe na ficção. Pronto, é diferente, não é um bebé, é uma miúda que já tem uma certa idade, mas para mim está a ser um grande desafio porem-me como mãe. Na próxima novela já me vão pôr como avó», refere, a brincar, frisando que a sua Glória vai ser uma mulher diferente, menos explosiva.

«Até porque quatro anos na prisão fizeram com que ela refletisse sobre tudo. Já não é tão agressiva, e quando se chateia, é com calma. Como foi mãe e o objetivo dela é recuperar a guarda da filha, teve de aprender a lidar com as coisas».

Kelly Bailey assume que gosta de contracenar com a sua cara-metade: «Claro que é ótimo trabalhar com
o Lourenço e cada vez mais tem sido… nós ligamos um chip no trabalho e em casa é completamente outro. Quando estamos aqui estamos muito cada um na sua, a fazer a sua parte… é mesmo o que acontece. Nós entramos em estúdio e precisamos mesmo de criar essa distância, acho que é importante para todos. Quando estamos no trabalho é completamente diferente de quando estamos em casa», revela.

Texto: Mafalda Dantas | Fotos: Paula Alveno e Impala

 

(texto originalmente publicado na TV 7 Dias 1694)

 

Veja mais:
Kelly Bailey revela futuro «completamente diferente» de Prisioneira!
Kelly Bailey faz rara declaração de amor a Lourenço Ortigão: «Ele é mesmo a minha metade»

PUB
Top