Liliana Queiroz relata momento em que ‘bateu no fundo’: “Queria desaparecer”

Liliana Queiroz revela que teve uma depressão após a morte do pai. A antiga modelo falou ainda sobre a toxicodependência dos pais que contribuiu para o seu estado.

13 Mai 2023 | 10:00
-A +A

Liliana Queiroz esteve recentemente à conversa com Maria Botelho Moniz no programa ‘Goucha’ da TVI, e recordou o passado com um testemunho comovente sobre o período de toxicodependência dos pais, bem como a depressão que sofreu após a morte do pai.

“Foi uma infância um bocadinho perturbadora, mas bastante cuidada. Ao mesmo tempo que via esta situação de toxicodependência, toda a minha família tentava proteger-me ao máximo dessa mesma situação”, começou por dizer.

A antiga modelo, que chegou a ser miss Playboy, contou que não tinha noção do que era a droga: “Lembro-me de abrir a porta e de ver, de facto, qualquer coisa como pratas a queimar. Aquilo, para mim, era algo suspeito. Senti que algo não estava bem para a minha mãe encostar a porta e perguntei”. A ex-concorrente do ‘Big Brother VIP’ revelou que foi protegida pela restante família que a colocou a viver em casa dos avós paternos.

Apesar da situação que viviam, os pais mostraram-se sempre atentos à filha: “Sempre foram meiguinhos comigo e sempre se preocuparam com a minha educação, apesar de tudo o que estava a acontecer na vida deles. Apesar das más escolhas, eu seria sempre uma prioridade para eles, principalmente, da parte do meu pai”.

Aos 15 anos, a mãe de Liliana Queiroz faleceu, o que contribuiu para a sua revolta: “Foi o primeiro impacto, o primeiro trapézio que dei grande na vida (…) Eu já sabia o porquê e a causa e isso claro que é sempre uma revolta, o saber o porquê que ela faleceu mais cedo”. Após a morte da progenitora, a ex-modelo refugiou-se no pai: O meu pai esteve sempre ali, manteve-se rijo, tanto que ele sempre foi o meu melhor amigo… O controlo emocional que ele tinha, o foco emocional que ele tinha era de tanta proteção para comigo, que ele conseguia controlar as próprias emoções para me poder aclamar e dizer ‘está tudo bem'”.

No entanto, aos 25 anos a vida da jovem voltou a sofrer uma reviravolta com a morte do pai: “Aí, foi quando me tiraram o chão… tinha acabado de ganhar o concurso internacional, estava a fazer imensas coisas aqui em Portugal em televisão”.

Durante cerca de sete anos, Liliana sofreu com uma “depressão muito grande”: “Percebi que estava numa depressão. Não foi de imediato, mas todos os sintomas e pensamentos que eu tinha consegui sempre identificar que seria uma depressão bastante grande que eu tinha. Fazia de tudo para dormir (…) Não queria existir. Na altura, não sentia que a minha existência fosse necessária a alguém ou até mesmo a mim. Houve uns longos anos em que eu senti-me completamente desapoiada… queria desaparecer várias vezes”.

Liliana Queroz percebeu então que os pais não iriam querer que a filha sofresse, e foi este pensamento que a levou a sair daquele estado. “Eu não tenho que, obrigatoriamente, ter uma vida triste porque ambos os meus pais tiveram um fim triste. Eu posso mudar as coisas, eu posso reverter a história”, rematou.

Veja aqui um excerto da entrevista:

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Goucha (@gouchatvi)

PUB