Ljubomir Stanisic acusado de assédio por ex-concorrente do Hell’s Kitchen

Ljubomir Stanisic e a produtora do Hell’s Kitchen foram processados por Cândida Baptista por um alegado à dignidade. Agora, a ex-concorrente diz que foi assediada pelo chef.

04 Mai 2022 | 11:50
-A +A

Ljubomir Stanisic está a ser acusado de assédio por Cândida Baptista, que conquistou o terceiro lugar no programa “Hell’s Kitchen”, da SIC. A ex-concorrente já tinha processado o chef e a produtora do formato, a Shine Iberia Portugal, por um alegado ataque à sua dignidade, no qual pede uma indemnização de 40 mil euros.

Os factos apontados por Cândida Baptista remontam ao período entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, quando decorreram as gravações de “Hell’s Kitchen”, que estreou em março de 2021. “Este é um processo sobre o tratamento que eu tive dentro do programa. Fui assediada pelo chef Ljubomir e isso foi óbvio“, revela agora a uma revista semanal.

Dá-me nojo tudo o que aconteceu, a situação inteira… Nem consegui assistir ao programa. Não tirei proveito das entrevistas, fotos, eventos, porque dá-me um embrulho no estômago só de pensar. Cada vítima tem um jeito de lidar com isso e eu preferi nem ver nada. Só vi o da semifinal, não consegui ver mais nenhum”, disse à TV Mais, sublinhando que não foi a única concorrente a sentir-se incomodada com o “comportamento inapropriado” de Ljubomir Stanisic: “Duas pessoas que também participaram no programa entraram em contacto comigo para dizer que aconteceu o mesmo, que era exatamente assim que elas se sentiam”.

“Outras pessoas reclamaram. Vários telespectadores sentiram-se incomodados. Foram 13 as denúncias à ERC [Entidade Reguladora para a Comunicação Social] sobre esse assunto (…) E do que eu vivi, nem tudo foi para o ar. Se algumas coisas que passaram no programa deixaram as pessoas chocadas ao ponto de fazerem uma reclamação, imaginem o que é que pode ter acontecido e que não viram. O processo é sobre isso mesmo, o que aconteceu nos bastidores, que é bem mais do que as pessoas conseguiram ver em casa“, disse ainda.

Cândida Baptista revela ainda à mesma publicação que há mais uma ex-concorrente do programa a queixar-se de assédio sexual de Ljubomir Stanisic e que “há um processo em andamento” além do seu. No entanto, disse que não podia revelar se houve contacto físico ou alguma tentativa por parte do chef: “Isso são coisas que fazem parte do processo e só posso falar sobre isso na justiça”.

 

Cândida Baptista diz ter provas contra Ljubomir Stanisic

 

Desde que tornou público o seu processo contra Ljubomir Stanisic, Cândida Baptista revela que tem recebido várias mensagens ofensivas nas redes sociais. “Recebi muitas mensagens de várias pessoas dizendo: ‘Veio fazer o quê então, brasileira?, ‘Porque não volta para a tua terra?’, ‘Tinha de ser brasileira!’ Esse tipo de coisas. As pessoas falam do que não sabem”, contou, explicando que não é o dinheiro que a move: “O que importa aqui não é o dinheiro. Aliás, se me calar e fizer qualquer acordo financeiro, isso só beneficia o meu agressor. Quando se fala no assunto, outras vítimas das mesmas situações conseguem perceber que existe lei, que existem pessoas que têm interesse em que ela seja cumprida. Que nós, mulheres, temos direito a chegar ao nosso ambiente de trabalho e não sermos assediadas e julgadas porque tivemos um homem ou 50, ou andamos nuas ou vestidas… Mulher não tem de ser tratada como mercadoria, objeto ou como se fosse de acesso fácil“.

A concorrente que ficou em terceiro lugar no “Hell’s Kitchen” não tem dúvidas de que aquilo que viveu nas gravações com Ljubomir Stanisic a condicionou na competição. “Obviamente que a Francisca e o Lucas [que ficaram em primeiro e segundo lugar] são cozinheiros excelentes, ia ser uma briga bem difícil. Mas tudo o que sofri influenciou muito a minha prestação, o meu desempenho. Não queria estar ali, estava extremamente desconfortável. O meu melhor momento foi quando senti o alívio de saber que era o meu último dia. Já estava em terceiro lugar e até falei para um colega meu: ‘Agora f***-se, ele [Ljubomir Stanisic] vai fazer o quê? Vai-me mandar embora?’ Estranhamente foi o dia que menos teve interação comigo”, lembrou, acrescentando ainda que, se o caso avançar para julgamento, tem provas de tudo o que diz: “Tudo aconteceu num estúdio de televisão. Existem áudios, imagens, alguém com o telefone na mão que fez um vídeo, tem gente que pode falar sobre isso…”

 

Texto: Patrícia Correia Branco; Fotos: Reprodução redes sociais e Divulgação SIC

PUB