Ljubomir Stanisic passa-se com «falta de humildade» de dono de restaurante

Ljubomir Stanisic visitou o restaurante O Histórico, na Marinha Grande, e ficou de cabelos em pé. O chef de Pesadelo na Cozinha da TVI, enervou-se e deu dois murros na mesa… literalmente!

16 Dez 2019 | 12:30
-A +A

Ljubomir Stanisic foi chamado à Marinha Grande para entrar em ação. É no restaurante O Histórico, no centro da cidade, que tudo se passa. O terceiro episódio da temporada de Pesadelo na Cozinha, da TVI, deste domingo, 15 de dezembro, ficou marcado por vários ataques de nervos, tanto do chef como do staff, e por vários desentendimentos entre todos, provocando alto clima de tensão.

Vamos por partes. Leonel, é o dono do restaurante e o cozinheiro do mesmo, e assume logo no início do programa que o seu maior problema é não está preparado para agir com rapidez na hora de servir os clientes. Leo, como é chamado por todo, é apaixonado pelo mundo da cozinha, mas, gosta de o fazer «com calma».

Leo trabalha com Vânia, sua mulher e empregada de mesa; Maria Clara, ajudante de cozinha; José, copeiro; e, de vez em quando, com Raquel, filha do casal, que está a tirar um curso e ajuda quando há necessidade.

Apresentações feitas, Ljubomir chega ao estabelecimento e, para sua surpresa, não aparece ninguém para o receber. «Vamos tentar outra vez», brinca, enquanto sai e volta a entrar no restaurante. O chef senta-se à mesa e, ao ver os minutos passar, queixa-se do tempo de espera e da falta da ementa. Quando finalmente é informado dos pratos existentes, decide: «Quero provar de tudo.» Não passa muito tempo até Ljubomir opinar sobre o que comeu. «Ups, isto está na m***a», diz de imediato.

 

Leo acusa pressão enquanto cozinha para o chef: «Não me peçam é rapidez»

Na cozinha, Leo não consegue disfarçar os nervos enquanto prepara os pratos para o chef. «Quando fico sob pressão sinto que as coisas não querem fluir», diz. «Tento trabalhar a comida de forma mais saudável possível… mas não me peçam é rapidez. O comboio descarrila logo que é num instante», afirma.

Enquanto isto, mais uma vez, não aparece ninguém na sala de jantar para servir. Ljubomir parte um prato para chamar a empregada. «Estou-me a irritar, estou há duas horas à espera.» Na cozinha, Leo entra em stress: «não tenho quatro braços, nem cinco.» Já fora de si, o chef vai-se embora e diz que volta da parte da noite, com mais calma. «Tenho uma definição para este restaurante – pré-histórico», diz para as câmaras.

Depois de arejar as ideias, Ljubomir regressa como combinado para ajudar na cozinha. «Sabes qual é a coisa mais cara do mundo? O Tempo», dirige-se a Leo. De seguida, faz uma lista com todos os problemas e escreve-os diretamente na parede .

A limpeza dos equipamentos e a falta de organização do material e dos funcionários são os primeiros pontos descritos. Depois disso, afirma que até «o molho é uma m***a!» A liberdade na cozinha é como sexo. É deixar fluir», brinca com Maria Clara, provocando-a de certa forma.

Enervado com a falta de humildade de Leo, Ljubomir irrita-se. «Esta gente não precisa de ajuda. Vamos mas é embora daqui. Casa», grita para as câmaras. «O que eu devia fazer agora era arrumar as coisas e ir embora. Não estamos aqui para nada.». Posto isto, o chef vem cá fora, conta até 10 e despede-se: «até amanhã.»

 

Ljubomir passa-se com Leo: «Tu jeito não tens»

No dia seguinte, Ljubomir esclarece tudo com Leo. «Tu jeito não tens. O teu molho para mim é uma m***a. Podes metê-lo no c* se quiseres.» «Pensava que era melhor do que o que sou», diz Leo. Insatisfeito com a prestação do gerente, Ljubomir diz-lhe: «Isto está literalmente na m***a. A tua mulher vai-se começar a passar e a tua filha não vai querer trabalhar contigo!»

«Já passei noites em claro a pensar qual seria a solução para isto. Empenhei aqui a minha vida», diz Leo, emocionado. Ljubomir baixa a guarda e orienta a equipa na cozinha. «Vou apostar a minha formação em ti. Pareces-me inteligente», direciona-se para Maria Clara.

Quando tudo parece mais calmo, Leonel deixa queimar a carne. Ljubomir perde a cabeça e enerva-se, uma vez que Leo quer servir carne queimada, que passou no micro-ondas, aos clientes. «O senhor Leo chamou-me para o ajudar mas ele sabe mais do que eu.» Ljubomir volta a sair do restaurante para ir apanhar ar.

«O que eu mais gosto deste homem é que ele ataca e foge», diz o proprietário também já com os nervos à flor da pele. «Falta de humildade», é o que o chef aponta a Leo e à mulher.

«Os conhecimentos do chef são mais do que muitos, mas não significa que a comunicação connosco seja a mais eficaz», diz Vânia, também já incomodada com todo o ambiente que a rodeia.

Ljubomir perde a cabeça. Bate nele próprio, dando murros na cara. Depois, liberta os nervos com dois murros na bancada da cozinha. «Não gostei das tuas respostas nem das da tua mulher!», garante.

 

«No teu lugar fugia dali»

Mais calmo, Ljubomir reúne-se com Raquel, a filha do casal. «O teu pai é extremamente desorganizado… No teu lugar fugia dali», afirma. «É preciso saber ouvir… Não me fui embora naquele dia porque vi alguém naquela família com capacidades», diz, referindo-se a Raquel.

Seguidamente, fala a sós com Leo. «Não começámos nada bem… Falas mais do que eu. Este negócio, na minha opinião, não vai mudar.» Leonel emociona-se e fica de lágrimas nos olhos.

«A tua filha é a pessoa mais estável e mais trabalhadora», assegura-lhe o chef. «Não te vou dar o peixe. Vou-te ensinar a pescar», avisa-o.

Relativamente a Maria Clara, Ljubomir reconhece-lhe capacidades enquanto cozinheira. «Gostei muito de trabalhar contigo. Fizeste um ótimo trabalho», elogia.

 

Renovação do espaço

O staff volta ao restaurante e é surpreendido com alterações no espaço. As paredes foram pintadas, de forma a dar ao local um «estilo mais homogéneo»; houve uma substituição e limpeza de equipamentos e Leo não poderia estar mais satisfeito. «Fiquei muito agradado», afirma.

Para além da renovação do espaço, também há uma mudança da ementa. Pratos de carne e pratos de peixe de forma organizada. «Acho que é o caminho mais fácil para o teu negócio», partilha Ljubomir enquanto lhe apresenta as iguarias: algumas melhoradas e outras completamente novas no menu.

«Provei tudo e deliciei-me», partilha Leo. «Posso dar-lhe um abraço?» pergunta ao chef, agradecido por toda a ajuda. «Afinal, este homem acha que tenho pernas para andar e que pode puxar por mim.»

 

«Isto só depende de ti»

Quando abrem o restaurante ao público, Vânia sente-se insegura e com receio de falhar. Entusiasmado com os clientes, que começam a chegar, Leo esquece-se de avisar o chef  e Maria Clara na cozinha para começarem a preparar os pratos. Ljubomir passa-se! Leo acaba por pedir desculpa.

«Vou-te dizer uma coisa. Primeiro: Isto só depende de ti; segundo: isto só depende ti; e terceiro: isto só depende de ti», termina, depositando toda a confiança em Leo.

Os funcionários e o dono do restaurante garantem ter aprendido tudo ao mais ínfimo pormenor e acabam com uma agradecimento ao programa Pesadelo na cozinha e, em particular, ao chef Ljubonir Stanisic.

Texto: Joana Dantas Rebelo, Fotos: Divulgação TVI

 

PUB
Top