Lojistas protestam contra facto de serem obrigados a ir trabalhar. Veja os vídeos

Hoje, pelas 14h, lojistas do Braga Parque manifestaram-se do lado de fora das lojas contra o facto se serem obrigados a ir trabalhar.

15 Mar 2020 | 17:40
-A +A

Hoje, pelas 14h, lojistas do Braga Parque manifestaram-se do lado de fora das lojas contra o facto se serem obrigados a ir trabalhar.

Saíram das lojas, desligaram a música e bateram palmas como forma de protesto. Nos vídeos pode ver-se o centro comercial praticamente vazio. Nas redes sociais, antes do protesto, circulou um comunicado entre lojistas que apelava a que todos aderissem.

“Estamos obrigados a vir trabalhar, expostos a todas as pessoas que não cumprem as recomendações da DGS”, pode ler-se. “Está na hora de nos juntarmos e fazermos alguma coisa por nós e por todos aqueles que estão nas nossas casas à nossa espera”.

Queixam-se ainda, lê-se, que o centro comercial não tem “nenhuma medida de prevenção”. “Não tem desinfetante nas casas de banho, não vemos ninguém a desinfetar as mesas de restauração os corrimões, as escadas rolantes, os elevadores, nada!”

Perante a propagação do covid-19 em Portugal, os centros comerciais reajustaram horários mas não encerraram.

Espaços comerciais apenas podem ter 4 pessoas por 100 metros quadrados

De forma a aumentar as “as possibilidades de distanciamento social e isolamentoprofilático“, o Governo decretou que a partir de hoje só devem estar nos espaços comerciais “0,04 pessoas por metro quadrado de área“, decreta o governo.

Os limites previstos nos números anteriores não incluem os funcionários dos espaços em causa e não se aplicam aos hipermercados e supermercados.

Medida visa estabelecimentos comerciais  e loja. Nos restaurantes, atendimento é reduzido em um terço da capacidade.

Portugal regista 245 casos de Covid-19.

O governo apresentou esta tarde mais medidas restritivas

Eduardo Cabrita anunciou a limitação em 1/3 da capacidade dos restaurantes passa a aplicar-se também nas esplanadas. “Iremos ser exigentes no cumprimento dessas regras, garantindo o distanciamento social”, anuncia o ministro da Administração Interna.

Reduzir a dimensão de eventos, quer em espaços cobertos como ao ar livre, para um máximo de 100 pessoas, foi outra das medidas anunciadas. “Façam as reuniões e os encontros estritamente necessários”, afirmou o ministro.

O Governo decidiu ainda a “proibição de bebidas alcoólicas na via pública”. Também não haverá aulas de condução a partir de amanhã.

Eduardo Cabrita apelou aos cidadãos para que “se coíbam de fazer todas as deslocações que não sejam absolutamente necessárias”.

Texto: Marta Amorim

PUB
Top