Lourenço Ortigão critica galinha dos ovos de ouro da TVI: “Vítimas do próprio sucesso”

Lourenço Ortigão critica o prolongamento excessivo da novela “A Única Mulher”, da qual foi protagonista. A trama da TVI teve três temporadas, acabando a sua transmissão com mais de 500 episódios.

10 Dez 2021 | 19:33
-A +A

Lourenço Ortigão tinha 20 anos quando se estreou como ator, enquanto protagonista da sétima temporada da série “Morangos com Açúcar”. Desde aí, somos vários papéis principais em novelas da TVI, nomeadamente em “A Única Mulher”, que agora vem criticar pelo seu prolongamento excessivo.

Estreada em 2015, a trama assinada por Maria João Mira foi renovado para uma segunda e, depois, uma terceira temporadas devido ao sucesso de audiências. Conclusão: manteve-se no ar praticamente dois anos, contabilizando mais de cinco centenas de episódios. “Não há outra forma de dizer isto: não se aguenta. Não há forma de o fazer sem nos esgotarmos”, diz Lourenço Ortigão, em entrevista.

E concretiza: “‘A Única Mulher’, particularmente, foi uma história muito pesada. Foram 540 episódios de guião, ao ponto de eu ter morrido e ressuscitado na novela. Acabei com quatro filhas, que foram raptadas mais de dez vezes, não sei quantos tiros dei, não sei quantos tiros levei, não sei quantas vezes caí de uma ponte… É muito pesado. Não há forma de não ser extenuante.”

Lourenço Ortigão prossegue, ainda em conversa com a revista E: “Não queríamos isso, queríamos apenas o que está proposto: assumir os 200 episódios e ficar por aí. Começar, viver e terminar uma história. Às vezes, somos vítimas do nosso próprio sucesso com estes prolongamentos de segundas e terceiras temporadas. É uma forma de rentabilização”.

O ator dividia o protagonismo de “A Única Mulher” com Ana Sofia MartinsAlexandra Lencastre, Ângelo Torres, Bruno Cabrerizo e Kelly Bailey foram outros dos muitos atores que passaram pela novela da TVI. O sucesso foi tal que a estação encerrou o projeto com um concerto no Campo Pequeno, em Lisboa, no qual subiram ao palco vários nomes ligados à banda sonora da trama.

O espetáculo realizou-se em 24 de setembro de 2016. A título de curiosidade, e inserido num ciclo de concertos transmitidos pela TVI Ficção, vai ser (re)exibido pelo canal temático no dia 21 de janeiro do próximo ano.

Quanto a Lourenço Ortigão, o ator decidiu deixar a estação de Queluz de Baixo ao fim de mais de uma década de ligação profissional. Entretanto, rumou à SIC, onde já integrou o elenco da terceira temporada da série “O Clube” (emitida na plataforma de streaming OPTO) e está a protagonizar a próxima novela do canal, “Como Um Rio”, ao lado de Filipa Areosa.

No entanto, na mesma entrevista, o ator surpreendeu ao afirmar que a personagem que encarna na próxima trama da SIC “não é a que queria” fazer. Leia tudo aqui.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB