Luto. Filho de Florbela Queiroz encontrado morto em casa. Manuel tinha 44 anos

Florbela Queiroz está de luto. A atriz chora a morte do filho, Manuel. Daniel Oliveira e Tânia Ribas de Oliveira prestam sentidas homenagens.

10 Mai 2022 | 14:26
-A +A

Florbela Queiroz está de luto. O filho, Manuel, de 44 anos, foi encontrado morto em casa. No Facebook, a atriz pediu: “Só posso pedir que neste momento respeitem a minha dor”. Publicação que recebeu diversas mensagens de força e conforto.

A relação de mãe e filho sempre foi marcada por altos e baixos. Em 2015, Florbela Queiroz chegou a afirmar: “Sou mãe de um filho morto” por várias situações que revelou viver com o único filho. Porém, posteriormente, disse a Daniel Oliveira: “Não nos damos muito bem às vezes, a gente discorda de muitas coisas. O meu filho é a parte mais importante do meu corpo, nunca sairá de dentro de mim. É a coisa mais importante da minha vida. O amor é sempre o mesmo, tem é fases. Tenho orgulho do meu filho. Não tenho mágoas, não tenho rancores. O passado não traz futuros”.

 

Daniel Oliveira e Tânia Ribas de Oliveira fazem textos emocionantes sobre Manuel

 

Seguidamente, Florbela Queiroz partilhou a publicação que marca esta terça-feira, dia 10 de maio. Manuel era amigo de longa data de Daniel Oliveira e trabalhava atualmente na SIC. O diretor de programa do canal de Paço de Arcos, que está de luto, dedicou uma longa homenagem ao falecido editor.

“Não sei por onde começar. Nenhum de nós sabe. Falta-nos o Manel que teria uma ideia qualquer genial, como fez com as milhares de peças de televisão que editou e das muitas ideias que a sua criatividade pôs em prática ao longo das últimas 2 décadas. (…) Quanto a nós dois, meu Manel, as piadas que são só nossas, hoje têm menos graça. Piadas de uma só letra e repetidas por toda uma vida, em que bastava um dizer para o outro completar. Mais ninguém as sabe a não ser tu, Manel. Vou ter de as guardar comigo. No mesmo sítio em que te guardarei a ti. E talvez as continuemos a dizer sem ninguém ouvir. Obrigado por tudo, Manel.”

Tânia Ribas de Oliveira também reagiu. Leia aqui o texto na íntegra:

Perdemos o nosso Manel. O editor de imagem mais criativo com que alguma vez trabalhei, mais surpreendente, mais perfeccionista e “fora da caixa”. O Manel teve sempre a capacidade de ser o elo de ligação das equipas com quem trabalhou, sempre atento e disponível. Passámos várias manhãs, tardes e madrugadas a editar peças para o Só Visto, para o Vive o 2004 , para o Euro 2004 e nada, mas nada neste mundo me apagará da memória os jogos de futebol que fazia nos corredores, as suas danças, as suas gargalhadas e a sua voz “tinhas pensado fazer isto como?” e muitas vezes eu mudava de ideias, porque a ideia dele era muito melhor. Fizemos parte de uma família de miúdos cheios de sonhos e vontade de fazer diferente e fizemos. A última vez que estivemos juntos, há uns meses, no casamento do Sérgio Oliveira e da Rita, conversámos, dançámos e rimos muito, como antes, como sempre. Nunca haverá ninguém como ele: tão saudavelmente louco e puro e que, por isso, tenha a capacidade de ficar para sempre dentro do coração de todos. Vamos celebrar o Manel fazendo o melhor dos nossos dias em casa, no trabalho, por nós e pelos outros! O brio profissional que ele tinha era das coisas que eu mais admirava, porque numa época em que toda a gente se queixa de tudo – ele fazia acontecer. E muito bem feito. Vamos ter muitas saudades tuas, Manelinho.”

 

Texto: Mariana de Almeida; Fotos: redes sociais 

PUB