Tentativas de suicídio! Mãe de Diogo Carmona quebra o silêncio sobre condenação do filho

Um dia depois de Diogo Carmona ter sido condenado, a TVI transmitiu uma entrevista conduzida por Manuel Luís Goucha à mãe do ator.

23 Jun 2020 | 22:20
-A +A

Patrícia Carmona acabou com lágrimas nos olhos a conversa que teve com Manuel Luís Goucha, transmitida na emissão desta terça-feira, 23 de junho, do programa Você na TV!. Um dia depois do julgamento que terminou com o filho, Diogo Carmona, a ser condenado a quatro anos de prisão com pena suspensa, a mãe desabafou sobre aquele que é um dos períodos mais negros da sua vida, numa entrevista gravada antes da sessão no tribunal.

«O Diogo não assume, mas infelizmente tem um problema de saúde. Expor-me e falar sobre todas essas coisas pode não ser bom para o Diogo», começou por explicar. Este «quadro psicótico», tal como Goucha adjetivou, levou o jovem a ser acusado de violência pela mãe e pela avó.

Confrontada com as acusações de roubo feitas pelo filho, Patrícia Carmona reagiu: «Neste momento o que se sente é cansaço. Ao princípio é um choque, depois as coisas vão tendo outro impacto na nossa vida. Mas são feridas que jamais vão ser saradas.»

 

«Muito jogo, muita manipulação»

 

«Pensou que teria emenda, esta relação tão degradada, quando ele, em outubro do ano passado, teve o acidente e acaba por ver o pé amputado?», perguntou-lhe o apresentador. Patrícia revelou que, fisicamente, existiu uma reaproximação. «Ele estava com uma ordem de afastamento há três dias, por ordem do tribunal, devido à situação de violência doméstica.» Como tal, a progenitora pediu uma autorização para o poder acompanhar. «Naquele momento o que se pensa é que vou continuar a fazer aquilo que sempre fiz.»

Como mãe, Patrícia Carmona nunca conseguiu afastar-se do filho, aceitando-o a viver em sua casa e sustentando-o. «Com muito jogo, com muita manipulação da parte dele. Faz parte da doença e da personalidade dele. Não é uma doença que o Diogo tem, é um distúrbio de personalidade e, infelizmente, na lei não é considerado uma doença. Daí não conseguirmos que o Diogo seja acompanhado sem ser por vontade dele.»

 

Agressões físicas e verbais

 

O distúrbio de personalidade levou Diogo Carmona a ser internado várias vezes, explicou Patrícia. «Esteve internado mais do que uma vez, compulsivamente. Da última vez com surtos psicóticos. Esteve lá, é maior de idade, quando achou que tinha de vir embora… [veio]

«Foi muitas vezes agredida pelo Diogo?», questionou o apresentado. «Muitas», lamentou. A avó passou pelo mesmo «verbalmente», acrescentou. «Mas fisicamente também.»

Patrícia Carmona assumiu que nem todas as vezes que foi agredida apresentou queixa. «Ele é meu filho, eu sabia que ele estava a precisar de ajuda, não criminal mas médica.» Porém, o desespero que vivia dentro de quatro paredes levou-a a pedir ajuda.

«Eu sou acompanhada por um psicólogo da APAV há dois anos, chegámos a um ponto de eu tentar acabar com a minha vida mais do que uma vez. Ninguém sabe lidar com uma situação destas. Ninguém sabe lidar com uma pessoa que acha que eu e a minha mãe o tentávamos envenenar, que lhe roubávamos roupa…»

«Eu perdi tudo. Quando se chega a um ponto de agressão física por parte de um filho… Eu não quero ver o meu filho preso, o meu filho não é um criminoso. Agrediu-me, agrediu a minha mãe, ameaçou-nos de morte. Eu não digo isto com leveza, mas o meu cansaço é tão grande e o que eu preciso agora é de chegar ao fim disto e saber que ele vai ficar bem de alguma forma», declarou no matutino da TVI.

 

«Estou vazia e cansada»

 

Patrícia Carmona terminou dizendo que o filho «não é um monstro». «Tem um problema de personalidade e precisa de ser ajudado.» Agora, a progenitora diz que não tem medo do filho, contudo «já teve muito».

Os últimos segundos da entrevista foram de pura emoção. Patrícia Carmona não conteve as lágrimas ao revelar qual é o seu desejo para o futuro. «Estou vazia e cansada, mas acredito que um dia possa tudo ficar melhor e que nos voltemos a reencontrar.»

 

VEJA TAMBÉM:
Diogo Carmona revela que vai contar «vida toda» em livro

 

Texto: Mariana de Almeida; Fotografias: Arquivo Impala

PUB
Top