Marcelo presente no último adeus a Carmen Dolores. Veja todas as imagens

As cerimónias fúnebres de Carmen Dolores foram testemunhadas pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Manuela Maria e Diogo Infante foram outras presenças notadas.

20 Fev 2021 | 11:57
-A +A

Cumprindo as restrições impostas pela pandemia da COVID-19, o último adeus a Carmen Dolores foi testemunhado, ainda assim, por cerca de duas dezenas de pessoas. Um dos que não quis deixar de se despedir da consagrada atriz foi o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que esteve na Igreja de Fátima, em Lisboa, onde decorreram as exéquias fúnebres.

O corpo de Carmen Dolores esteve em câmara ardente, esta sexta-feira, tendo havido uma celebração religiosa cerca das 14h30. O funeral seguiu para o Cemitério do Lumiar, também na capital.

Manuela Maria, com quem a atriz, ao lado de Raul Solnado e Armando Cortez, fundou a Casa do Artista, foi uma das presenças mais notadas na Igreja de Fátima.

Diogo Infante, fiel admirador e amigo de Carmen Dolores, também se dirigiu ao local. Aquando da morte da atriz, o ator recordou, nas redes sociais, aquela “será sempre lembrada como uma figura maior do teatro português, como uma atriz apaixonada pela sua arte, uma mulher de uma delicadeza e generosidade desconcertantes”.

“Enquanto me debato entre a emoção por encontrar as palavras certas que façam justiça ao seu nome, ao seu talento e ao seu legado, e expressem o meu amor, carinho e gratidão, ouço-a dizer baixinho ‘Não exageres’… (…) Para mim será sempre a minha Carmen. Foi minha mãe, minha confidente, minha musa inspiradora, mas sobretudo minha amiga e é dessa de quem sentirei mais falta… Obrigado, querida Carmen, por tudo!“, escreveu ainda o também diretor artístico do Teatro da Trindade, sala de espetáculos de Lisboa que homenageou a atriz na sua fachada.

 

 

Manto preto cobre redes sociais após morte de Carmen Dolores

 

A morte de Carmen Dolores, esta terça-feira, aos 96 anos, levou um manto preto a cobrir as redes sociais. Desde a notícia do desaparecimento da consagrada atrizmuitas figuras públicas prestaram a sua homenagem àquele que é consensualmente considerado dos mais importantes vultos da representação em Portugal, com uma longa e sublime carreira, sobretudo em teatro, mas também em cinema e televisão.

Ruy de Carvalho foi um dos primeiros. “É com uma enorme dor que me despeço de ti, minha grande amiga. Foram muitos os sonhos, muitos projetos. Muitas décadas de amizade e amor ao Teatro. Até um dia, minha querida Carmen Dolores”, escreveu o decano ator, como legenda de uma fotografia antiga em que surge em cena com a amiga.

“Recordarei sempre com saudade a velha amiga Carmen dos filmes, do teatro nacional, a Carmen de voz serena e presença luminosa. Até sempre, querida Carmen”, escreveu Eunice Muñoz.

“A grande Carmen Dolores faleceu! Tristeza profunda! Queridíssima senhora!”, lamentou, por sua vez, Manuel Cavaco. Doutra geração, Miguel Costa homenageou a atriz com a partilha de uma fotografia desta a preto e branco: “Querida Carmen Dolores. Descanse em paz”. “Obrigado, Carmen Dolores”, disse Ricardo Castro.

A intérprete fica também na história como uma das fundadoras da Casa do Artista, ao lado de Raul SolnadoArmando Cortez e Manuela MariaLuís Aleluia, há muito ligado a esta instituição, também já reagiu à morte da decana atriz: “Obrigado, Dona Carmen Dolores.”

 

Daniel Oliveira e Nuno Santos também reagiram

 

Mas as mensagens sobre o desaparecimento da artista não se cingem a figuras ligadas à representação. Sofia Cerveira, por exemplo, agradeceu-lhe “por tanto que deu” aos portugueses. “Jamais a esqueceremos. Mais uma estrela (das maiores) a iluminar-nos do céus. A iluminar o céu. Um abraço fraterno a toda a família. Descanse em paz”, escreveu a apresentadora da SIC.

Daniel Oliveira, o Diretor-Geral de Entretenimento da Impresa, que detém a estação de Paço de Arcos, também já reagiu. “Obrigada, querida Carmen”, afirmou.

Do lado da TVI, o Diretor-Geral, Nuno Santos, disse que “a notícia da partida de Carmen Dolores deixa, nos muitos que a apreciavam, no teatro, na cultura e em geral no país, um vazio difícil de preencher”. “Carmen Dolores foi uma das grandes atrizes da sua geração. Também fez cinema e televisão, mas foi no teatro – arte maior – que deixou uma marca. Lembro-me sempre dela, suave, doce e eternamente bela, em conversas tarde fora nos meus dias da RTP. Paz à sua Alma de artista”, homenageou o responsável.

 

Texto: Dúlio Silva; Fotos: Tito Calado

PUB
Top