Marco Costa revela desespero dos portugueses: “Vi pessoas a quererem dar-me um bebé”

Os tempos de pandemia vieram dificultar a vida dos portugueses. E Marco Costa que o diga. O pasteleiro revelou no programa “Casa Feliz”, da SIC, o que tem feito para ajudar quem mais precisa.

08 Fev 2021 | 16:50
-A +A

Marco Costa “abriu o coração” e deu a conhecer que quiseram dar-lhe um bebé para ele criar. O pasteleiro, que foi o convidado desta segunda-feira, dia 8 de fevereiro, da “Casa Feliz”, da SIC, contou esse episódio.

“Estive em Rio Tinto e vi pessoas a quererem dar-me um bebé. Estamos em Portugal, não num país de África. Estamos num país desenvolvido. As pessoas estão sem condições, desesperadas mesmo“, inicia. Esta situação aconteceu devido a uma iniciativa que o ex-marido de Vanessa Martins criou para ajudar famílias portuguesas. A ideia surgiu quando esteve de férias no Brasil.

Não gosto muito de falar sobre isso. Só torno público no sentido de chegar a mais pessoas. Há figuras públicas que não vão gostar e se não gostarem paciência, embrulhem, mas se temos uma responsabilidade ao sermos conhecidos é influenciar as pessoas a praticar o bem, diz a Diana Chaves e João Baião.

“Eu quando olho para o espello, aquilo que quero para mim é que as pessoas façam aquilo que eu faço, porque é o melhor”, continua.

“Estava a aceitar bens essenciais na minha fábrica em Lisboa e em Rio Tinto”, conta. “Há muita pobreza disfarçada com vergonha. A classe média está a acabara em Portugal”, realça.

“Já ajudámos 750 famílias”, anuncia. “Obrigado a todos. Fizemos a diferença, mas não chega”, realça.

E termina o assunto com uma frase que o pai, já falecido, sempre lhe disse: “Ajudar sem olhar a quem!”

O apoio da irmã

Marco Costa esteve no programa matutino da SIC para fazer um bolo alusivo ao Dia dos Namorados, mas acabou por ficar com o “coração derretido” ao receber uma mensagem inesparada.

A irmã do pasteleiro, Soraia, escreveu uma carta ao mano, que foi lida, em direto, por Diana Chaves.

Olá, maninho: Pois é! Fizeram-me um pedido difícil, mas sabes como é complicado para mim aparecer nestas coisas. Ainda assim, não quis deixar passar em branco a oportunidade de dizer o quanto és especial”, começa.

30 anos caminhamos lado a lado. A vida tem sido sempre simpática, pois sempre tivemos juntos e quis unir-nos também no campo profissional“, continua.

“Muitas vezes olho para ti e vejo o pai”

Aos poucos vais escalando cada degrau e é para mim e para toda a família, um orgulho ver que o fazes com muito trabalho, dedicação… muitas vezes olho para ti e revejo o pai. Os teus traços, jeitos e um coração do tamanho de um mundo. Os nossos pais fizeram um trabalho fantástico ao transmitirem-te a ter empatia, compaixão e respeito ao próximo“, acrescenta Soraia na carta.

Dei-lhe uma parte da minha empresa

E faz um pedido ao irmão. “Continua a ser assim, que tenho a certeza que apesar desta fase complicada para todos, mais lá na frente dirás: ‘foi difícil, mas consegui’. O que para muitos será tido em conta como sorte, eu e nós cá em casa sabemos que foi apenas trabalho e muita persistência. Ah e não te esqueças que de um pau de vassoura se faz um pasteleiro. Estou a treinar. Amo-te muito, mano“, concluiu.

Marco não conteve as lágrimas e respondeu à irmã: “Sou um chorão. Mana, amo-te”, começa.

“Choro com tudo, é uma coisa… Um beijinho para a minha irmã. Ela realmente é uma pessoa muito importante na minha vida. Aliás, é tão importante para mim, que eu dei-lhe uma parte da minha empresa, revela.

Texto: Andreia Costinha de Miranda; Fotos: Arquivo Impala
Leia também:
Marco Costa deixa mensagem a alguém especial: “Ensinou-me o que é amor”

PUB
Top