Todos com Marega: condenação a insultos racistas move o país e até Marcelo já falou

É o caso que está a envergonhar o futebol português. Moussa Marega abandonou o Vitória de Guimarães-Fc Porto depois de ter sido alvo de insultos racistas. Presidente já condenou episódio.

17 Fev 2020 | 11:51
-A +A

É um caso único no futebol português e cuja discussão está apenas no início. Este domingo, 16 de Fevereiro, o jogador do FC Porto Moussa Marega abandonou o relvado do Estádio D. Afonso Henriques, após ter sido alvo de insultos racistas. O episódio inédito está a gerar uma discussão sem precedentes e até o presidente da República já se pronunciou sobre o caso.

«A Constituição da República Portuguesa é muito clara na condenação do racismo, assim como de outras formas de xenofobia e discriminação, e o povo português sabe, até por experiência histórica, que o caminho do racismo, da xenofobia, e da discriminação, além de representar a violação da dignidade da pessoa humana e dos seus direitos fundamentais, é um caminho dramático em termos de cultura, civilização e de paz social», considerou Marcelo Rebelo de Sousa, a partir do Dubai, numa declaração à agência Lusa, acrescentando que só pode «condenar, como sempre, veementemente, todas as manifestações racistas, quaisquer que sejam».

O presidente da República apelou ainda «à ética, ao sentido cívico e ao bom senso, para que se evitem em Portugal escaladas que violem valores básicos da nossa comunidade e só possam contribuir para a divisão fratricida entre os portugueses».

 

O primeiro-ministro também já falou publicamente sobre o caso. Nas redes sociais, António Costa classificou as ofensas a Marega como uma «humilhação». «Todos e quaisquer atos de racismo são crime e intoleráveis. Nenhum ser humano deve ser sujeito a esta humilhação. Ninguém pode ficar indiferente. Condeno todos e quaisquer atos de racismo, em quaisquer circunstâncias. Total solidariedade com Marega, que no campo provou ser não só um grande jogador, mas também um grande cidadão».

 

Marega arrasa adeptos e árbitro da partida

 

Marega pediu para ser substituído, ao minuto 71 do jogo entre o FC Porto e o Vitória de Guimarães, por ter ouvido cânticos e gritos racistas de adeptos da formação vimaranense, numa altura em que os dragões venciam por 2-1, resultado com que terminaria o encontro. Após ter marcado o golo, aos 60 minutos, Marega já se tinha insurgido contra o público vimaranense pelo tratamento hostil que estava a ser alvo.

O futebolista tolerou durante vários minutos os insultos racistas, mas aos 71 minutos decidiu mesmo colocar um ponto final no que se estava a passar e abandonar o relvado. Jogadores e equipa técnica ainda tentaram demover Marega, mas o avançado não recuou na decisão e foi diretamente para os balneários.

No final do jogo, o treinado do Porto, Sérgio Conceição, afirmou que o jogador estava a ser insultado desde o aquecimento. De recordar que tanto o futebolista como o treinador dos dragões já estiveram ao serviço do Guimarães.

Indignado, Marega já se pronunciou publicamente sobre o caso, classificando de «idiotas» os adeptos que proferiram insultos racistas. «Gostaria apenas de dizer a esses idiotas que vêm ao estádio fazer gritos racistas … vá-se foder! E também agradeço aos árbitros por não me defenderem e por terem me dado um cartão amarelo porque defendo minha cor da pele. Espero nunca mais encontrá-lo em um campo de futebol! Você é uma vergonha», escreveu o maliano.

Esta manhã, o FC Porto atribuiu o prémio Mérito e Valores Porto a Marega, uma distinção habitual em todas as partidas e que serve para distinguir aquele que, de acordo com o clube, foi o melhor em campo.

Imprensa internacional condena episódio

 

O ataque racista ao jogador é notícia lá fora. A imprensa internacional não passou ao lado do que aconteceu e escreve «Vergonha em Portugal», como se pode ler no diário espanhol Marca.

O também espanhol As classifica de «caso racista» e relata como Marega abandonou o campo após os insultos e, nas redes sociais, atacou o árbitro e os adeptos.

«O futebol português viveu hoje um dos episódios mais vergonhosos da sua história», pode ler-se na página deste diário espanhol. Outros meios de comunicação falam mesmo em «escândalo». A britânica BBC também dá destaque ao caso, relatando a reação do futebolista e também dos principais intervenientes do futebol português. A norte-americana ESPN também relata o caso. O italiano Gazetta dello Sport fala em «escândalo em Portugal» . 

 

Texto: Inês Neves com Raquel Costa | Fotos: Reuters e FC Porto

 

Veja mais:
«Tens uma filha preta, que horror». Joana Diniz é atacada e revolta-se com racismo
Fábio Coentrão é acusado de racismo

 

 

 

PUB
Top