Maria João Abreu sobre primeira protagonista: «Acho que JÁ MERECIA»

Maria João Abreu estreia-se como protagonista aos 55 anos na série da SIC Golpe de Sorte. A atriz revela que o seu nome foi uma escolha consensual e mostra-se feliz com a ‘sua’ Maria do Céu.

29 Mai 2019 | 9:55
-A +A

Foi preciso esperar 36 anos mas, a avaliar pelas audiências do primeiro episódio de Golpe de Sorte, valeu a pena. Maria João Abreu interpreta a sua primeira protagonista na nova série da SIC, uma personagem que parece ter sido feita à sua medida.

«É engraçado porque toda a gente diz isso e eu estou muito feliz que as pessoas o pensem», explicou a atriz de 55 anos na apresentação de Golpe de Sorte, esta segunda-feira, 27 de maio. Maria João Abreu conta ainda que, quando foi convidada para protagonizar a trama escrita por Vera Sacramento, Daniel Oliveira, o diretor-geral de entretenimento da Impresa, lhe disse que o seu nome tinha sido uma escolha «consensual». «Fiquei muito feliz por apostarem em mim», recorda Maria João Abreu.

Maria do Céu Garcia é a primeira protagonista de Maria João Abreu no pequeno ecrã. Uma conquista que acontece ao fim de 36 anos de carreira e que a atriz reconhece que «já merecia». «É estranho… Acima de tudo vemos o nosso talento reconhecido e quer dizer que acreditam em nós. Estou muito feliz e muito grata». A atriz reconhece que é uma «responsabilidade acrescida» interpretar uma personagem que está em todos os momentos da história. «A Céu carrega esta série às costas mas estou a ser muito bem tratada, muito bem apoiada e acho que este elenco é maravilhoso», afiança.

 

Maria João Abreu contracena com ‘madrinha’ profissional

 

A acção de Golpe de Sorte decorre em Alvorinha, uma aldeia fictícia mas muito parecida com tantas outras que existem em Portugal. «As pessoas vão ficar felizes por se verem retratadas porque, às vezes, os temas são só os ricos, as pessoas que se vestem muito bem, que viajam e é preciso mais. É preciso ir ao outro lado. É como na vida: há os dois extremos», explica Maria João Abreu.

A atriz realça que uma das mais valias deste elenco são os atores séniores, que emprestam «verdade» à narrativa. «São pessoas reais a fazerem de pais, de avós, que é uma coisa que já não acontece muito. Às vezes, as mães só têm mais quatro ou cinco anos do que as filhas e isso tira um bocadinho de verdade», lamenta. 

E, nesta série, Maria João Abreu cruza-se não só com o ex-marido, José Raposo, como com a sua ‘madrinha’ profissional. «Eu estreei-me com a Manuela Maria no musical Annie [em 1983]. Tinha 19 anos. Foi onde conheci o José Raposo», recorda a atriz.

As gravações de Golpe de Sorte estão a ser conjugadas com a

peça de teatro Sonho de uma Noite de Verão, na qual contracena com o ex-marido e o filho Miguel. Algo que faz com que ande «muito cansada» mas nem por isso menos feliz. «Como estou tão feliz nem sinto tanto o cansaço».

 

Veja mais:
Golpe de Sorte estreia com 1,36 milhões de telespectadores
Maria João Abreu vítima de bullying no teatro

 

 

 

Texto: Raquel Costa | Fotos: Helena Morais e SIC

PUB
Top