Maria Leal em lágrimas: «Estão a destruir-me»

Maria Leal responde às acusações expostas por Francisco D’Eça. «O Francisco vai ter de provar em tribunal»

19 Out 2018 | 22:21
Maria Leal
-A +A

«Estes quatro dias não têm sido nada fáceis. Estes dias… sabe Deus». É com este desabafo que Maria Leal começa por falar no segundo episódio, do  o programa da SIC Vidas Suspensas. Nesta entrevista, a cantora, acusada de ser a responsável pela gestão ruinosa das contas do ex-companheiro, concordou em «dar a cara» para se defender e mostrar que Francisco D’Eça Leal está a mentir.

Leia mais: Maria Leal FALA de TRAIÇÃO: «também sei as pessoas com que ele esteve»

«Eu estou aqui para dizer a verdade»

«Eu estou aqui para dizer a verdade, porque eu estou a ser julgada em praça pública, com ameaças por telemóvel que me vão matar. Eu vivo da minha carreira e nunca falei mal de ninguém. E neste momento, estou-me a destruir», começou por dizer a cantora.

Sofia Pinto Coelho perguntou à artista como conheceu o marido. «Eu cantava num bar de karaoke, por brincadeira, em Campo de Ourique, onde moravam os meus pais. O Francisco foi lá ter com uma amiga. Eu ao principio era muita dele. Falávamos muitos. Ele dizia-me que estava sempre sozinho. Tivemos os dois uma ligação muito bonita de amizade. Ao princípio houve um carinho muito grande. Depois disso claro que sim, gostei muito, muito, dele. Eu não estou contra o Francisco. Eu amei aquela pessoa», respondeu Maria.

«Se foram gastos exagerados por nós os dois? Claro que foram. Sem sombra de dúvidas. O dinheiro gasta-se. Se o Francisco não trabalha e uma Maria não trabalha, o dinheiro gasta-se».

A jornalista interrompeu para dizer: «A questão é que o Francisco diz que todos os gastos foram em seu proveito…» Elisabete, assim se chama a artista, respondeu de imediato: «Exatamente que é o que o Sr. Francisco diz. Ele vai ter de provar, nas instâncias próprias, que fui eu. Eu também tenho as minhas provas que não fui eu».

O jornalista interveio: «Como pode justificar todas as transferências feitas, nomeadamente a seu favor?»

Sofia ainda completou: «Na ordem dos 10 mil, 15 mil, para si própria…» «Mas não foi para mim própria», respondeu a cantora. «Mas nós temos aqui os documentos que provam», remata o jornalista.

Veja também: «Ele não mexia nas contas mas emprestou dinheiro ao irmão?»

«Parece o ‘golpe do baú’»

«Desculpe lá, mas isto parece o ‘golpe do baú’, desculpe a minha franqueza», afirma a jornalista.

«É o que toda a gente pensa. O Francisco herdou o dinheiro. Abriu uma conta em nome dos dois e disse: ‘Vamos usufruir do nosso dinheiro’», respondeu Maria.

A jornalista perguntou à artista o que ela fazia antes da carreira musical. «Antes eu trabalhava numa loja, o senhor Francisco é que disse que gostava que eu estivesse com ele. Hoje em dia teria mais cuidado, teria que ter um pulso mais forte, nós os dois fomos exagerados nos gastos», respondeu.

«O dinheiro era dos dois, ponto final parágrafo. Aqui não há percentagens… nunca usei sem o consentimento dele. Ele dizia sempre que sim», continuou a cantora.

A loja de Elvas

«A loja de Elvas? Foi com o dinheiro que era dos dois. Ele não gostava de sair. Se não foi lá, foi porque não quis. Ele conhece muito bem a abertura desta loja, tudo o que fiz foi de acordo com os dois», disse.

«O Francisco tinha cheques e eu também tinha. Todos os que assinei foi na presença dele», assegurou.

«Como eu disse, vai ser tudo falado nas instâncias próprias. Julgar é em tribunal, não na praça pública. Vai ser tudo discutido conforme a lei», rematou a sua participação, agradecendo, em lágrimas, aos fãs: «Só tenho de fazer um agradecimento aos meus fãs. Sou o que sou graças a eles!»

A TV 7 Dias revelou, em exclusivo, toda a vida polémica de Maria Leal. Recorde a reportagem aqui

PUB
Top