Matias Damásio revela ABUSOS SEXUAIS EM CRIANÇA: «ela obrigava-me a por a língua»

Matias Damásio sofreu abusos sexuais com apenas 12 anos. O cantor foi violado por uma vizinha que, em troca, lhe oferecia comida. Cantor fez revelações no programa da SIC, Alta Definição.

27 Out 2018 | 15:56
-A +A

Matias Damásio revelou no programa da SIC Alta Definição, o percurso doloroso até alcançar a fama. Nascido em Benguela, Angola, passou fome, viu a morte e a guerra de perto e sofreu abusos sexuais.

Matias Damásio tinha apenas 12 anos quando foi abusado sexualmente por uma mulher mais velha que lhe prometeu comida.

«Tive a minha primeira tarde de sexo mas de forma diferente. Fui abusado sexualmente por uma mulher adulta», recorda.

O cantor explica que, por ser criança, não teve noção da gravidade do ato. «Na altura, não tinha consciência que era uma coisa tão má e não me pesou tanto. Achei até muito interessante no sentido de, como foi em troca de bens alimentares, fiquei tranquilo. Só percebi que sofri abuso sexual muito mais tarde…», conta.

 

Abusos tiveram consequências na vida sexual do cantor

 

O episódio traumático deixou-lhe marcas até aos dias de hoje. «Às vezes lembro-me disso. É uma coisa que doí, é horrível. Volta e meia ela falava comigo e a coisa acontecia. Era ela que propunha», revela. A abusadora era uma pessoa próxima da família. «Era muito próxima da minha mãe, mas eu nunca disse à minha mãe. Finjo que isso não existe mas lembro-me como se fosse hoje, foram várias e várias noites», continua. «Era uma vizinha, já devia ter uns 40 e tal anos». 

 

Veja mais: Daniel Oliveira emociona-se com entrevista de Matias Damásio

 

Os abusos sexuais só terminaram quando a mulher se afastou. «Por sorte ela mudou-se, nunca mais a vi cara à cara».

Numa entrevista carregada de emoção, Matias Damásio revela que os abusos sexuais tiveram consequências na vida amorosa, como «falta de ereção». «Quando me apaixonei foi um problema grande. Ela [a abusadora sexual] obrigava-me a por a língua, a fazer a introdução com aquele peso enorme, era uma mulher mais forte», recorda. Matias Damásio diz que ultrapassou o trauma, mas que nunca vai esquecer o que sofreu. «Ultrapassei sozinho, tentando esquecer».

 

A guerra e os mortos

 

Matias Damásio nasceu em 1982, em plena guerra civil angolana. «As crianças viam cadáveres todos os dias, Viam os parentes próximos a morrer, a guerra, a água que bebíamos era com muitas dificuldades, a fome… Se não fosse Deus não sei se estaria aqui depois de tantas coisas que passei», conta, recordando o conflito que terminou em 2002.

 

Veja mais: Matias Damásio fala sobre filho autista

 

O cantor relembra que vivia uma realidade tão difícil que nem sonhar lhe era permitido. «Quando dizia que queria ser alguma coisa, levava uma chapada na boca. Sempre vivi com essa realidade, nunca pensei na minha vida chegar aqui», confessa.

Matias Damásio conta também que quando se vive um contexto de pobreza extrema, a maior prioridade é mesmo continuar vivo. «Dá-se valor à vida e ao próximo, dá-se valor às coisas pequenas como ter almoço e jantar, beber um pouco de água, coisas normais mas que na altura eram extremamente diferentes. Não comer durante o dia ou não ter uma refeição era uma coisa comum».

 

 

A Quebrar o Silêncio presta apoio a homens vítimas de abusos sexuais. Consulte o site aqui. Para pedir apoio, ligue 910 846 589 ou use o e-mail apoio@quebrarosilencio.pt

 

Fotos: Arquivo Impala

PUB
Top