Na Corda Bamba, da TVI, nomeada para os Emmy: «O nosso trabalho compensou, valeu a pena»

Na Corda Bamba está nomeada e a TV 7 Dias conversou com Rui Vilhena para obter as primeiras reações do autor da trama.

24 Set 2020 | 18:50
-A +A

A Novela Na Corda Bamba, produzida pela Plural Entertainment Portugal e emitida pela TVI, foi nomeada na categoria de Telenovela nos International Emmy Awards. Por duas vezes vencedora deste prémio na categoria Telenovela (Meu Amor em 2010 e Ouro Verde em 2018), a Plural Entertainment Portugal e a TVI recebem, agora, a sexta nomeação nesta categoria.

Com autoria de Rui Vilhena, Na Corda Bamba reuniu no seu elenco nomes como Dalila Carmo, Pêpê Rapazote, Margarida Vila-Nova, Maria João Bastos, Bárbara Branco, São José Correia, António Capelo, Marco Delgado, entre muitos outros. Esta novela conta-nos a história de Lúcia e Pipo que julgam ter cometido o crime perfeito. Durante anos vivem o sonho da família feliz com os três filhos, mas o álbum de família esconde fantasmas que ninguém imagina.

«A novela é de qualidade»

 

A TV 7 Dias conversou com Rui Vilhena logo após se saber da nomeação e o autor mostrou-se «extremamente orgulhoso.» «Primeiro foi um choque, depois vamos do choque para a euforia. Os Emmy são prémio máximo da televisão mundial. É porque o nosso trabalho compensou, valeu a pena, que tudo estava certo, que a novela é uma novela de qualidade», começa por dizer.

E qual a mais valia desta trama para ser nomeada para este prémio? «É uma novela que tem uma linguagem. Acho que temos de trazer ao público mais novidades. Sempre fui contra ao “mais do mesmo”. Nós vivemos um momento em que as pessoas estão sempre à procura de coisas novas. Nós, como artistas, temos que nos reeinventar. Um artista que não se reinventa, fica para trás, porque trará sempre mais do mesmo e eu acho que esta novela foi completamente diferente em várias vertentes. Isso para mim é uma mais valia», salienta.

 

«É uma alegria e uma honra muito grande»

 

Depois de tantos anos de carreira e com tantas novelas escritas, esta é a primeira nomeação de Rui Vilhena para um International Emmy Awards. O autor assume que «é uma alegria e uma honra muito grande.» «É um reconhecimento de toda uma obra. Cada novela que faço há sempre uma evolução. Vamos aprendendo com os erros. Toda a trajetória culmina na Corda Bamba que é nomeada para o Emmy. Para mim é um reconhecimento desta trajetória», faz o balanço.

Garante que sonha «com mais», pois «no dia em que parar de sonhar, está na hora de ir embora.» «Temos de sonhar sempre», realça.

Não sabe se, caso a novela vença, poderá subir ao palco, devido à pandemia da Covid-19, mas «seria muito bom.» E se houvesse essa oportunidade, qual seria o discurso? «Um Emmy é um esforço de todos nós. Sozinho não seria capaz. Todos eles estão de parabéns e terão sempre o meu eterno reconhecimento. O maior prémio é ter o reconhecimento do público. É as pessoas assistirem a uma obra minha e que as faça ver e pensar no que estão a ver», finaliza.

Na Corda Bamba está em competição direta com uma novela da China (Gcoo Entertainment Co. Ltd. / iQIYI), uma novela do Brasil (Globo) e uma novela da Argentina (Viacom International Studios / Oficina Burman).

Os vencedores dos mais importantes prémios internacionais de televisão serão anunciados no dia 23 de novembro.

Texto: Andreia Costinha de Miranda; Fotos: Arquivo Impala

 

 

 

 

 

 

PUB
Top