“Não deixei de acreditar no amor”: Agricultora Ana foi vítima de agressão verbal

Ana Palma, concorrente de “Quem Quer Namorar com o Agricultor”, SIC, revelou ter sofrido durante o casamento e um namoro que teve após o divórcio. Saiba o que aconteceu.

02 Jun 2021 | 15:20
-A +A

Ana Palma, a única concorrente de “Quem Quer Namorar com o Agricultor?”, SIC, já sofreu muito por amor. E foi isso mesmo que revelou durante o diário desta segunda-feira, 1 de junho.

“Casei-me aos 25 anos. Fui casada durante quatro anos. As coisas não funcionaram, devido ao envolvimento do meu marido com álcool. Após um ano de ter terminado o meu casamento, tive uma outra relação e não funcionou, porque havia falta de comunicação e insultos, muita agressividade verbal”, começa por revelar.

“Quero um amor de verdade”

Apesar de não ser uma pessoa magoada com as relações que viveu, Ana mantém a esperança. “Não deixei de acreditar no amor. Temos de acreditar naquilo que queremos e eu quero um amor de verdade e é isso que eu procuro”, desabafa.

Já a irmã da agricultora, Gertrudes, realça que Ana “é uma pessoa que precisa de companhia” e que, acima de tudo, “precisa de se sentir valorizada”.

Por isso mesmo está neste reality show, para que possa encontrar alguém com quem se identifique.

“Sou uma caixinha de surpresas”

Ana Palma é a única mulher a participar no “Quem Quer Namorar com o Agricultor?”, da SIC… A única mulher, no que às figuras de destaque diz respeito, claro está. A concorrente é agricultora e esteve no matutino da estação de Paço de Arcos para dar a conhecer um pouco mais de si.

Esta alentejana diz-se “uma caixinha de supresas” e explica porquê. “Adoro pregar partidas e gosto de deixar sempre alguma coisa em suspense”, refere Ana, que começou a trabalhar no mundo da agricultura desde os “18 anos”. “Foi quando terminei a escola, juntamente com a minha irmã e o meu cunhado”, refere.

“Foi a minha irmã, Gertrudes, que me pregou uma partida bem grande”

A verdade é que Ana Palma não fazia ideia que iria participar no reality show da SIC. “Foi a minha irmã, Gertrudes, que me pregou uma partida bem grande. Tinha-me separado do último relacionamento, não há muito tempo, e a minha irmã, que é quase uma mãe para mim, decidiu que eu deveria ter esta oportunidade e conhecer pessoas com quem, possivelment,e não me cruzaria ao longo da vida”, revela.

E no que diz respeito aos candidatos que estão dispostos a conquistar o coração desta agricultora… “Convém que possam dar uma ajuda, mas acho que isso não é essencial no amor, porque todas as pessoas são diferentes e cada pessoa tem de ter a oportunidade de ter carreiras diferentes”, anuncia.

“Tem de tentar perceber o meu tipo de trabalho”

Mas como tem de ser o seu homem de eleição? “Simples e humilde. Somos o que somos e não o que temos. Uma pessoa que me saiba dar valor a mim e ao meu trabalho, que seja uma pessoa animada e que tenha sempre a mão dada ou aquele olhar que diz: ‘eu estou aqui’”, realça, deixando Diana Chaves e João Baião com um sorriso nos lábios. “Tem de tentar perceber o meu tipo de trabalho, porque é um trabalho duro”, garante.

Ana revela que tem “árvores de fruta biológica, ovelhas (cerca de 500) e fazemos a produção de queijo (…) Temos as nogueiras para produção da noz”, diz a agricultora, que apesar de não ter muito “tempo livre”, está a “aprender a andar de cavalo”. “Até agora não tinha experimentado. Está a correr bem. Ainda não caí, está tudo bem”, finaliza divertida.

Texto: Andreia Costinha de Miranda; Fotos: Reprodução
Leia também:
“Vergonhoso”: Portugueses indignados com estreia de Agricultores

PUB
Top