“Não entrava dinheiro na minha conta”: Pedro Laginha revela dificuldades no último ano

Pedro Laginha enfrentou sérias dificuldades económicas devido à covid-19. Para fazer frente às despesas, o ator precisou de ser ajudado pela família. “Foi complicado”, confidenciou.

04 Jun 2021 | 14:40
-A +A

2020 foi um ano complicado para muitas famílias portuguesas e Pedro Laginha não foi execão. O ator, de 50 anos, que no decorrer do último ano viu o seu trabalho substancialmente reduzido, fruto da pandemia causada pela covid-19, confidenciou a uma publicação semanal ter atravessado dificuldades económicas e que precisou de ser auxiliado pela família.

Com o setor artístico gravamente afetado pelo novo coronavírus, o intérprete, que integra atualmente o elenco da novela da SIC “A Serra”, foi também atingido por esse flagelo e deixou, por isso, de ser financeiramente independente. “Não pude ajudar colegas, que estavam a passar fome, porque eu também estava sem trabalho. Acabei por ficar fechado em casa, a contar com a ajuda dos meus, da minha família. Foi complicado”, contou à TV Guia.

Pedro Laginha conta que último ano foi por isso um ano frustrante. “Não entrava dinheiro na minha conta. E tinha contas para pagar, tinha de comer… A família acabou, como disse, por me ajudar. Não vivi em luxo, mas não morri”,afirmou à mesma publicação.

Pedro Laginha sofreu verdadeiro pesadelo com grave problema de saúde do filho

Entrevistado por Daniel Oliveira para o programa da SIC “Alta Definição”, em julho de 2019, Pedro Laginha evocou, pela primeira vez, um dos períodos mais traumáticos da sua vida quando o filho, Afonso, na altura com 11 anos, lutou pela vida depois de ser descoberto um grave problema de saúde.

“Foi o momento em que tive medo de perder o meu filho e nunca tinha vivido nada assim. O medo de perder um filho é arrebatador, tiram-te o tapete debaixo dos pés. Penso que foi o momento em que tive mais medo na minha vida”, começa por contar.

“O meu filho andava um pouco encurvado, nós achámos que era um problema de coluna. Através de duas pessoas que ele já costumava ir fazer exames e consultas, descobrimos que ele tinha um problema qualquer nesta zona do tronco”, recorda o ator o início do pesadelo que ocorreu em 2014.

Foi através de uma ressonância magnética que foi descoberto o grave problema. “Foi descoberta uma coisa deste tamanho dentro dele [exemplifica com as mãos o tamanho de uma laranja], que podia ser benigna ou maligna. Tinha de ser tratado para ontem», recorda sem esconder a emoção. «De repente, equacionas uma coisa que nunca quiseste equacionar, que é o teu filho ir à tua frente, que é tu veres o teu filho a morrer. E isso é destruidor.”

Texto: Alexandre Oliveira Vaz; Fotos; Redes Sociais

 

PUB
Top