“Não se expandiu”: Mulher de António Costa quebra o silêncio sobre tumor no pulmão

Fernanda Tadeu, a mulher do primeiro-ministro, António Costa, falou abertamente sobre a luta que travou contra um tumor no pulmão. Na TVI, foi ainda surpreendida com uma mensagem da sogra.

09 Mar 2021 | 8:00
-A +A

No âmbito da celebração do Dia da Mulher, assinalado esta segunda-feira, Fernanda Tadeu foi a convidada especial do programa da TVI “Dois às 10”. Numa entrevista conduzida por Maria Botelho Moniz e Cláudio Ramos, a mulher do primeiro-ministro, António Costa, abriu o livro da sua vida numa conversa em que abordou o seu percurso profissional, as influências que a tornaram na mulher que é hoje e também a fase delicada que atravessou no que à sua saúde diz respeito.

Operada a um tumor no pulmão, em julho de 2019, Fernanda Tadeu realçou que a situação se encontra atualmente ultrapassada. “Tive um problema, um tumor no pulmão, que teve de ser tirado. Correu tudo bem. Felizmente, era um tumor que estava lá sossegadinho no seu sítio e, portanto, não se expandiu. Foi tirado e pronto… A minha vida voltou ao normal e deixou de existir esse problema. Portanto, estou cem por cento saudável e isso foi qualquer coisa que já ficou para trás e de que já nem me lembro. Deixou de ser problema”, explicou.

 

Mãe de António Costa envia mensagem a Fernanda Tadeu

 

No decorrer da emissão, Fernanda Tadeu foi surpreendida com uma mensagem especial da autoria da mãe de António Costa, a jornalista Maria Antónia Palla. Questionada por Cláudio Ramos sobre o tipo de relação que as duas mantêm, a mulher do primeiro-ministro descreveu-a como “uma boa sogra”, mas também “uma mulher de luta” e uma “grande jornalista”. “Uma mulher que lutou pelas outras mulheres e que tem dado a cara toda a vida… Uma mulher que admiro muito pelo seu trabalho em prol das outras mulheres (…). É, sem dúvida, uma mulher admirável”, salientou.

Seguiu-se a mensagem de Maria Antónia Palla, na qual sublinhou o “casal modelo” que Fernanda Tadeu forma com o filho. “Eu conheci a Fernanda quando era colega do meu filho no Liceu Passos Manuel e não namoravam sequer ainda. Depois, um belo dia apaixonaram-se e, passados dois anos, estavam casados. Foi um casamento de que nós gostámos e gostamos ainda mais porque, ao longo dos anos, fomos percebendo que a paixão continuava. Eles, de facto, são um casal modelo que não é fácil, atendendo à vida do meu filho que é de muitos imprevistos, com muitas ausências. E, apesar disso tudo, eles realmente são um casal perfeito.”

“Dito isto, a Fernanda deixou a sua vida profissional a certa altura… Tem-se conversado um bocadinho na sombra do marido, mas eu gostava de lhe dizer que estou muito contente porque agora está muito mais visível e acho que isso é extremamente importante na carreira do António. Obrigada, Fernanda”, afirmou a jornalista.

 

Sofrimento com saída dos filhos de casa

 

Além de ter sido uma profissional devota à sua carreira e companheira de uma das figuras de maior destaque da sociedade portuguesa, Fernanda Tadeu destacou o seu papel de mãe e frisou que, quando os seus dois filhos, Pedro e Catarina, deixaram a casa onde a família residia, foi, para ela, uma das fases mais complicadas da sua vida. No que diz respeito à educação, salientou que sempre tentou incutir na filha a importância da luta pela igualdade de género.

 

Os anos “muitos difíceis” e as dificuldades da profissão

 

A mulher de António Costa foi educadora de infância, mas escolheu antecipar a reforma por considerar não ser possível entregar a mesma qualidade de ensino ao longo dos anos. “Achei que estava na altura de sair porque acho que ninguém aguenta 40 anos a trabalhar da mesma forma com crianças. É difícil e as crianças precisam de uma vivacidade que nós começamos a perder”, disse, acrescentando que é uma profissão que exige muita dedicação diária e que não pode “ser contado por horas”.

Mulher independente, sempre soube fazer o seu “pé-de-meia” para garantir a sua liberdade financeira, apesar de ter deixado a sua profissão antes da idade estipulada. “Sempre fiz o meu pé-de-meia e saí sabendo que tinha capacidade económica para ser independente apesar de deixar de trabalhar”, afiançou.

Dedicada ao ensino durante mais de duas décadas, Fernanda Tadeu recordou os anos “muito difíceis” associados à colocação de professores. “Todos os anos tínhamos de mudar de escola. Agosto era aquele ano em que estávamos de férias, nós já tínhamos aquele friozinho no estômago porque no início de setembro íamos concorrer. Ao concorrer não sabíamos para onde é que íamos”, recordou. “Longe sempre”, frisou ainda.

“A gestão familiar é difícil, mas nós tínhamos a esperança, Era aquele ano. A seguir ia ser melhor e muitas vezes não era. Era uma vida muito dura. Nós levávamos tudo. Não só a nossa vida e a nossa angústia, como chegar lá e começar de novo”, evocou, classificado essa fase da sua vida como um “desafio” e “uma adaptação”. “Foram anos muito difíceis que o António, em setembro, era sempre o meu companheiro de concurso”, rememorou.

 

A importância da luta pela igualdade de género

 

Na reta final da entrevista na TVI, Fernanda Tadeu, que destacou a importância da avó Júlia como figura que a inspira no seu quotidiano para ultrapassar as adversidades da vida, considerou fundamental a luta pela igualdade entre homens e mulheres. “Nós temos de continuar a lutar pela igualdade de género enquanto houver mulheres que ganham menos trabalhando o mesmo do que os homens. Enquanto houver mulheres que não conseguem aceder a postos de chefia como os homens tendo as mesmas aptidões”, disse.

Questionada por Cláudio Ramos se ainda faz sentido celebrar o Dia da Mulher, a mulher do primeiro-ministro gostaria que “não fosse necessário” demarcar esta data, porém, reforçou a sua importância. “Infelizmente, acho que sim. Gostava que não fosse necessário, mas de facto continua a haver uma desigualdade de género e portanto temos que continuar assinalar. Temos de continuar nesta luta enquanto as mulheres não tiverem, realmente, os mesmo direitos que os homens”.

 

Texto: Alexandre Oliveira Vaz; Fotos: reprodução redes sociais

PUB
Top