“Não tenho problema nenhum”: Cristina Ferreira assume fechar portas de “Cristina ComVida”

Cristina Ferreira não coloca de parte proceder a alterações no programa “Cristina ComVida” ou acabar mesmo com o formato. Mas só “daqui a um tempo”, diz a diretora da TVI à TV 7 Dias.

28 Abr 2021 | 21:00
-A +A

Cristina Ferreira chegou oficialmente à TVI a 1 de setembro de 2020, depois de uma saída da SIC que ninguém esperava. Há oito meses que a apresentadora está nas “bocas do mundo”, como se costuma dizer, e não é pela positiva. As críticas negativas sucedem-se, algo que a Diretora de Entretenimento e Ficção da estação de Queluz de Baixo tenta desvalorizar… apesar de admitir que às vezes dói.

Em entrevista à TV 7 Dias, Cristina Ferreira abre o coração, assume que se vê apenas a trabalhar atrás das câmaras, garante que não precisa de exposição, admite que sabe que nunca voltará à SIC e revela que, se tiver de acabar com “Cristina ComVida” o fará… mas não é para já. Sem medo, como a conhecemos de sorriso fácil como nos habituou.

“Não vou dizer que não dói. Houve alturas em que me questionei porquê… Também me poderiam elogiar de alguma forma. Acho que as pessoas se esqueceram da conquista de alguém que começou do zero em televisão e que a mesma foi feita por mérito. Estou muito mais tranquila do que aquilo que uma pessoa possa imaginar. Acho que aquilo que já conseguimos na TVI é muito mais do que algum dia podia imaginar”, diz, para depois acrescentar: “Tenho muito a agradecer à SIC por aqueles dois anos em que eu lá estive, por ter sido muito feliz, por ter feito a televisão que eu quis… Acho que a forma como tudo foi feito na saída não foi a mais bonita. Não estou a falar da minha parte, mas de tudo aquilo que se disse e se escreveu. Gostava que tivesse sido diferente. Já brinquei com o Manel [Luís Goucha] em que ele me  perguntou: ‘Se eu amanhã te dissesse que ia para a SIC, o que é que tu farias?’. Eu disse-lhe que ficaria triste, mas ao mesmo tempo dava-lhe um abraço que gostava que me tivessem dado.”

 

“Se eu quisesse estar a ganhar todos os dias, eu teria continuado na SIC”

 

Na opinião de Cristina Ferreira, esta campanha negativa em torno da sua imagem prende-se com várias questões. “Estou a pagar porque sou mulher, porque me chamo Ferreira – lembram-se da celebre frase ‘a filha do António’ que usei na entrevista com o Manel -, porque não é fácil aceitar o sucesso dos outros. Não é fácil entendê-lo fruto do trabalho apenas que temos vindo a desenvolver e porque nem todas as pessoas têm capacidade de arriscar como eu fiz”, assume.

A apresentadora garante ainda que, “se quisesse estar bem, estaria na SIC”. “Se eu quisesse estar a ganhar todos os dias, tranquila, feliz da vida e com um bom ordenado, eu teria continuado lá. Eu não quis isso para mim. Eu sabia o risco que era vir para uma estação que naquele momento estava a perder por sete pontos e sabia exatamente o que iria cair sobre mim se eu não conseguisse. Eu tive noção de todos os riscos quando mudei, mas eu quis mudar, com tudo aquilo que isso implicava. Eu só me arrependeria era se tivesse ficado e não tivesse nunca vindo aqui saber como é que seria”.

 

“Viveria perfeitamente hoje em dia atrás das câmaras, sem mais nada”

 

Cristina Ferreira assume que lida bem com as críticas, mas quisemos perceber como o filho, Tiago, de 12 anos, lida com o que se escreve sobre a mãe. “Liga zero. Graças a Deus. Eu às vezes faço a pergunta e ele liga zero. Ele agora vai fazer 13 e a altura da adolescência pode ser um bocadinho mais complicada, mas como ele está protegido… Tem os colegas que o conhecem desde o primeiro ano, vivemos todos no mesmo sítio, as pessoas conhecem-me bem, a minha família é unida e sabem exatamente quem eu sou, que não há espaço para esse tipo de conversas, nem ele liga nenhuma”, sublinha.

A trabalhar como Diretora de Entretenimento e Ficção e como apresentadora, funções que acumula como administradora da dona da TVI, a Media Capital, Cristina Ferreira explica como tem tempo para a família e assume que essa é uma premissa da sua vida.

“Tenho muito. Sou muito organizada. Quando estou aqui no programa, saio um bocadinho mais tarde, mas o meu filho também vai voltar aos treinos, portanto, chegamos quase à mesma hora a casa. Tenho muito tempo para tudo, sei muito bem desligar a ficha quando tenho que desligar, embora quando se é Diretora de Entretenimento trabalha-se 24 horas por dia. Então na altura de um reality…”, afirma, revelando que vê a sua vida fora dos ecrãs e apenas atrás das câmaras.

“Se me perguntarem hoje, e eu gosto muito de fazer televisão, o que é mais estimulante para mim, é tudo o aquilo que não é apresentar um programa. Adoro reuniões, programar, e tudo o que envolve o que as minhas funções acarretam agora”, afiança, para responder se um dia vai deixar de apresentar programas. “Um dia, sim, inevitavelmente. Eu brinco e até costumo dizer que me vou reformar muito cedo. Eu encontro os meus caminhos sem precisar desta exposição. Não preciso dela para nada. Viveria perfeitamente hoje em dia atrás das câmaras, sem mais nada”, assegura.

 

Cristina Ferreira: “É óbvio que eu não vou voltar à SIC”

 

Em entrevista a Manuel Luís Goucha, no programa das tardes “Goucha”, a apresentadora afirmou que, mesmo que vá para outro lado, fará de tudo para continuar a ganhar. Cristina Ferreira esclareceu esta declaração, reafirmando que a TVI será o último canal onde trabalhará.

“E ganho, mas não é na televisão. Isso é certo. É óbvio que eu não vou voltar à SIC, até porque as relações não ficaram as melhores, é público [referindo-se ao processo em tribunal que enfrenta com a SIC]. Mas eu sei o que quero para a minha vida e sei que não quero mudar de televisão. Eu vim com um propósito para a TVI, é esse propósito que eu quero cumprir. Quando eu o cumprir, logo decido se quero continuar cá muitos anos ou se quero fazer outra coisa na vida”, explica.

 

“Cristina comVida” pode terminar: “Vou manter até eu achar que tem caminho”

 

“Cristina ComVida” não tem liderado no seu horário e a apresentadora comenta o percurso do formato. “Há aqui uma coisa de que eu tenho pena: o que eu faço aqui, as pessoas já viram na SIC. O que é certo é que aquele programa foi inspirado na ideia que era deste projeto. E este é um horário muito complicado. Não corre bem? Daqui a um tempo, se eu achar que este programa ou não é deste horário ou tem de acabar ou tem de mudar, mudo. Não tenho problema nenhum com isso. O que é certo é que as pessoas já querem que eu acabe com o programa ou que eu o destrua ou o mude. Vou manter até eu achar que tem caminho”, termina Cristina Ferreira.

 

Texto: Ana Lúcia Sousa; Fotos: Arquivo Impala e reprodução redes sociais

PUB
Top