“Nazaré”: Joaquim é ilibado da morte de Roberto

Saiba o que acontece na novela “Nazaré”, no episódio desta noite. Joaquim acaba por ser ilibado da morte de Roberto.

23 Out 2020 | 13:40
-A +A

Na Atlântida, o criminoso entra, disfarçado de eletricista, e dá um documento falso à secretária. Liga a Rui e diz que, ao início da tarde, já terá tudo pronto. A secretária vai observando os seus movimentos.

Na quinta, Bernardo está a retirar a pulseira a Joaquim e diz que, apesar das provas não serem aceites em tribunal, que foram ouvidas as conversas e chegou-se à conclusão que a voz da gravação é a de Roberto. Bernardo diz que se safou e levou apenas um raspanete do chefe.

Cris está a falar com Sónia quando recebe uma chama de Ana e sai a correr em direção à loja. Cris segue com Sónia para a loja. Ana diz ao irmão que roubaram pranchas e leashes e que nem tocaram no dinheiro, por isso, foi um caso de vingança.

Duarte chega à Atlântida, cumprimenta a secretária e repara no criminoso quando a secretária lhe diz que estão só a fazer uns testes elétricos. Duarte pede-lhe que marque uma reunião com o conselho administrativo, para essa tarde.

Na Atlântida, a secretária diz que vai almoçar e o criminoso acede. Quando esta sai, ele dirige-se para o gabinete da presidência.

Vemos o criminoso a borrifar um dos copos com um spray e depois a enviar uma SMS a Rui a dizer qual dos copos é que está contaminado.

Ana fala do material que roubaram e Cris comenta que só pode ter sido uma pessoa. Sónia está visivelmente incomodada e Érica entra, de repente, e pede que vão com ela.

Érica leva-os até às traseiras do Mercado onde vemos as pranchas, que roubaram, todas queimadas. Érica diz que foi mesmo um ato de maldade sob o olhar irritado de Sónia. Ana está convencida de que foi Gil.

Rui chega à Atlântida e pergunta pelo irmão. A secretária tenta impedir, mas Rui segue para o gabinete de Duarte. A secretária ainda vai atrás de Rui, mas é apanhada pelo criminoso que a põe a dormir com um pano na boca.

Duarte não gosta da atitude de Rui por ter entrado sem bater como se estivesse em casa. Rui, sonso, tenta mostrar que está arrependido e que gostava de ter uma conversa civilizada com o irmão. Duarte não lhe dá abébias e pede que se retire, mas Rui propõe um brinde e Duarte acaba por ceder. Depois de beberem o whisky, Rui senta-se na cadeira da presidência e diz a Duarte que vai ficar ali só a observar o espetáculo. Antes que Duarte tenha tempo de dizer ou fazer alguma coisa, cai inanimado no chão.

Reveja aqui o episódio anterior.

Texto e Fotos: Divulgação SIC

PUB
Top