NOVO PROGRAMA de José Carlos Malato já tem DATA DE ESTREIA!

José Carlos Malato tinha revelado à TV7 Dias que tinha um novo programa em mãos. Agora, o apresentador anunciou nas redes sociais o nome e a data de estreia do novo desafio.

20 Jan 2019 | 11:59
-A +A

Depois de ter revelado à TV7 Dias que estava a preparar-se para um novo desafio profissional, José Carlos Malato desvendou mais detalhes através das redes sociais. Este sábado, 20 de janeiro, o apresentador revelou o dia de estreia e o nome do formato.

«Sente-se confortavelmente no sofá e espere um pouco mais. Em breve, vai poder ver o meu novo programa e receber notícias de PORTUGAL NO MUNDO. Aos domingos na RTP1 e na RTP Internacional. Estreia 27 de janeiro. Este mês vão comigo a Vanessa Oliveira e Tiago Goes Ferreira», partilhou no Instagram.

Leia mais: José Carlos Malato de volta a casa depois de OPERAÇÃO de URGÊNCIA!

 

O ano de 2018 foi para José Carlos Malato um ano de tristeza. Depois do fim da relação com João Caçador, da morte do pai, António Malato, e de a relação com a mãe estar a atravessar uma fase complicada, o apresentador mostra-se entusiasmado com este novo projeto.

 

«Energúmena. Expulsem-na»

Na passada quinta-feira, dia 10 de janeiro, a TVI levou para o ar a reportagem da jornalista Ana Leal cuja temática deu muito que falar. Maria José Vilaça, a psicóloga que surge na reportagem filmada com câmara oculta, é responsável por sessões de «aconselhamento espiritual» numa Igreja em Lisboa.

A psicóloga, presidente da Associação de Psicólogos Católicos, defende ideias muito polémicas sobre a homossexualidade. José Carlos Malato, homossexual assumido, não deixou passar o assunto em branco e fez questão de partilhar a opinião através de uma publicação no Instagram.

Espreite: Malato sobre a MÃE: «tenho a RELAÇÃO que ela permite»

 

O apresentador da RTP recorreu a um artigo de uma publicação nacional, de 2016, em que Maria José Vilaça afirma que «ter um filho homossexual é como ter um filho toxicodependente».

«A Ordem dos Psicólogos já se demarcou e criticou esta energúmena. Expulsem-na! Mais uma vez reafirmo a minha convicção de que o acto médico não deve, nem pode, ser contaminado por qualquer convicção religiosa. O juramento hipocrático devia incluir esta cláusula. Quanto do que tem sido construído foi agora destruído com afirmações deste tipo? Quanto sofrimento vai causar, já causou?», diz o rosto da RTP.

Texto: Redação WIN – Conteúdos Digitais; Fotos: Redes Sociais

PUB
Top