Nuno Graciano acusa: «Tentaram destruir-me»

O apresentador dá uma entrevista polémica e bombástica onde revela a causa do seu afastamento da televisão.

26 Jan 2018 | 15:53
-A +A

Nuno Graciano é o próximo entrevistado de Daniel Oliveira, no «Alta Definição» este sábado, dia 27 de janeiro.

O apresentador quebra o silêncio e conta, pela primeira vez, porque é que está afastado da televisão portuguesa há dois anos. Numa conversa franca, Nuno Graciano aponta o dedo a várias pessoas.

«Fui massacrado»

«Acabei por dar mão e braços a pessoas que hoje cagaram para mim completamente e isso é uma magoa enorme que eu tenho. Não acho justo, não acho correto, não acho que a vida tenha que ser assim», confessa.

«Fui muito massacrado ultimamente, fizeram-me de facto mal. Amachucaram-me, sabes, achincalharam-me, tentaram-me destruir. Porquê não sei ainda, acho que nunca saberei, mas tentaram destruir-me», adianta, magoado.

«Tive que me reinventar»

Para sobreviver e conseguir criar os seus quatro filhos, Graciano teve de se dedicar à produção de queijos da Serra da Estrela e criou uma marca própria: o «Queijo do Tio Careca».

«Eu tive que me reinventar, podia ter ficado como muitas pessoas em casa na cadeira a ver o que é que acontece, a ver se o telefone toca, mas eu disse não. Não me vão destruir porque eu não vou permitir. Eu tenho responsabilidades familiares, tenho quatro filhos fantásticos que eu tenho que criar e a quem tenho de dar o exemplo de que quando a vida nos prega rasteiras nós temos de nos reerguer», conta.

Antes da «queda»

Antes da «queda», o apresentador era um dos rostos mais familiares da televisão. Passou pelos três canais generalistas, TVI, SIC e RTP. Apresentou programas como «Ri-te, Ri-te», «Os Apanhados da Bola«, «Flagrante Delírio» e «Não Há Crise!». Apresentou ainda o concurso «Ai os Homens» e os programas «Os Donos da Bola», «SIC ao Vivo» e «Contacto», ao lado de Rita Ferro Rodrigues.

A par destes formatos, teve participações nas séries «Uma Aventura», «Floribella», «Fábrica de Anedotas» e «Aqui Não Há Quem Viva». O seu último trabalho em televisão foi na CMTV. Conduziu o «Manhãs da CMTV», «Cem Maldades» e «Liga Futre», um formato em direto, que contava com a participação do convidado Paulo Futre.

Recorde, na fotogaleria, os tempos áureos de Nuno Graciano e veja a transformação do apresentador, desde os anos 90 até à atualidade.

 

 

PUB
Top