Mudanças começam em breve! Nuno Santos dá primeira entrevista após «dia intenso» na TVI

Em entrevista a Pedro Pinto e Miguel Sousa Tavares, o novo Diretor de Programas da TVI constatou que «há muito trabalho pela frente» e prometeu mudanças na programação para «meados deste ano».

14 Jan 2020 | 18:20
-A +A

No dia em que iniciou funções como Diretor de Programas da TVI, Nuno Santos concedeu a sua primeira entrevista como responsável pela programação do canal da Media Capital. Respondendo às perguntas de Pedro Pinto e Miguel Sousa Tavares, o editor do Jornal das 8 às segundas-feiras, o recém-chegado a Queluz de Baixo fez saber que já pôs as mãos na massa.

A delinear uma nova estratégia, o programador prometeu novidades para breve. «A oferta que estamos a preparar… […] Eu diria que começará a ter impacto a partir de meados deste ano. Depois, num segundo momento, naquilo a que chamamos de rentrée, no pós-verão, em setembro. E até já estou a olhar para 2021. Isso significa que há muito trabalho pela frente», afiançou Nuno Santos.

Defendendo que «o tempo é de trabalhar e não tanto de falar», o novo Diretor de Programas da TVI recusou adiantar pormenores sobre as novidades que estão a ser preparadas. E disse ter consciência de que a reviravolta – leia-se recuperar a liderança das audiências, perdida há um ano para a SIC – é um processo demorado, ou não fossem «estes ciclos normalmente longos».

«Um canal generalista e uma oferta multiplataformas como temos trabalha para toda a gente e tem de chegar às pessoas. Esse é o grande desafio que tenho e que a equipa que vamos constituir tem pela frente», disse ainda, deixando no ar a hipótese de estar a formar uma direção com elementos diferentes daqueles que têm definido, nos últimos anos, o rumo da TVI.

 

«É possível inverter a situação», acredita Nuno Santos

 

O rumo da TVI é, na verdade, cada vez mais certo, uma vez que estará por dias a concretização do negócio da compra da Media Capital, que tutela o canal, pelo grupo Cofina, que detém meios como o Correio da Manhã e a CMTV. Um facto que mereceu uma especial menção de Nuno Santos na entrevista no noticiário da TVI.

«Estamos numa fase de viragem, num momento em que o próprio mercado está numa fase de viragem. Há uma mudança acionista prestes a concretizar-se. E isso significa que algum do fôlego perdido pela TVI nos últimos tempos… [interrompe] Não quero quantificá-lo em rigor. É possível inverter a situação e voltar a colocar a TVI no centro das atenções e perto das pessoas», afirmou.

De resto, este é um fator que, na opinião de Nuno Santos, sempre esteve no ADN da TVI. «Julgo que se quebrou um elo muito forte que existia entre os portugueses e a TVI. A TVI foi sempre a televisão mais próxima das pessoas», notou o antigo jornalista no final de um dia «longo, intenso, bem passado e bem vivido, a tentar perceber os cantos à casa».

Nuno Santos entrou para a Direção de Programas da TVI em substituição de Felipa Gernel, que resistiu na cadeira do poder apenas cinco meses. A antiga apresentadora foi chamada pela administração de Luís Cabral aquando do término da ligação de Bruno Santos ao grupo Media Capital. Foi no mandato deste programador que a TVI deixou escapar para a SIC o título de canal mais visto em Portugal.

 

VEJA TAMBÉM:
Nuno Santos já está em ação na TVI: «Quero e vou estar à altura da responsabilidade»
TVI a Amar Demais! Gravações de próxima novela começam no centro de Lisboa
Protagonista da nova novela da TVI vai ser pai pela primeira vez

 

Texto: Dúlio Silva; Fotografias: Arquivo Impala

PUB
Top