O Triângulo: Rubim Fonseca fala sobre experiência no reality show da TVI

Rubim Fonseca fala sobre o concorrente que, na sua opinião, mais se superou, comenta as dificuldades de Sara e fala dos benefícios que a ida ao programa trouxe para a sua empresa.

26 Jun 2023 | 9:00
-A +A

A semana da recruta foi uma das mais duras de OTriângulo e, ao mesmo tempo, eleita como uma das favoritas pelos concorrentes. Agora, Rubim Fonseca, dono da Scornio, a empresa que foi à casa mais vigiada do país dar formação em sobrevivência, dá a sua visão sobre a prestação dos concorrentes.

Na ótica do empresário, “a Sara foi mais complicado, mas na semana em que estivemos lá ela estava com problemas de saúde. Nós sabíamos que não podíamos puxar muito por ela. Tendo em conta o problema de saúde que ela teve, ela foi incrível. Podia não ter feito nada, tinha essa desculpa e não o fez. Ela esteve sempre a querer fazer”, diz em exclusivo à TV 7 Dias. Para os três instrutores, Inácia foi a que mais facilmente entendeu o que queriam pois, sublinha, “ela estava a absorver tudo ao máximo. Mas não foi a única, também o Domingos e o Moisés”.

Quanto àquele que mais se superou, foi, sem dúvida Tiago Graça. “Se calhar, de todos, foi o que teve a maior superação de todas. O Tiago era o mais frágil a nível físico e teve aquela missão no exterior em que aquilo foi mesmo mesmo muito puxado. Aquilo é pior do que nas imagens e ele veio de lá tipo ‘uau, não sabia que era capaz de fazer uma coisa destas’. Eu acho que ele percebeu que os limites dele podem ir muito mais além. Só tem de ter calma”, reconhece Rubim.

“O Triângulo foi uma boa oportunidade de mostrar o que fazemos”

Mas não foram apenas os concorrentes que beneficiaram com a ida da Scornio ao programa da TVI. “O Triângulo foi uma boa oportunidade de mostrar o que fazemos porque, normalmente, as pessoas associam a tropa à praxe, à seleção, a uma coisa muito dura. Nós, na Scornio, baseamo-nos em boas práticas militares, mas temos um lado motivacional muito grande que não existe no lado militar. Nós estamos a fazer aquelas coisas para as fortalecer para a vida”, esclarece.

Apesar de a semana da recruta ter sido dura para os concorrentes, muitos foram os que elegeram essa a altura como a melhor do programa. “Eles perceberam a mensagem, que estávamos lá para ajudar, para os tornar mais fortes e correu muito bem nesse sentido. Por isso é que quando voltámos eles estavam todos contentes e muitos deles até disseram que foi das melhores semanas que tiveram lá dentro. Fico muito contente com essa reação”, admite.

Textos: Carla Ventura (carla.ventura@impala.pt); Fotos: Reprodução Instagram e Reprodução TVI
PUB