“Obrigado e até sempre”: António Sala faz sentido desabafo após morte de artista

O apresentador partilhou um desabafo nas redes sociais, em que se mostrou sensibilizado com a morte de uma artista que muito admirava.

10 Nov 2022 | 15:50
-A +A

António Sala recorreu às redes sociais para partilhar um desabafo sobre a morte de Gal Costa, que faleceu ontem, dia 9 de novembro, e que deixou o Brasil de luto.

Mas a morte desta artista também se fez sentir em Portugal. António Sala foi uma das figuras públicas portuguesas que recordou a artista com muito carinho e admiração pelo trabalho desenvolvido em vida.

“Estou triste. Partiu uma das maiores cantoras de sempre do Brasil e do mundo. Obrigado Gal Costa por todos os momentos de beleza e magia que nos ofereceu, e que tornaram ao longo de tantos anos, as nossas vidas mais luminosas e felizes. Obrigado Gal Costa e até sempre“, escreveu o radialista, na sua conta pessoal do Instagram.

Veja aqui a publicação de António Sala:

Leia ainda: Luto: Morreu Gal Costa. Cantora brasileira tinha 77 anos

“Ela exagera e às vezes é injusta”. António Sala arrasa Joana Marques

António Sala foi o convidado do programa ‘Maluco Beleza’ da passada segunda-feira, dia 24. Questionado por Rui Unas sobre o que acha sobre o programa ‘Extremamente Desagradável’, de Joana Marques, o ex-apresentador deu a sua opinião.

Durante muito tempo, António Sala foi um dos grandes nomes da Rádio Renascença, onde apresentou o programa ‘Despertar’, com Olga Cardoso. Na altura, anos 80 ou 90, um programa como o de Joana Marques seria impensável, afirma o ex-apresentador: “A própria sociedade, às tantas, dava coices e rejeitaria o ‘Extremamente Desagradável’, mas já existiam os ‘Extremamente Desagradáveis’ da altura”.

Sendo este um dos programas com mais ouvintes nos dias de hoje, Rui Unas perguntou: “Como é que ouve hoje o Extremamente Desagradável?”, ao que António Sala respondeu: “Há alguns que acho que são muito interessantes e muito giros e ela mete bem o dedo nas feridas e nas coisas. Há outros em que eu acho, e é uma opinião pessoal, em que ela exagera e às vezes é injusta em relação a determinado tipo de abordagens, de pessoas e de críticas”.

Leia a notícia completa aqui.

Texto: Luís Duarte Sousa; Fotos: Redes Sociais

PUB