Ovar entra em estado de calamidade pública. Saiba o que significa

O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, depois de o número de casos com Covid-19 ter duplicado nas últimas 24 horas.

17 Mar 2020 | 19:15
COVID-19
-A +A

O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, depois de o número de casos com Covid-19 ter duplicado nas últimas 24 horas. Registam-se mais de 30 casos. O Governo ratificou essa decisão, em conferência de imprensa, ao final da tarde de hoje.

«Determino o encerramento de todos os estabelecimentos comerciais e serviços não essenciais, bem como a limitação de movimentação de pessoas, de e para o Concelho de Ovar, devido à existência de perigo para a Saúde Pública, nomeadamente de risco de contágio de Covid-19 e como medida de contenção, pelo período de 18/03/2020 a 02/04/2020», anunciou na página de Facebook Salvador Malheiro.

Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, explicou os fundamentos e parâmetros desta medida, que implica «a criação de uma situação de cerca sanitária, aplicada a todo o município». A circulação de pessoas passa a estar fortemente limitada. «Salvo um conjunto de situações excecionais, residentes regressando a casa, abastecimento de áreas que devam continuar em funcionamento, exceto nesses casos fica vedada a saída para fora do município e é vedado o acesso ao município», explicou.

«Ficam igualmente interditas todas as atividades comerciais e industriais, exceto as que são relativas ao setor alimentar», acrescentou ainda. Na prática, isto significa restaurantes fechados, oficinas encerradas. Padarias e supermercados, apenas na área de abastecimento alimentar continuam abertos, bem como farmácias, bancos e postos de abastecimento de combustível.

A ministra da Saúde Marta Temido explicou que esta medida é aplica por haver o risco de «contágio comunitário». Há atualmente 30 casos confirmados no concelho de Ovar, além de 440 contactos, ou seja, pessoas que interagiram com os infetados.

Covid-19 já matou mais de seis mil pessoas

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou cerca de 170.000 pessoas, das quais 6.850 morreram. Entre o número total de infetados, mais de 75.000 já recuperaram da doença. O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se entretanto por mais de 140 países e territórios.

Depois da China, que regista a maioria dos casos, a Europa tornou-se o epicentro da pandemia, com quase 60.000 infetados e pelo menos 2.684 mortos. Os países mais afetados são: Itália, com 2.158 mortos em 27.980 casos; Espanha, com 309 vítimas mortais em 9.191 infetados; e França, com 127 falecimentos em 5.423 diagnósticos confirmados.

Portugal registou segunda-feira a primeira morte por Covid-19. Trata-se de um homem de 80 anos que estava internado há vários dias no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, com várias patologias associadas.

Segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), há 331 pessoas infetadas até hoje, sendo que, dos casos confirmados, 192 estão a recuperar em casa e 139 estão internados, 18 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos Do total de infetados em Portugal, três já recuperaram.

 

Texto: Carla S. Rodrigues

 

Veja mais:
Big Brother Brasil: concorrentes já sabem do coronavírus e ficam em pânico
Coronavírus: Fátima Lopes ausenta-se da TVI para cuidar do filho

PUB