Paco Bandeira para Goucha: «EU DISSE-TE QUE NÃO ERA UM AGRESSOR»

Paco Bandeira esteve nas manhãs da TVI e recordou os últimos seis anos da sua vida, em que foi se afastou da vida pública depois de ter sido condenado por abusos psicológicos e violência doméstica.

03 Jan 2019 | 15:40
-A +A

Paco Bandeira foi entrevistado por Manuel Luís Goucha e Maria Cerqueira Gomes no programa Você na TV, desta quinta-feira, dia 3 de janeiro. O cantor falou sobre a condenação por maus-tratos a pessoas que não conhece e da reconquista da confiança dos portugueses.

 

Veja mais: Paco Bandeira: «a minha filha tinha medo de se chegar ao pé de mim»

 

Terá sido depois de ter sido condenado a uma pena suspensa por abusos psicológicos e violência doméstica, em 2012, que a carreira do cantor se desmoronou ao ponto de os editores lhe enviarem de volta os CD’s.

Tal como tinha contado na reportagem da SIC Vidas Suspensas, desde esta altura, Paco Bandeira quase não tem trabalho e vende «produtos da terra» para sobreviver. Ninguém lhe marca concertos e Paco culpa a ex-mulher, Maria Roseta. Recebe cerca de 400 euros de reforma, mais 150 de pensão de viuvez, mais 800 euros da Sociedade Portuguesa de Autores.

Em conversa com os apresentadores, o músico queixa-se que foi condenado por maus-tratos a duas pessoas que não conhece. «Neste momento não existe ética nem etiqueta. Fui vítima. Fui condenado com pena suspensa mas se vires bem na sentença está lá por maus-tratos ao Rúben e ao Diogo, não por maus tratos à mãe da minha filha nem à minha filha, por isso fui absolvido. Eu gostava que alguém me dissesse onde está esse Rúben e esse Diogo que eu não vi, não sei quem são. Faço aqui um apelo para eu conhecer as minhas vítimas.»

«Eu disse-te que não era um agressor»

 

Paco Bandeira nega toda as acusações e afirma que Maria Roseta, a ex-mulher, manipulou a filha de ambos, Constança, para que testemunhasse contra o pai.

Confrontado por Goucha, que sempre lhe disse que ficaria muito desiludido se se provasse que era um agressor, o cantor explica:

«Eu disse-te que não era um agressor. Está lá violência psicológica. A violência psicológica foi provada por uma das testemunhas que é irmã da mãe da minha filha que diz que um dia fechada num armário me ouviu chamar ‘rameira’».

E conta ainda: «Das minhas testemunhas nenhuma foi aceite porque eventualmente seriam compradas. Nunca ninguém viu nada. E a história de haver uma arma é que dez anos antes eu teria apontada uma arma quando ela tinha a minha filha ao colo».

Depois da reportagem da SIC, em que os portugueses ficaram a saber que a filha Constança, de 19 anos, culpou a mãe Maria Roseta de violência doméstica e maus-tratos, em tribunal, Paco afirma que a vida «mudou completamente». «Ainda há dias teve lotação esgotada num concerto, isso não acontece há muito tempo.»

Paco explica também que os episódios mais difíceis com a ex-mulher eram, ao contrário do que Maria dizia, simples «discussões civilizadas» que acontecem com todos os casais.

«Se aquilo que eu fiz e a mãe da Constança que fez muito mais que eu, fosse de tal maneira crime, não havia um único casal que não estivesse em tribunal. Era ela dizer-me qualquer coisa e eu responder. Foram discussões civilizadas.»

Tal como tinha referido na reportagem do canal de Carnaxide, Paco acusa a ex-mulher de ter criado um plano para «estragar uma vida». Vida essa que «não vou recuperar nunca mais».

«Tiraram a dignidade do meu nome»

 

Ao longo dos últimos anos, Paco Bandeira tem-se dedicado a um turismo rural e afirma que a única coisa que mudou foi não ter «tanto dinheiro para poder ajudar tanta gente».

«Fiz um turismo rural e agora estamos com um sucesso enorme. Só perdi um amigo. E arranjei centenas deles. Não me tiraram nada, deram-me mais importância. Tiraram-me muita dignidade, mas não a minha. Tiraram a dignidade do meu nome. Vivi sempre bem, mas deixei de ter tanto dinheiro para poder ajudar tanta gente.»

No mundo da música, os concertos que foi dando foram maioritariamente no estrangeiro. «Cá só fiz festas de solidariedade, fiz um ou dois concertos pagos. Comecei agora a fazer».

«Estou muito melhor. Aprendi que a verdadeira humildade que eu cultivava, agora tenho a humildade que eu sempre tive e nunca senti. Estou melhor, faço música melhor», acaba por dizer. Atualmente, Paco Bandeira é casado com Gisela de Jesus, taróloga. A mulher afirma que nunca teve razões de queixa do marido, elogiando-o.

 

Texto: Redação WIN – Conteúdos Digitais; Fotos: Impala e reprodução Instagram

PUB
Top