Pandemia da covid-19 está a deixar Entretenimento e Ficção à beira de um ataque de nervos

Os danos colaterais da covid-19 estão a deixar a produção de conteúdos desesperados. “Bem Me Quer”, da TVI, é o caso mais grave, com protagonistas a testarem positivo ao vírus.

22 Nov 2020 | 12:30
Ficção
-A +A

Desde que a covid-19 entrou “em cena”, em fevereiro deste ano, que a forma de trabalhar em televisão se alterou, de modo a tentar limitar ao máximo o risco de infeção de todos os profissionais envolvidos em gravações de programas, séries e novelas.

Para além deste fator primordial há ainda o aspeto financeiro, uma vez que, por exemplo, cada episódio de novelas pode custar valores a rondar os €30 mil euros. Mas as últimas notícias não têm sido animadoras, em especial para a novela “Bem Me Quer”. Bárbara Branco e José Condessa, dois dos protagonistas da novela, chegaram a estar em casa. “A Bárbara testou positivo, mas no segundo já deu inconclusivo. De momento está assintomática. O Zé também fez o teste, mas deu sempre negativo. De qualquer forma está de quarentena e vai continuar”, revela-nos fonte da produção da Plural. A TV 7 Dias teve a informação que Rita Ribeiro, a Teodora na trama, também terá testado positivo, mas esta desmente. “Eu não testei positivo. Eu não…”, diz-nos. Ainda assim, segundo uma fonte da Plural, a atriz não se encontra a gravar.

Com mais este cenário, se já não estava fácil planear as gravações, pior ficou seja pelos atrasos provocados por profissionais infetados ou de quarentena profilática, seja pela limitação de movimentações. De acordo com fonte da Plural, a produtora da TVI, “os planos de gravações de Bem Me Quer estão caóticos. A novela esteve uma semana parada e mesmo quando as gravações arrancaram os planos tiveram que ser adaptados porque alguns atores estavam de quarentena e a aguardar os resultados dos testes. Ou seja, teve que se mudar todo o alinhamento consoante os atores que estavam disponíveis para gravar”, conta-nos.

Este efeito dominó começou com São José Correia, por supostamente estar infetada, obrigando as gravações a pararem para que toda a gente fosse testada. Apesar de ter testado negativo num segundo teste, o “estrago” já estava feito. A produção de “Bem Me Quer” ainda tentava recuperar do atraso provocado por este episódios, quando na semana seguinte Angie Costa, uma das atrizes do elenco testou mesmo positivo ao novo coronavírus e foi para casa, juntamente com André Nunes, Paula Neves e Kelly Bailey, que com ela contracenam diretamente. A quarentena de Kelly foi especialmente complicada pelo número de cenas em que entra.

Para limitar os riscos, o planeamento da novela de Maria João Mira limitou as saídas de estúdio, só que, com estes atrasos, a produção da novela, não estando comprometida, fica mais difícil. “Os exteriores também têm sido mais evitados por uma questão de segurança pois o risco para as equipas é maior”, diz-nos a mesma fonte acrescentando que “no início do Bem Me Quer foram gravados bastantes exteriores para que caso houvesse uma segunda vaga, como está a acontecer, não colocasse em risco a emissão da novela mas… está cada vez mais difícil.”

Para aumentar as dores de cabeça de técnicos e atores, os planos de gravação “são mudados quase diariamente”, resume. No meio do caos, as restrições de circulação impostas pelo Governo de António Costa acabam por não afetar tanto a “máquina” deste produto de ficção nacional. “As restrições entre concelhos não colocam em risco a novela, pois as deslocações são em trabalho”, resume.

Em “Amar Demais”, a outra novela da TVI, o vírus parece ter dado tréguas, depois de ter tido Madalena Brandão a testar positivo, obrigando a uma paragem nas gravações. Até ao momento, tirando um susto ou outro, não voltou a ter nenhum caso confirmado.

 

Entretenimento afetado

A realidade de “Bem Me Quer” não é boa, mas no Entretenimento o cenário está à beira da rutura. Na mesma altura em que Angie Costa testou positivo, Bárbara Bandeira, tal como os namorados de ambas, Miguel Coimbra e Kasha, da banda D.A.M.A, testaram positivo.

Como Bárbara esteve no programa “Dia de Cristina”, na TVI, a apresentadora, Cristina Ferreira, teve de suspender o programa e ficar em casa. Depois de regressar à antena, no passado dia 10 de novembro, foi a vez de a nutricionista Iara Rodrigues e o seu marido André Manso, diretor de produção, testarem positivo e irem para casa, juntamente com mais dois elementos da direção de produção que com ele contactaram: Lurdes Guerreiro e João Patrício.

Cristina livrou-se de nova quarentena, uma vez que não esteve com nenhum dos três. Para além da suspensão do “Dia de Cristina”, as tardes de domingo foram arrasadas. Ao contrário de “Domingão”, na SIC, onde a estratégia para limitar o risco de contágios foi apresentar o programa no parque de estacionamento dos estúdios do Parque Holanda, “Somos Portugal” corre o país de norte a sul. Não se sabe se foi na sequência do programa do passado dia 1 de novembro, mas o certo é que Alice Alves, Mónica Jardim e Rúben Vieira (Ben) foram infetados com a covid-19. Cláudio Ramos e Maria Cerqueira Gomes asseguraram o programa do passado dia 8 de novembro.

A diretora de programas da TVI, Cristina Ferreira, já veio dizer que nesta fase a gestão tem de ser feita dia-a-dia e afirmou também que estará na linha da frente caso seja preciso substituir, por exemplo, Manuel Luís Goucha, no “Você na TV!” ou mesmo Teresa Guilherme, à frente de “Big Brother – A Revolução”.

Quem também foi para casa de quarentena depois de contactar com uma pessoa infetada foi Rúben Rua. O apresentador não teve ninguém a substitui-lo no programa, “Viva a Vida”, do passado dia 30 de novembro, tendo Helena Coelho, que se encontra grávida, conduzido o mesmo sozinha.

Também no entretenimento, os alarmes soaram na casa do “Big Brother” quando, há cerca de duas semanas, vários concorrentes começaram a acusar sintomas compatíveis com a covid-19, o que não se veio a confirmar. Contudo, a pandemia não deixou de afetar este formato, com a apresentadora dos diários, Mafalda Castro, a ir para casa depois de ter estado em contacto com uma pessoa infetada. Este afastamento sobrecarregou Maria Botelho Moniz, que ficou com as duas horas de programa ao final da tarde e ainda fazia o extra, à noite.

 

SIC também afetada

Do lado de Paço de Arcos, o Entretenimento gerido por Daniel Oliveira tem sofrido um pouco menos com esta pandemia, mesmo com os números da mesma a subir. Ainda assim, algumas produções já passaram por sobressaltos.

Neste momento, Cláudia Vieira, que apresenta “O Noivo é Que Sabe”, está em casa depois de ter testado positivo. A apresentadora irá gravar a sua parte nos casamentos dos famosos Pedro Guedes/Kelly Baron e de Rebeca assim que estiver recomposta, o que não deixa de ser um custo acrescido. Curiosamente, até à data, este programa da Shine Iberia, que está mais exposto que os restantes, por juntar muita gente, não teve mais ninguém infetado – Cláudia Vieira e a família ficaram contagiados depois de terem contactado com alguém que lhes é próximo.

Segundo a nossa revista apurou, a produtora tem seguido vários protocolos de forma rígida. “Trocamos de máscara de duas em duas horas e temos sempre alguém a verificar se todas as pessoas presentes em gravações já trocaram a sua. Até ao momento temos sido felizes, mas não facilitamos”, diz-nos fonte da produção do programa.

Ainda no entretenimento “Fama Show” e “E Especial” tiveram duas repórteres em casa depois de terem estado em contacto com um colega externo, que estava infetado. Foram elas Margarida Barreiras e Raquel Tavares.

Na ficção, a SIC tem neste momento várias produções em preparação, tanto para o canal generalista como para o canal de streaming, OPTO, que é lançado este mês. Em duas delas, “O Clube” e “Bate Coração”, já houve paragens por causa da Covid-19.

A semana passada, na série que fala de acompanhantes de luxo na noite de Lisboa, Carolina Torres, uma das atrizes, acusou positivo num primeiro teste, obrigando as gravações a parar dois dias. Mas tudo voltou ao normal depois de um segundo teste, que deu negativo, voltando as gravações de “O Clube” a serem retomadas.

No final do mês de outubro, nos bastidores da novela” Bate Coração”, Ivo Lucas teve cenário idêntico. Primeiro testou positivo e depois deu negativo. Ainda assim foi para casa oito dias obrigando a produção a mudar rotinas e planos de gravação.

Para evitar males maiores, a novela com nome provisório, “Serra”, que tem Sofia Alves e Júlia Palha como protagonistas, definiu a sua estratégia para prevenir males maiores e está a gravar desde o dia 2 de novembro na Serra da Estrela. A ideia desta medida, caso surja algum contágio, é salvaguardar a produção de conteúdos, com vários episódios de avanço.

Mas isto não impediu as gravações de pararem a semana passada, depois de uma atriz do elenco, que se encontra na serra a gravar, ter testado positivo, obrigando toda a equipa, técnicos e atores a descer para Lisboa para fazer os testes. “Estávamos cerca de 30 pessoas no total na Serra da Estrela e todos vamos ser testados e ficar de quarentena. Está previsto os testes serem feitos entre sexta e a próxima terça. Já os que estão em estúdio vão continuar os ensaios normalmente, mas também fazem testes de despistagem na próxima semana por precaução. Ainda agora estávamos a começar a novela e agora isto atrasa tudo”, conta em exclusivo fonte da produção à TV 7 Dias.

Júlia Palha, Carolina Carvalho, Oceana Basílio, Jorge Corrula, Íris Cayate, João Jesus, Vítor Silva Costa, João Mota e José Mata era o grupo de atores que se encontravam a gravar. Sofia Alves, que devia ter subido para gravar no passado dia 12 de novembro, escapou à quarentena. Carolina Carvalho namora com David Carreira, que grava em “Bem Me Quer”, na TVI.

A TV 7 Dias sabe que o ator deveria ter gravado no passado dia 11 de novembro, mas que tal não aconteceu, não tendo sido confirmado que o cantor faltou por causa do sucedido com Carolina.

Ainda na SIC, mas na informação, o programa sobre crime, “Linha Aberta”, foi obrigado a fechar provisoriamente a sua emissão, porque Hernâni Carvalho foi para casa cumprir quarentena no início do mês. Ainda assim, o jornalista tem feito diretos com a “Casa Feliz”, para comentar os temas da atualidade relacionados com o crime.

 

Revolta na RTP

Com os números da covid-19 a subirem a RTP mantém a sua intenção de fazer a emissão do Natal dos Hospitais, que terá lugar no hospital São João, no Porto. Numa publicação na sua página de facebook, a Comissão de trabalhadores mostra-se contra esta iniciativa.

“Numa altura em que todos os profissionais da saúde desesperam diariamente para salvarem vidas, a RTP leva festa ao segundo maior hospital do país. Haja bom senso!”, escrevem acrescentando que “realizar o Natal dos Hospitais a partir do átrio desta unidade hospitalar, numa altura em que a pandemia exige recolhimento, cuidado e prevenção é sinal de irresponsabilidade e irreflexão.”

A Comissão de trabalhadores considera ainda que avançar com esta emissão tradicional expõe “os trabalhadores da RTP, que já estão a preparar este evento, e que correm riscos desnecessários ao terem de trabalhar num hospital da primeira linha covid. Uma irresponsabilidade que expõe todos os convidados do Natal dos Hospitais, e são sempre muitos, como todos sabemos.” Ainda no seu comunicado a Comissão não se opõe à realização do Natal dos Hospitais, desde que este programa seja realizado “em casa, ou seja, no estúdio. Aí a RTP levará a todos um sinal mais próximo da realidade que estamos a viver”, defendem.

Este comunicado surge numa altura em que o número de casos conhecidos na RTP é muito reduzido, mas que tem afetado o programa da manhã, “Praça da Alegria”. Depois de Jorge Gabriel ter estado de quarentena em Agosto, após passar férias em Porto Santo com a família, Sónia Araújo acusou positivo há cerca de três semanas, obrigando o apresentador a nova quarentena. A apresentadora continua em casa, uma vez que os testes têm dado inconclusivo impedindo-a de regressar. Joana Teles tem sido a apresentadora escolhida para substituir Sónia.

Textos: Luís Correia (luis.correia@impala.pt), Carla Ventura (carla.ventura@impala.pt) e Neuza Silva (neuza.silva@impala.pt)

(Artigo originalmente publicado na edição 1757 da revista TV7 Dias)

PUB
Top