Papel Principal: Casamento arruinado

Em Papel Principal, Daniela fica em choque por descobrir que foi Pedro quem matou o marido dela, desiste de casar e vai à esquadra apresentar queixa.

24 Mar 2024 | 18:17
-A +A

Em Papel Principal, da SIC, no dia do casamento de Daniela (Melânia Gomes) e Pedro (João Vicente), Teresa (Cleia Almeida) interrompe a cerimónia para contar à noiva que foi Pedro quem provocou o acidente que vitimou Tiago. Daniela tem um ataque de raiva, bate no noivo e diz que nunca mais o quer ver, cancelando o casamento.

Veja ainda: Aurora simula aborto

Posteriormente, no café, o ex-jornalista está de rastos e desabafa com Fred (Ângelo Rodrigues). “Tu disseste para não me meter nisto, para me afastar e eu fiquei cego”, afirma. O amigo apoia-o e frisa: “O amor é cego. Estavas apaixonado e não forçaste a nada, tu próprio lutaste pelo que sentiam até não dar mais.”Arrasado, Pedro sublinha: “E agora perdi-as. Perdi tudo. Elas acham que eu sou um monstro! Um mentiroso assassino. O que é que eu faço agora? Eu matei o Tiago, foi o meu carro que embateu no delas. Fui eu que fugi como um cobarde. Fui eu que decidi tomar conta delas. A culpa é toda minha. Eu magoei-as antes e agora.”

Mais tarde, na esquadra, Daniela entra furiosa e depara-se com Pedro, que lhe diz: “Não precisas de fazer queixa nenhuma…” A atriz encara-o e diz ao polícia: “Ele é um assassino! Não acreditem nas mentiras dele, este homem matou o meu marido!” O dono do café interrompe-a e revela: “Eu vim entregar-me, ok? Já contei tudo o que aconteceu, não precisas de fazer queixa nenhuma.” Daniela é apanhada de surpresa e diz-lhe: “Vais apodrecer na prisão e mesmo assim não vais ter ideia do que me fizeste passar. Voltas a aproximar-te de mim ou da minha filha e eu mato-te! Registaram isto? Registem, então. Posso ir presa, mas mato este homem!” De volta a casa, Daniela chora no colo de Aurora (Carolina Carvalho).

Enquanto isto, Pedro regressa ao café e conta a Fred que foi à esquadra entregar-se e que está disposto a pagar pelo crime que cometeu. “Eu mereço isto tudo. Como é que achei que podia apagar o passado?! Perdi a Daniela, perdi a Alice… fiquei sem nada. Tenho de pagar por aquilo que fiz, matei um homem, destruí uma família. Os gajos mandaram-me embora, nem uma prisão preventiva, um calabouço, nada. Este país é uma anedota”, acusa.

Texto: Neuza Silva (neuza.silva@impala.pt); 
Fotos: Divulgação SIC
PUB