Prestes a ser mãe, Inês Herédia QUER Gabriela Sobral a ASSISTIR AO PARTO!

Inês Herédia e Gabriela Sobral preparam-se para dar as boas vindas a Luís e Tomás. A atriz de 28 anos revela que «tem de chamar nomes a alguém».

17 Nov 2018 | 12:40
-A +A

À espera de gémeos, fruto do casamento com a antiga diretora de Programas da SIC, Gabriela SobralInês Herédia mostra-se ansiosa  com a chegada de Luís e Tomás. «Estou quase, quase no fim. Estou de 31 semana. Neste momento, se eles quiserem eles saem, mas há muito que depende de mim», começa por dizer, a atriz de 28 anos.

«Estou a fazer os mínimos dos esforços e dos movimentos para eles se aguentarem. Estou ansiosa, eu só quero que eles saiam. Está tudo pronto, menos eles. Mas eles têm que ficar, quanto mais tempo estiverem ali, melhor. Tenho as duas conversas com eles, tanto quero que venham como que fiquem», ri-se.

Leia mais: Inês Herédia revela como assumiu homossexualidade: «não foi nada fácil»

Preocupação que sejam prematuros

O facto de serem gémeos é motivo de preocupação para atriz, pois podem nascer prematuros. «Principalmente porque eles não estão prontos. No caso do Luís e do Tomás, eles estão os dois muito grandes, e é preciso ter cuidado. Para se defenderem por estarem a ficar sem espaço, param de crescer. Segundo as movimentações obscenas que se passam na minha barriga, até acho que são três», brinca Inês.

«Assusta-me um bocadinho, mas a partir das 30 semanas a percentagem de risco já é muito menor. As complicações que possam vir a ter são menores. Eu sei é que não vou lidar bem com o assunto. Nós não estamos preparados para este amor. Vou sofrer muito se tiver que ir para casa e os meus bebés ficarem no hospital. Este é o meu maior medo, porque sei que os nossos médicos e enfermeiro estão preparados para tratar deles», afirma.

Espreite: Inês Herédia TREINA PARA SER MÃE em festival de verão

Gabriela vai assistir ao parto

«O melhor conselho que me deram é para não ouvir conselhos. Mas eu peço», ri-se. «Há dois ou três livros que adotei porque se adequam ao que eu acho que vou ser como mãe. E depois confio muito na minha mãe», assegura.

Inês admite que não quer passar pelo parto sozinha e vai ter a mulher ao seu lado na hora H. «A Gabriela vai lá estar, claro. Tenho de chamar nomes a alguém, aos médicos acho chato. Tenho de ter alguém para agarrar e cravar as unhas», partilha.

Com quase tudo pronto para receber o gémeos, neste momento, Inês pensa mais no parto. «Até agora sempre fui muito descontraída, e a querer que eles fiquem bem. Mas agora quero tanto que seja um parto natural, porque acho que é a experiência mais drástica e animal que um ser humano pode viver, por mais que isso seja assustador, por serem gémeos. Não interessa, o facto de eu poder experimentar o que me aproxima mais da terra e do animal, para mim é muito comovente», sublinha.

Sem saber quando os bebés nascem, Inês acredita que o Natal ainda será passado sem Luís em Tomás. «Acho que vão nascer no meu dia de anos, 27 de dezembro. Mas tenho coisinhas preparadas para eles se já passarem o Natal connosco. Celebro esta noite e é uma data muito importante para a minha família e para mim. Adoro esta época, são momentos de introspeção. Faço anos a 27 e sempre fui o menino jesus», diz.

Veja também: Inês Herédia e Gabriela Sobral celebram chegada dos bebés!

Natal sempre a rir

Vinda de uma família conservadora – a atriz é prima de Isabel Herédia, mulher de Dom Duarte Pio -,  Inês tem algumas tradições de Natal. «São sempre muito cómicos. A minha família é conservadora, somos os betos, como se costuma chamar. Mas depois somos muito descontraídos, é sempre risada do início ao fim.  Eu sempre fui a mãe Natal, puxava a saia para cima, porque achava que era muito comprida, mas agora com esta barriga faço mais de Pai Natal».

Texto: Ana Lúcia Sousa; Fotos: Nuno Moreira

PUB
Top